Justiça bloqueia 40% do salário de ex-CEO da Starbucks no Brasil

Execução faz parte de uma penhora para pagamento de dívidas da SouthRock

Author
Publicado em 22/05/2024 às 13:12h - Atualizado 22 dias atrás Publicado em 22/05/2024 às 13:12h Atualizado 22 dias atrás por Wesley Santana
Nascido nos Estados Unidos,  Kenneth Pope está no Brasil desde 2008. Foto: Divulgação
Nascido nos Estados Unidos, Kenneth Pope está no Brasil desde 2008. Foto: Divulgação

A Justiça de São Paulo bloqueou quase metade do pró-labore de Kenneth Pope, CEO da SouthRock, empresa que era responsável pelo Starbucks no Brasil.

⚖️ Segundo decisão da 33ª Vara Cível de São Paulo, dos R$ 188 mil que o executivo recebe mensalmente, R$ 52 mil ficarão retidos para pagamento de dívidas. A ação se refere a uma dívida financeira de R$ 71,5 milhões adquirida pela holding de alimentação.

A defesa de Pope tentou diminuir o percentual de 40% para 5% alegando que se tratava de uma questão de subsistência, mas a juíza Mônica Soares Machado negou o pedido. Segundo informações do UOL, a empresa credora é a da securitizadora Travessia.

O processo judicial já corre há alguns meses e, no decorrer dele, a empresa impetrante chegou a pedir quebra de sigilo bancário de Pope, para investigar se Kenneth havia sacado R$ 20 milhões das contas da SouthRock, mas a Justiça negou. A companhia, que também liderava a rede de sanduíches Subway, diz que não houve desvio de recursos.

📈 Leia mais: Americanas (AMER3) vai agrupar ações, na proporção de 100 para 1

Situação da SouthRock

Então responsável pelas marcas Starbucks, Eataly, Subway e TGI Fridays no país, a SouthRock entrou com um pedido de recuperação judicial no fim do ano passado. A holding pediu proteção para dívidas que somam R$ 1,8 bilhão, segundo relatório entregue à Justiça.

Em seu plano de RJ, a empresa previu que só deve passar a auferir lucro em 2032. No ano passado, a empresa fechou 64 lojas, além de ter feito uma reestruturação de 20% da equipe administrativa.

Neste meio tempo, a empresa perdeu o direito de explorar a marca Starbucks no país, em razão da falta de repasses à controladora da cafeteria nos Estados Unidos. O novo detentor já está em negociação, estando o Grupo Zamp, controlador do Burger King, em estágio avançado.

Já a Eataly, em fevereiro, foi vendida ao fundo Wings, formado por cerca de 60 pessoas físicas. O executivo Marcos Calazans, que já tinha tentando adquirir o ativo anteriormente, assumiu como CEO da rede de comida italiana.