Fus√£o entre 3R Petroleum (RRRP3) e Enauta (ENAT3) vai desbancar a Petrobras (PETR4)?

A fus√£o promete alterar competitividade do setor e abrir caminho para uma consolida√ß√£o das ‚Äėjunior oils‚Äô.

Author
Publicado em 12/04/2024 às 17:28h - Atualizado 1 mês atrás Publicado em 12/04/2024 às 17:28h Atualizado 1 mês atrás por Matheus Rodrigues

ūüďą No cen√°rio din√Ęmico do mercado de petr√≥leo brasileiro, um acordo hist√≥rico foi selado entre duas petroleiras juniores, a 3R Petroleum (RRRP3) e a Enauta (ENAT3).

Esta fusão, que também envolve a participação da Maha Energy Offshore, promete não apenas alterar a paisagem competitiva do setor, mas também abrir caminho para uma consolidação sem precedentes.

Sob os termos deste acordo, a 3R Petroleum ir√° incorporar todas as a√ß√Ķes da Enauta, com os acionistas desta √ļltima recebendo a√ß√Ķes ordin√°rias da 3R em troca.

Esta opera√ß√£o resultar√° em uma nova composi√ß√£o do capital social da 3R, com os acionistas originais detendo 53% das a√ß√Ķes e os acionistas da Enauta detendo os restantes 47%.

Os maiores acionistas da nova empresa ser√£o:

  • Bradesco, com 9%;
  • Jive, com 7,6%;
  • Fam√≠lias Gerdau e Queiroz Galv√£o, com cerca de 6%; e
  • Maha Energy com 2,17%.

Esta composição acionária diversificada reflete o compromisso de ambas as empresas com uma governança corporativa sólida e transparente.

Um aspecto importante combinado pelas companhias é o direito de exclusividade concedido à 3R e à Enauta para analisar a potencial fusão, com um prazo inicial de 30 dias, prorrogáveis por mais 30 dias.

Durante este período, ambas as empresas realizarão diligência confirmatória para garantir a transparência e viabilidade do negócio.

Além disso, a fusão prevê o roll-up da participação de 15% da Maha na 3R Offshore, o que resultará em uma participação de 2,17% na nova empresa integrada.

‚ÄėSuper produ√ß√£o‚Äô: Nova empresa deve produzir 120 mil barris em 2025

ūüďä A combina√ß√£o de neg√≥cios n√£o apenas fortalecer√° a posi√ß√£o das duas empresas no mercado, mas tamb√©m ter√° um impacto significativo na produ√ß√£o de barris de √≥leo.

Com uma produção diária combinada de 75 mil barris no mês de março e projetada para atingir 120 mil barris em 2025, segundo os relatórios de produção das companhias,a nova entidade resultante da fusão se posicionará como uma das líderes do setor.

Para efeito de comparação, a PRIO (PRIO3), uma das principais petroleiras do Brasil, divulgou no relatório de março de 2024, uma produção de cerca de 88 mil barris por dia.

J√° a Petrobras (PETR4) atingiu uma produ√ß√£o m√©dia di√°ria de 2,94 milh√Ķes de barris ao final de 2023, de acordo com o release de resultados da companhia.

Além do aumento significativo na produção, a fusão também trará benefícios financeiros substanciais para a nova empresa.

Com reservas 2P previstas para ultrapassar os 700 milh√Ķes de barris e uma alavancagem de apenas 1,4x EBITDA, a nova entidade nasce com uma estrutura de capital saud√°vel e s√≥lida.

Nos resultados divulgados referente ao quarto trimestre de 2023, a 3R Petroleum registrou uma receita líquida de R$ 1,8 bilhão, uma alta de 315,5% na comparação com o mesmo trimestre do ano anterior. 

J√° a Enauta registrou uma receita l√≠quida de R$ 427 milh√Ķes, representando uma queda de 35% na compara√ß√£o anual.

Uma fonte próxima às empresas revelou que, devido à estrutura de capital saudável, a nova companhia tem potencial para se tornar uma forte pagadora de dividendos.

Além disso, o CEO da nova empresa será Décio Oddone, atual CEO da Enauta, enquanto o top management será uma combinação de executivos das duas empresas. O conselho será dividido igualmente entre 3R e Enauta, com o chairman vindo do lado da 3R.

Mudança no mercado: Petrobras (PETR4) perderá protagonismo?

ūüõĘÔłŹ √Č importante destacar que esta fus√£o n√£o ocorre no v√°cuo, mas sim em um contexto de mudan√ßas significativas no mercado de petr√≥leo brasileiro.

Com a Petrobrasreduzindo sua participação em diversos segmentos do mercado, abre-se espaço para que empresas menores assumam um papel mais proeminente.

Esta fus√£o entre a 3R Petroleum e a Enauta √© um reflexo dessa nova din√Ęmica e representa uma oportunidade √ļnica para as duas empresas consolidarem suas posi√ß√Ķes e expandirem suas opera√ß√Ķes.

No entanto, √© importante reconhecer que esta fus√£o n√£o est√° isenta de desafios. A integra√ß√£o de duas empresas com culturas e opera√ß√Ķes distintas pode apresentar obst√°culos, assim como a necessidade de garantir a aprova√ß√£o regulat√≥ria para a transa√ß√£o.

Além disso, a nova empresa formada enfrentará a concorrência acirrada de outras petroleiras, tanto nacionais quanto internacionais, o que exigirá uma estratégia sólida e um compromisso firme com a excelência operacional.

Em termos de impacto no mercado de a√ß√Ķes, esta fus√£o pode representar poss√≠veis oportunidades para os acionistas tanto da 3R Petroleum quanto da Enauta.

No entanto, é fundamental que os investidores realizem uma análise cuidadosa das perspectivas futuras da nova empresa e avaliem os riscos e oportunidades associados a ela.

Para auxiliar os investidores nessa an√°lise, nosso portal oferece uma ferramenta poderosa: o comparador de a√ß√Ķes.

Com esta ferramenta, os investidores podem comparar os indicadores-chave como indicadores de rentabilidade, evolu√ß√£o das receitas, lucros, m√ļltiplos e muitos mais, permitindo uma tomada de decis√£o informada e estrat√©gica.

CONHE√áA O COMPARADOR DE A√á√ēES

Em suma, a fusão entre a 3R Petroleum e a Enauta representa um marco significativo no setor de petróleo brasileiro.

Esta operação não apenas altera a paisagem competitiva do mercado, mas também abre novas oportunidades para as empresas envolvidas e seus acionistas.

No entanto, √© importante reconhecer os desafios que acompanham essa fus√£o e adotar uma abordagem fundamentada ao avaliar suas implica√ß√Ķes no mercado de a√ß√Ķes.

RRRP3

3R PETROLEUM
Cotação

R$ 27,41

Variação (12M)

-9,67 % Logo 3R PETROLEUM

Margem Líquida

2,22 %

DY

1.4%

P/L

41,99

P/VP

1,23