Unigel volta a paralisar fábricas de fertilizantes da Petrobras (PETR4)

Companhia disse que contrato de produção por encomenda com a Petrobras é temporário e ainda não entrou em vigor

Author
Publicado em 07/03/2024 às 10:07h - Atualizado 2 meses atrás Publicado em 07/03/2024 às 10:07h Atualizado 2 meses atrás por Marina Barbosa
(Divulgação)
(Divulgação)

A Unigel voltou a paralisar as fábricas de fertilizantes nitrogenados que arrendou da Petrobras (PETR4) na Bahia e em Sergipe. A produção foi interrompida na quarta-feira (6), dois dias depois de a petroleira negar irregularidades no contrato com a Unigel.

"A companhia continuará com uma infraestrutura mínima para manutenção e preservação dos ativos, além de garantir o cumprimento dos compromissos legais e socioambientais", disse a Unigel, que arrendou as fábricas da Petrobras em 2019 e já havia interrompido a produção de fertilizantes em 2023.

💲 Segundo a Unigel, a nova interrupção é um reflexo dos preços do gás natural. A companhia alega que o insumo chega a custar seis vezes mais no Brasil do que no Oriente Médio e nos Estados Unidos. Por isso, pede a sensibilização do governo e da Petrobras em relação à política de preços do gás natural que é destinado ao setor industrial.

"A Unigel suportou prejuízos durante todo o ano de 2023 e também em 2024, mas mesmo assim preservou a maior parte de seu quadro de funcionários, na expectativa de que fossem bem-sucedidas as negociações e frentes de trabalho buscando a redução do preço do gás natural via Governo Federal", afirmou.

Leia também: Petrobras (PETR4) nega irregularidades em contrato com a Unigel

Contrato com a Petrobras

🏭 A Unigel disse que também aguardava "uma alternativa temporária via contrato de tolling, além da parceria estratégica em combustíveis renováveis junto à Petrobras" para endereçar esse problema, mas ressaltou que essas soluções "não entraram em vigor até o momento".

Petrobras e Unigel firmaram um contrato que prevê a industrialização de fertilizantes por encomenda, uma modalidade chamada de tolling, em dezembro de 2023. O TCU (Tribunal de Contas da União), no entanto, apontou indícios de irregularidades no contrato.

Na última sexta-feira (1º), o colunista Lauro Jardim, do jornal "O Globo", publicou que a empresa de auditoria KPMG teria recomendado o afastamento e a apreensão dos celulares de diretores da Petrobras após investigação de irregularidades no contrato com a Unigel. A Petrobras, no entanto, negou a informação.

Em comunicado publicado na segunda-feira (4), a Petrobras disse que apurou o caso, junto com a KMPG, e não constatou irregularidades no contrato. A petroleira disse ainda que o acordo valerá por apenas oito meses e que a fabricação de fertilizantes por encomenda ainda não começou.

Em fato relevante, a Unigel reforçou nesta quinta-feira (7) que o contrato "representa uma alternativa temporária para viabilizar a manutenção da operação das plantas arrendadas junto à Petrobras", além dos empregos associados à operação.

Segundo as companhias, o objetivo é usar esses oito meses para trabalhar na elaboração de novos modelos de negócio para a continuidade da produção de fertilizantes nas fábricas da Bahia e Sergipe.

PETR4

Petrobrás
Cotação

R$ 36,68

Variação (12M)

72,50 % Logo Petrobrás

Margem Líquida

22,45 %

DY

19.69%

P/L

4,34

P/VP

1,17