Atualmente existem vários tipos Fundos de Investimentos no mercado, e hoje vamos conhecer cada um deles. No entanto antes de começarmos a falar sobre esses queridinhos de muitos investidores, vamos relembrar o que é um Fundo de Investimento.

fundos de investimentos
Fundos de Investimentos. – Foto: Freepik

O que são fundos de investimentos?

Fundos de Investimentos é um tipo de produto financeiro que recolhe recursos monetários de pessoas distintas. Estas, são denominadas cotistas, isso ocorre na intenção de criar um grupo de investimentos para aplicações em conjunto.

Os recursos recolhidos, são divididos em cotas. Assim, cada um dos cotistas, fica com uma quantidade de cotas no fundo. A quantidade é dada segundo o quanto ele investiu de início. Dessa forma, quanto mais dinheiro o investidor deposita no fundo, mais ele terá domínio sobre o mesmo.

Nos Fundos de Investimentos, a gestão, administração, e todas as escolhas sobre onde investir o dinheiro, são tomadas por profissionais e empresas que são especialistas na área.

Ou seja, você não vai realizar a compra e venda dos títulos, nem mesmo fará a escolha dos mesmos. O profissional qualificado que administra o fundo, que fará a gestão de tudo.

Quando você investe nessa modalidade de produto, você não escolhe um papel por conta própria e investi nele, mas você aplica os seus recursos em um lugar onde alguém irá administrá-los por você. Por isso esse modelo de investimentos é tão indicado para o investidor iniciante. 

Além disso, de contar uma legislação específica ornada pelas autoridades financeiras, os fundos de investimentos ainda contam com um regulamento interno que rege o fundo.

Tipos de Fundos de Investimentos

Tipos de fundos de investimentos
Tipos de fundos de investimentos – Foto: Freepik

Fundos de Renda Fixa

Investir em renda fixa, é semelhante a emprestar dinheiro para alguém, no entanto, esse alguém será empresas e bancos, por exemplo.

Desse modo, elas pegam o dinheiro que você lhes oferece e os disponibiliza para aqueles que precisam de empréstimo. E depois retornam para você o que havia investido corrigido com taxas de juros, lhe proporcionando mais dinheiro.

Existem várias maneiras para realizar esse tipo de investimento, mas no geral os fundos exigem que no 80% dos recursos do fundo, sejam investidos em renda fixa (prefixados ou pós-fixados).

Os outros 20% restantes, podem ser colocados em outros títulos que o administrador considerar atraentes, como por exemplo, os derivativos. 

Essa modalidade de investimento, costuma ser indicada para aqueles que detém um perfil de investidor considerado mais conservador. Em especial mais pela segurança do que pela rentabilidade em si.

A principal vantagem de se investir nesse tipo de fundo, você já dever ter percebido, é a segurança que você tem ao investir. No entanto, por ser um investimento mais seguro ele também pode ser de certo modo desvantajoso, porque ele presa a segurança no lugar de lucros altos.

O que pode ser ótimo para quem tem o perfil de investidor mais conservador, e que deseja lucros a longo prazo, mas pode ser péssimo para quem almeja lucros mais altos e tem perfil de investidor ousado.

Fundos de Ações

Os Fundos de Ação estão localizados entre os investimentos mais arriscados, devido à alta oscilação dos preços que as ações são comercializadas no mercado.

Em geral, a regra para esse fundo é que ele dever ser composto de pelo menos 67% em ações dispostas na bolsa de valores. Dessa forma, grande parte de seu investimento fica totalmente sujeito as variações dos valores dos papéis comprados pelo fundo, por isso é um investimento de alto risco.

Existem dois tipos de classificações dentro dessa modalidade. Os fundos passivos, que são aqueles onde as ações escolhidas estão atreladas a algum tipo de índice. E os fundos ativos, onde as negociações são fundamentadas em análises macroeconômicas.

A principal vantagem desse tipo de investimento, é a possibilidade de recolher um retorno financeiro muito maior do que os demais fundos podem te oferecer. No entanto, com os ganhos altos, também vem os riscos altos. Então esteja atento.

Este investimento é indicado para investidores com perfil mais ousado, que disponha de alto controle emocional para que assim consiga passar pelos momentos de pressão, e que não deseje retornos a curto prazo.

Fundos de Multimercado

Está modalidade de fundo, é considerada uma das mais difíceis, por isso requer muito estudo e uma boa preparação para trabalhar com tranquilidade e segurança. 

Quem investe neste tipo de investimento, tem a oportunidade de investir em vários outros tipos de investimentos, como renda fixa, ações, e diferentes moedas, tudo de uma vez só. 

Aqui você pode entrar desde fundos que tenham uma carteira totalmente diversificada, a fundos que dispõe de poucos papeis em seu pacote.

Tudo isso, graças a alta flexibilidade que o fundo proporciona. Voltado para o investidor com perfil menos conservador, esse tipo de investimento oferece riscos moderados e bons retornos financeiros, ser recolhidos em médio e longo prazo.

Umas das principais vantagens desse tipo de investimento, é a possibilidade de alta diversificação e de ajustes mais rápidos as oscilações que o mercado pode sofrer.

Porém, do mesmo modo que ele apresenta ganhos melhores, ele também apresenta possiblidade de riscos mais elevados. Para ganhar um pouco mais, é preciso assumir mais riscos. 

Fundos Cambiais

Os fundos cambiais, são fundos que acompanham diretamente as moedas estrangeiras, como por exemplo os títulos públicos de países estrangeiros.

A regra para esse fundo é que pelo menos 80% de seus recursos, devem ser investidos em papéis que estejam relacionados as moedas internacionais.

A vantagem de se investir nessa modalidade, é que você preserva um certo poder compra em uma moeda que não seja a sua, isso a longo prazo.

No entanto, este é um tipo de investimento que oferece mais risco ao investidor e possui algumas taxas que devem ser analisadas antes de começar a investir nos mesmos.

Fundo Imobiliário (FII)

Quais os tipos de Fundos de Investimentos que existem?
Imobiliário. – Foto: Freepik

Aqui o investimento é direcionado para papéis do setor mobiliário. Ao escolher esse tipo de investimento, você automaticamente estará investindo na compra de partes pequenas de diferentes imóveis.

Sua remuneração é dada aos cotistas, através do modo pré-definidos. Onde os mesmos recebem por meio de ganhos de capital e aluguéis originados de negociações que foram feitas no mercado que está investindo.

As cotas dessa modalidade, não podem ser resgatadas, o que as configuram como condomínio fechado. Porém, as mesmas podem ser comercializadas no mercado balcão, ou na B3.

Fundos Referenciados

Essa modalidade de investimentos dispõe do benchmark como alvo do seu rendimento. Dessa forma, ele conta com 95% dos ativos, relacionados a esse alvo.

O fundo é conhecido como uma escolha segura para se investir, isso porque 80% de recursos, estão direcionados para papéis públicos ou privados que dispõem de níveis menores de risco de crédito. Encontramos nesse fundo, os fundos DI.

Uma das principais vantagens de se investir nos fundos DI, é o alto nível de segurança que o mesmo oferece, já que grande parte de seus investimentos são em títulos como do Tesouro. No entanto, as taxas que o investimento em DI proporciona, podem ser bem grandes.

Fundos de Investimentos em Cotas (FIC)

O objetivo desse fundo, é comprar cotas de outros fundos que estão presentes no mercado. Esse tipo de investimento, é emitido através das instituições financeiras e são administrados por pessoas que são qualificadas no assunto.

A regra para esse tipo de fundo, é que 95% recursos devem ser de cotas de fundos façam parte de uma mesma categoria, como: câmbio, renda variável ou renda fixa. Os demais 5% que restam, estão liberados para serem distribuídos em opções voltadas para a renda fixa.

No entanto, essas regras não valem para o FIC Multimercado, porque neles é aceito que se invista em distintas categorias de papéis ao mesmo tempo.

Fundos de Dívida Externa

Esse tipo de fundo tem como principal objetivo, investir pelo menos 80% dos recursos em papéis representativos de dívida externa do mercado estrangeiro. Os demais 20%, podem ser investidos em qualquer outro tipo de título.

O fundo só pode ser usado na intenção de se proteger de uma dívida externa e só pode ser comercializado no país de origem.

O rendimento do fundo é definido de acordo com: o desempenho que os títulos obtiveram no mercado estrangeiro, as taxas pagas por esses papéis, e a taxa de câmbio da moeda em questão, ante ao real.

A principal vantagem desse fundo, é poder dispor de negociações de títulos fora do país, gerando com isso, bons lucros em longo prazo. A principal desvantagem, é estar sujeito a perder parte de seus lucros nas oscilações de câmbio.

Como investir em Fundos de Investimentos?

Como Investir em fundos de investimentos
Como Investir em fundos de investimentos – Foto: Freepik

Depois de ler sobre tudo isso, as vezes você está se perguntando sobre como investir nesse tipo de investimento e qual a melhor escolha a se fazer, mas isso vai depender principalmente do que se encaixa melhor no seu perfil como investidor.

Desse modo, a primeira coisa a se fazer antes de investir, é conhecer o seu perfil de investidor, os objetivos com o investimento e a elaboração de um planejamento estratégico que esteja de acordo com seu perfil e objetivos.

Depois dessa etapa concluída, você pode escolher entre os fundos que estão disponíveis no mercado, a modalidade que mais se encaixam no seu planejamento estratégico.

Com os tipos de fundos identificados, basta você ir perante a sua corretora, e escolher a modalidade de fundo que ela oferece que esteja de acordo com seu planejamento.

Como podemos perceber, os fundos de investimento representam uma ótima oportunidade para você que está iniciando no mercado agora e ainda não dispõe de um conhecimento extenso, sobre como agir nesse território.

Do mesmo modo, eles também podem representar uma boa opção para aqueles que desejam diversificar sua carteira de investimentos, dentre outros vários benefícios que ele pode lhe proporcionar.

Mas como sempre gostamos de ressaltar, não é porque um investimento é bom, que ele seja bom para você.

Então antes de cair de cabeça em qualquer tipo de investimento, se atente primeiro a se conhecer, saber onde você pretende chegar ao investir; identifique o seu perfil, se você tem tolerância a riscos ou não, se você é um investidor de longo ou curto prazo, essas dentre tantas outras características que você precisa compreender sobre si mesmo; e não se esquecendo que estudar sobre esse setor que você sonha tanto em entrar é extremamente importante.

Obrigada por ficar com a gente até aqui, não se esqueça de deixar seu comentário e as suas dúvidas. É sempre um prazer ajudar você. Confira os nossos outros artigos, até mais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui