Poupar parte do dinheiro e deixar na poupança ou em um plano de previdência oferecido por seu banco não é mais uma coisa normal.

Muitas pessoas faziam e fazem isso ainda, mas as coisas vêm mudando. Com a queda da SELIC, hoje em 2% ao ano, a tendência é que as pessoas procurem novas alternativas de investimento. Hoje um dos dilemas é: investir sozinho ou contratar uma casa de análise?

Casa de análise ou Investindo por conta própria

Investir sozinho ou com ajuda de casa de análise?
Mulher fazendo desenho – Foto por Freepik.

De qualquer forma a pessoa vai começar a investir sozinha. Posteriormente, com o mínimo de conhecimento a pessoa terá como decidir se vai optar por uma casa de análise ou se vai continuar a investir sozinha.

Hoje, nós temos muita propaganda referente ao mundo dos investimentos. Temos as casas de análise, as próprias corretoras e até aqueles “especialistas” que tentam vender seus cursos na tentativa de orientar e fidelizar seus eventuais clientes.

Além disso, nós temos os blogs e principais páginas na internet que possuem dados e informações sobre investimentos.

Enfim, se você quer cozinhar arroz e feijão, hoje, não há necessidade de fazer faculdade de culinária e tão pouco um curso, no YouTube existem aulas completas e tutoriais.  Hoje as coisas ficaram mais acessíveis. 

O problema é na hora de interpretar, compreender e colocar as informações em prática. Para uma pessoa que investe a mais de 10 anos no mercado, tudo isso é algo normal, que faz parte do dia a dia. Para uma pessoa nova, tudo isso é muita informação e é difícil “digerir”.

Portanto, o nosso primeiro desafio ao investir sozinho é saber onde procurar as informações para conseguir compreender melhor e definir uma estratégia de atuação no mercado.

Onde procurar informações?

Vamos começar pela origem das coisas. Você quer investir no mercado financeiro por meio de um computador? Quer investir através de uma boa instituição financeira que seja segura? Quer investir na bolsa?

Então as primeiras informações que você deve buscar vêm do:

  • Banco (instituição financeira) ou corretora;
  • B3 (bolsa de valores).

Por que esses dois lugares? Porque é através dessas instituições que você vai conseguir investir e gerenciar suas aplicações.

Boa parte das pessoas possui conta em algum banco. Geralmente são os bancos de maior porte, como o Itaú, Bradesco, Caixa, Santander e Banco do Brasil. Esses bancos em seus respectivos sites já oferecem informações referentes a investimentos e como fazer.

Por lá já dá para captar algum conhecimento a respeito do funcionamento dos produtos financeiros e inclusive o significado de siglas, como o DI (depósito interbancário), Selic (taxa básica de juro), IPCA (índice de inflação). Enfim, muita coisa dá para conhecer por meio dos bancos.

É importante destacar que você não é obrigado a investir nesses produtos ou através das plataformas dos bancos, mas dá para conhecer alguma coisa por meio deles — até porque as taxas dos bancos costumam ser exorbitantes.

Posteriormente você pode ir atrás da B3, a bolsa de valores. Na B3 dá para você conhecer melhor quais são os investimentos disponíveis dentro da bolsa, como acessar o mercado e até quais são as corretoras cadastradas e que podem operar na bolsa.

Ou seja, dentro do site da B3 dá para você se certificar que a corretora na qual você pretende ter uma conta possui os requisitos mínimos para oferecer essa possibilidade de investimento.

Enfim, temos sites como do Investidor10 que compila todas as informações sobre as empresas listadas em bolsa para você fazer suas análises de ações.

Investido10 é uma plataforma que te mostra os principais indicadores de análises de ações das empresas da Bolsa.

Qual corretora abrir conta?

Primeira coisa é avaliar uma instituição financeira que você confia. Bancos grandes são as instituições mais confiáveis, posteriormente você tem as corretoras independentes que podem gerar custos menores e possuem suas qualidades.

Se o custo não for o seu problema, então as corretoras dos grandes bancos podem ser uma opção. Contudo, você deve sempre buscar pelo mínimo de taxas possíveis, por isso faça uma pesquisa junto a conhecidos que possuem conta em corretoras e procure por mais informações na internet.

Sites como o Reclame aqui e blogs de investimento podem ser uma boa solução. Através do Reclame aqui você terá uma noção do atendimento da corretora e se os casos são resolvidos

Posteriormente, por meio dos blogs, você terá a chance de conhecer mais sobre as corretoras sem necessidade de abrir uma conta. Não é tarefa fácil, você precisa fazer uma boa consulta antes de dar os seus passos no mundo dos investimentos. 

Com uma lista de corretoras em mãos, é hora de avaliar as taxas, custos, a plataforma e os serviços adicionais que oferecem. Assim, abra sua conta na corretora e faça um tour pela plataforma para se habituar.

Iniciando nos investimentos sozinho

Casa de análise: banco e corretoras possuem sistemas para te ajudar.
Mulher mostrando livro para o home – Foto por Freepik.

Com a conta na corretora ou no banco, você terá formas de iniciar seus investimentos. Mas antes de fazer qualquer aporte, é necessário estudar.

Para isso existe muita informação na internet e é aqui que o negócio vai “pegar”. Como existem muitas orientações, você deve buscar ajuda nesse momento.

Além do mais, as corretoras atualmente possuem questionários assim que você faz o cadastro. Esses questionários são utilizados para gerar um perfil de investidor e eles poderem te recomendar produtos mais adequados para você. Ou seja, esse questionário é uma espécie de lista com perguntas referentes aos objetivos que você tem com os investimentos, seu conhecimento em geral e apetite para risco.

Com isso, você consegue ter uma orientação melhor se você vai investir em produtos de renda fixa ou renda variável.

Dessa forma, caso seu perfil se enquadrar mais como “conservador”, então é bem provável que produtos de renda fixa seja oferecido para você. Um investidor mais “arrojado” tem a tendência de receber informações de produtos de renda variável, como fundos de ações.

Ainda assim, não é aceitar as recomendações cegamente, mas compreender o que está sendo oferecido e buscar mais informações sobre. Assim você evita adquirir um produto financeiro que não é tão bom para você, mas que foi recomendado por ter uma margem de lucro maior para a corretora ou banco.

Através desses processos você terá um “direcionamento” de como iniciar os seus investimentos por conta própria. 

Conhecimento e prática

Ao investir sozinho, buscando e desenvolvendo o seu próprio conhecimento, você terá custos com cursos ou livros.

No primeiro momento, esses custos podem ser nenhum, mas, ao investir sozinho, consequentemente você errará e esses erros podem gerar perdas, ou seja, custos.

Porém, as perdas são grande fontes de aprendizados. Com esses erros, você vai aprender e construir o seu conhecimento sobre a bolsa de valores e o mercado em si de forma prática. Por isso é importante investir dinheiro que você não precise no curto prazo sem comprometer seu patrimônio.

Se você não pretende desenvolver o seu próprio conhecimento sozinho e gostaria de ajuda nessa hora, então contratar uma casa de análise pode ser uma boa opção.

Casa de análises

Casa de análise conta com analistas profissionais.
Pessoas analisando gráfico – Foto por Freepik.

Você quer investir bem, mas não quer ficar estudando muito? Então chegou a hora de vermos sobre as casas de análise.

Há 10 anos as casas de análise eram poucas ou nem existiam. Porém, hoje em dia são várias, podemos citar algumas das maiores:

  • Empiricus; 
  • Nord; 
  • Eleven; 
  • Suno.

Todas as casas mencionadas possuem produtos para diferentes tipos de clientes. Existem mensalidades de produtos que podem chegar aos valores de R$ 10,00, por exemplo.

Valor que é inferior à taxa de corretagem por aí. Aliado a um custo baixo e a possibilidade de realizar bons investimentos, as casas de análise se mostram bem interessantes.  

Toda casa de analise é boa?

Não. Na verdade, tudo vai depender da forma que você vai interagir junto a casa de análise. Não dá para pensar que a assinatura de relatórios de análise é o suficiente para tornar seus investimentos melhores.

Você deve ler e assimilar o conhecimento que a casa está lhe entregando. O grande problema é a interpretação dos dados e a ação do investidor.

Uma casa de análise vai lhe entregar sugestões de investimento e vai fundamentar as mesmas em suas análises entregues em forma de relatórios.

A partir disso você tem uma clara orientação do que fazer. Basta você aceitar ou não. A construção de uma carteira ou a análise estratégica sobre o seu patrimônio será de sua responsabilidade.

O que isso significa? Os relatórios irão apresentar diversas ações, mas será por sua conta a decisão de qual você vai investir, dependendo do patrimônio disponível e como será a distribuição dos aportes.

Coisas dessa natureza a casa de análise não vai conseguir lhe assessorar. Talvez com uma espécie de “grau de importância” você até consiga se orientar para dar prioridade a um investimento e não a outro.

Posteriormente, quando o patrimônio crescer, você poderá para investir em mais sugestões. Mas dependendo, você terá que remanejar e fazer uma decisão.

O mais importante na hora de escolher a casa de análise é procurar por mais informações. Amigos, blogs e até o Youtube podem ser bons lugares para procurar por mais informações.

O Reclame Aqui também é uma plataforma importante, assim como citamos para as corretoras. Por lá você terá uma noção sobre eventuais problemas e soluções que as empresas oferecem.

Outra coisa, procure por casas de análise que permitem um período de “degustação”. Assim você consegue ver se o produto contratado é realmente o que você procura.

Dessa forma, algumas casas oferecem a oportunidade de experimentar o produto por alguns dias e depois, caso seja necessário, a pessoa pode desistir na assinatura sem que haja cobranças.

Importante ressaltar que é a casa de análise escolhida precisa ser devidamente registrada na CVM. Isso porque todo analista de ações só pode fazer recomendações sendo um profissional registrado. Logo, certifique-se que a empresa possua seus relatórios sob responsabilidade de um profissional credenciado e certificado pela CVM e APIMEC.

Não confie seus investimentos em recomendações de profissionais não credenciados pelas autoridades de mercado.

Casa de análise: Aprenda mais sobre o mercado

Os estudos são obrigatórios para todo investidor, mesmo com a ajuda de casa de análise.
Homem com copo na mão olhando para o computador – Foto por Freepik.

Olhando o que a casa de análise pode lhe oferecer e a dimensão do nosso mercado, há necessidade de aprender mais sobre as finanças e investimento. Não há como fugir disso. Afinal, contratar relatórios de análise não são suficientes para se tornar o próximo milionário.

No intuito de melhorar ainda mais a forma como investe, você precisa conhecer mais a bolsa de valores e as técnicas de análise de ações. Através desse conhecimento terá mais capacidade para avaliar as recomendações da casa de análise e tomar melhores decisões.

Questões como o funcionamento das corretoras e até mesmo como funciona o Home Broker são importantes  entender. Ademais, compreender relação do juro e da inflação, juntamente com as políticas econômicas, pode beneficiar você na hora da tomada de decisão.

Não se esqueça, a casa de análise não vai substituir você como investidor. A tomada de decisão em acatar ou não as sugestões de investimento ainda é inteiramente sua.

A casa de análise não vai acertar sempre mais pode ajudar muito

Por mais que você esteja pagando por um serviço de análise, os analistas nem sempre vão acertar as indicações.

Nem sempre você fará lucro em suas operações. Mas, definitivamente, se ainda não possui conhecimento, a casa de análise poderá lhe ajudar bastante. Ao menos no começo, até que você consiga compreender melhor os mercados e assim possa começar a andar com os próprios pés.

A casa de análise pode ajudar bastante a acertar os seus investimentos no início, mas você deve aproveitar as sugestões para compreender melhor esse mundo. E caso haja erros ou investimentos mal sucedidos, você precisa compreender o porquê do erro.

Investindo diretamente nas recomendações de casa de análise

Hoje nós temos plataformas de investimento que vem combinando o conhecimento da casa de análises com os produtos financeiros.

Assim, o investidor pode optar por um produto interessante e lucrativo, já com o conhecimento aplicado da casa de análise.

Um exemplo é a Vitreo, uma gestora de fundos de investimentos que tem como sócio Paulo Lemann — filho do Jorge Paulo Lemann. A empresa possuía uma parceria com a Empiricus.

Nessa parceria a gestora utiliza dos relatórios da Empiricus para a alocação de capital. Lembrando que as mesmas informações que a gestora tem, todos os demais clientes da casa de análise também tem acesso através das assinaturas.

Assim, ao investir em um determinado fundo de investimento da Vitreo você estará seguindo alguma recomendação da casa de análise. Mais provavelmente, você estará alocado em uma carteira recomendada da casa de análise.

Dessa forma, você consegue investir nas recomendações da casa de análise com apenas um aporte, ao investir em fundos da Vitreo, por exemplo.

Parceria entre casa de análise e fundos de investimento.
Homem mexendo no celular – Foto por Freepik.

Importante: isso não é recomendação de investimento ou de compra de qualquer assinatura de casas de análise ou fundos de investimento.

Aliás, para investidores iniciantes começar aplicar em fundos de investimento é uma forma de ter uma melhor gestão de capital. Isto é, o fundo será gerenciado por profissionais credenciados, mas é importante buscar conhecer os gestores e as políticas do fundo para não tomar um susto. 

Aqui no blog temos um artigo sobre os fundos de investimentos que você pode ler aqui e conhecer mais sobre.

Recentemente, a Empiricus e Vitreo anunciaram que estão se juntando em uma única holding com o objetivo de trazer em um ambiente único os relatórios de análise e os produtos financeiros. 

A ideia é um modelo de negócio como a Amazon e seus outros serviços, como Kindle. Guardada as diferenças e proporções, a Empiricus seria o Kindle da Vitreo. Ademais, essa operação ainda está oficializada, pois necessita do aval do BACEN. Portanto, as duas empresas continuam a parceria puramente comercial.

Por fim, o mais importante para se começar a investir é estudar bastante. O mercado financeiro é um mundo complexo, cheio de informações para todo lado e com diversas armadilhas.

Vá com calma e não tenha preguiça dos estudos. Se deseja investir sozinho terá que estudar ainda mais. 

Porém, se você quiser acelerar esse processo — veja que não disse que o estudo será eliminado!—, é possível contratar assessores de investimento (eles são gratuitos) ou da cada de análise. 

Dessa forma você conta com profissional com muito conhecimento e experiência para te ajudar na tomada de decisão. Ainda assim, no final do dia quem será responsável pelo investimento será você, por isso o estudo é imperativo.

Quer aprender mais sobre o mercado de ações e bolsa de valores? Recomendo o nosso guia completo sobre o que são ações, o link é este aqui, e evite cometer confusões básicas no seus investimentos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui