Ibovespa sobe forte e dólar cai no 1º pregão de maio

Mercado reagiu à decisão de juros nos Estados Unidos e à melhora da perspectiva da nota de crédito do Brasil pela Moody's.

Author
Publicado em 02/05/2024 às 18:01h - Atualizado 1 mês atrás Publicado em 02/05/2024 às 18:01h Atualizado 1 mês atrás por Marina Barbosa
(Shutterstock)
(Shutterstock)

O feriado de 1º de Maio trouxe boas notícias para os mercados. Por isso, o Ibovespa fechou em alta, acima dos 127 mil pontos, e o dólar caiu nesta quinta-feira (2).

📈 O principal índice da B3 avançou 0,95%, aos 127.122 pontos, com um ganho de quase 1,2 mil pontos. Já o dólar recuou 1,53%, a R$ 5,11, um baque de R$ 0,08 em relação à véspera do feriado.

O bom humor dos mercados se deve principalmente a duas notícias: o recado do Fed (Federal Reserve) de que novas altas de juros estão descartadas, pelo menos por enquanto, nos Estados Unidos e a revisão da perspectiva da nota de crédito do Brasil, de estável para positiva, pela Moody's.

EUA

As bolsas americanas também subiram nesta quinta-feira (2), um dia depois de o Fed manter os juros dos Estados Unidos na faixa de 5,25% a 5,50% pela sexta reunião consecutiva.

💵 O presidente do Fed, Jerome Powell, disse o banco deve levar mais tempo do que o esperado para se sentir confiante para cortar os juros, por causa da força da inflação americana. Porém, disse que era "improvável" um aumento da taxa de juros na próxima reunião do Fomc.

A notícia de que os juros não devem subir mais nos Estados Unidos foi o suficiente para acalmar os mercados e impulsionar os negócios. Veja o fechamento desta quinta-feira (2):

  • Dow Jones: 0,85%;
  • S&P 500: 0,91%;
  • Nasdaq: 1,51%.

Altas

O alívio com os juros americanos e a aposta da Moody's na economia brasileira impulsionaram a maior parte das ações do Ibovespa nesta quinta-feira (2).

A Vale (VALE3), por exemplo, subiu 1%, impulsionada ainda pela definição do calendário de sucessão presidencial e pela alta dos preços do minério de ferro.

Destaque também para a Magazine Luiza (MGLU3), que disparou 7,35% e foi a mais negociada do dia, e para o GPA (PCAR3), que avançou 8,53% na esteira de um acordo de renegociação de débitos tributários com o estado de São Paulo.

Veja outras altas do dia:

Baixas

Por outro lado, os resultados de do primeiro trimestre de 2024 derrubaram as ações do Bradesco (BBDC4) e da Weg (WEGE3) nesta quinta-feira (2). O Bradesco caiu 1,14% e a Weg recuou 1,77%.

Veja outras quedas do dia: