Magalu (MGLU3) desaba 17% e Yduqs sobe 5,7%: Veja os destaques da semana

Destaque também para a Nvidia (NVDC34), que registrou alta de 628% do lucro e ampliou dividendos.

Author
Publicado em 25/05/2024 às 09:24h - Atualizado 22 dias atrás Publicado em 25/05/2024 às 09:24h Atualizado 22 dias atrás por Marina Barbosa
Ibovespa perdeu 3% na semana e dólar subiu 1,2% (Shutterstock)
Ibovespa perdeu 3% na semana e dólar subiu 1,2% (Shutterstock)

A Nvidia (NVDC34) foi o nome da semana no mercado, depois de bater novamente as expectativas com os resultados do primeiro trimestre. Mas os últimos dias também trouxeram novidades para os negócios no Brasil. Relembre aqui o que fez preço na semana.

📉 O Ibovespa não teve um dia sequer de alta nesta semana. Acabou com um baque acumulado de 3% na semana, o pior desde março de 2023, aos 124.305 pontos. Dúvidas sobre os juros e o fiscal também pressionaram o dólar, que avançou 1,21% na semana e agora é negociado a R$ 5,16.

Nem todo mundo, no entanto, saiu no vermelho. Projeções otimistas e novos negócios favoreceram empresas como Yduqs (YDUQ3) e Gol (GOLL4) na B3. Além disso, empresas listadas na B3 anunciaram mais de R$ 1,5 bilhão em dividendos e JCP (Juros sobre o Capital Próprio).

Veja aqui as sete empresas que anunciaram dividendos e JCP nesta semana

Balanços

A Nvidia (NVDC34) terminou a semana com um valor de mercado recorde de US$ 2,59 trilhões. A companhia ganhou mais de US$ 1 trilhão em capitalização depois de anunciar uma alta de 628% do lucro do primeiro trimestre, elevar os dividendos e anunciar um desdobramento de ações.

💵 Mas esta não foi a única empresa a apresentar ganhos consistentes nesta semana. O PagBank (PAGS34) teve um lucro líquido ajustado recorde de R$ 522 milhões no primeiro trimestre, 33,2% maior que o do mesmo período do ano passado. A XP Inc. (XPBR31) lucrou US$ 1,03 bilhão no período, alta anual de 29%, e anunciou um programa de recompra de até R$ 1 bilhão em ações.

Já a Americanas (AMER3) adiou novamente a divulgação dos resultados de 2023 e do primeiro trimestre de 2024. Os resultados estavam previstos para a próxima terça-feira (28), mas serão publicados até 31 de julho. A varejista também aprovou nesta semana um grupamento de ações, na proporção de 100 para 1.

Negócios 

O Grupo Soma (SOMA3) e a Arezzo (ARZZ3) tiveram uma semana de ganhos, depois de selarem a fusão que vai criar uma gigante de R$ 12 bilhões

Vale ressaltar, contudo, que as empresas devem passar a se chamar Azzas 2154 e serão negociadas de forma unificada na B3 pelo tickr AZZA3, segundo proposta das companhias que será levada para votação em assembleia.

Gol (GOLL4) e Azul (AZUL4) também avançaram na B3 depois de anunciarem um acordo para o compartilhamento de voos. Por outro lado, a Minerva (BEEF3) foi impedida de comprar três plantas de abate da Marfrig (MRFG3) no Uruguai pela autoridade concorrencial do país.

Veja outras notícias da semana:

Altas

A Yduqs (YDUQ3) garantiu a maior alta da semana no Ibovespa, depois de projetar um lucro líquido ajustado por ação de entre R$ 1,6 e R$ 1,9 para este ano. As ações da Yduqs avançaram 5,7%.

Veja outras altas da semana:

Baixas

Por outro lado, o Magazine Luiza (MGLU3) desabou 17%, pressionado pelas dúvidas sobre os juros, a possibilidade de presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vetar a taxação das compras internacionais de até US$ 50, mas também pelo seu grupamento de ações.

A varejista vai agrupar suas ações, na proporção de 10 para 1, nesta segunda-feira (27). E o prazo para ajuste das posições acabou na sexta-feira (24). 

Veja outras baixas da semana:

O caso Petrobras

Depois de despencar quase 12% na semana anterior, a Petrobras (PETR4) teve um leve recuo de 0,22% nesta semana. A companhia oficializou a eleição e a posse da nova presidente, Magda Chambriard, na sexta-feira (24).

Chambriard foi indicada pelo governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para o lugar de Jean Paul Prates com a missão de acelerar os investimentos da estatal. O governo, contudo, também indicou que avalia a distribuição do restante dos dividendos extraordinários da companhia.

Além disso, a Petrobras fechou um acordo com o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) para manter as refinarias que estavam no seu plano de desinvestimento, além da TBG (Transportadora Brasileira Gasoduto Bolívia-Brasil). E anunciou a compra de dois navios-plataforma, com até 25% de conteúdo local, na noite de sexta-feira (24).