Dólar cede, mas Ibovespa registra 6ª queda consecutiva

Depois de bater nos R$ 5,28, dólar caiu 0,50% para R$ 5,24. Já o Ibovespa foi ao menor nível em cinco meses.

Author
Publicado em 17/04/2024 às 18:06h - Atualizado 1 mês atrás Publicado em 17/04/2024 às 18:06h Atualizado 1 mês atrás por Marina Barbosa
(Shutterstock)
(Shutterstock)

O dólar cedeu nesta quarta-feira (17), depois de bater no maior patamar em mais de um ano. O Ibovespa, no entanto, teve mais um dia de queda, diante dos riscos globais e das incertezas sobre a economia brasileira.

💵 dólar caiu 0,50% e terminou o dia negociado a R$ 5,24. Com isso, a moeda interrompe uma sequência de cinco altas consecutivas que a levou para perto dos R$ 5,28. Ainda assim, o dólar acumula uma alta de 2,4% na semana e de 4,5% no mês.

Já o Ibovespa engatou a sexta queda consecutiva. O principal índice da B3 caiu 0,17% nesta quarta-feira (17) e foi aos 124.171 pontos, o menor patamar desde 14 de novembro de 2023. Com isso, acumula uma queda de 1,4% na semana e de 3,07% no mês.

Leia também: Atividade econômica cresce 0,40% em fevereiro, abaixo do esperado

O baque da bolsa reflete o aumento das incertezas globais e domésticas. Isto é, a crescente tensão no Oriente Médio, a possibilidade de que os juros continuem altos por mais tempo nos Estados Unidos e a mudança das metas fiscais brasileiras, além do risco de que os cortes de juros percam força no Brasil.

📉 O presidente do BC (Banco Central), Roberto Campos Neto, indicou nesta quarta-feira (17) que o Copom pode reduzir o ritmo de corte da Selic caso essas incertezas não se dissipem. "Poderíamos ter um sistema no qual a incerteza continua a ser muito alta e não muda significativamente, o que pode significar uma redução no passo", afirmou. 

O Copom vem cortando a taxa Selic em 0,5 ponto percentual desde agosto de 2023. Contudo, na última reunião, mudou o seu guidance e garantiu só mais um corte dessa magnitude. O mercado acreditava que a Selic cairia dos atuais 10,75% para 10,25% em maio e depois sofreria cortes de 0,25 ponto percentual até chegar nos 9%. Essa perspectiva, no entanto, está sob revisão diante do novo cenário.

EUA

Nos Estados Unidos, as bolsas também caíram diante das dúvidas sobre o rumo dos juros. Veja o fechamento:

  • Dow Jones: -0,12%;
  • S&P 500: -0,58%;
  • Nasdaq: -1,15%.

Altas

O Ibovespa recuou nesta quarta-feira (17) mesmo com Vale (VALE3) e Petrobras (PETR4) subindo. As ações da Vale subiram 1,09%, depois de a mineradora apresentar bons dados de produção no primeiro trimestre e diante da alta dos preços do minério de ferro.

Já a Petrobras terminou o pregão com as ações preferenciais avançando 0,73% e as ordinárias subindo 0,15%, mesmo em dia de ajuste dos preços do petróleo. Veja outras altas do dia:

Baixas

Do lado das baixas, destaque para os frigoríficos. Marfrig (MRFG3) desabou 6,45%, BRF (BRFS3) recuou 3,99% e JBS (JBSS3) caiu 0,97%. Veja outras quedas do dia: