Suzano (SUZB3) entra no "top 3" das ações mais negociadas da B3, veja ranking

Companhia saltou da 11ª para a 3ª posição do ranking em maio. Contudo, também sofreu uma desvalorização de 14% no período.

Author
Publicado em 14/05/2024 às 16:56h - Atualizado 30 dias atrás Publicado em 14/05/2024 às 16:56h Atualizado 30 dias atrás por Marina Barbosa
Petrobras (PETR4) e Vale (VALE4) são as ações mais líquidas da B3 (Shutterstock)
Petrobras (PETR4) e Vale (VALE4) são as ações mais líquidas da B3 (Shutterstock)

A Suzano (SUZB3) saltou da 11ª para a 3ª posição do ranking de ações mais negociadas da B3 neste mês de maio. O avanço ocorre em meio à possibilidade de uma oferta para a aquisição da International Papers.

💲 O volume financeiro médio diário das ações da Suzano era de R$ 342 milhões em abril, mas disparou para R$ 1,003 bilhão em maio, segundo levantamento publicado nesta terça-feira (14) pela Elos Ayta Consultoria, comandada por Einar Rivero.

Só outras duas ações tiveram um volume financeiro médio diário superior a R$ 1 bilhão: Petrobras (PETR4) e Vale (VALE3). Com isso, a Suzano tirou o Itaú (ITUB4) do "top 3" das ações mais negociadas na B3 em maio, pelo menos até esta terça-feira (14).

Veja as cinco ações mais negociadas na B3 em maio, até o dia 14:

Em abril, o quinto lugar do ranking era das ações ordinárias da Petrobras (PETR3), que caíram para a 10ª posição em maio, segundo a Elos Ayta Consultoria.

Liquidez sobe, preço cai

📉 O maior volume de negociação não quer dizer que as ações da Suzano estão em alta na B3. Pelo contrário, as ações da companhia já recuaram 14% neste mês. O papel abriu o mês cotado a R$ 59, mas é negociado na casa dos R$ 50 nesta terça-feira (14).

O baque se acentuou depois do dia 7 de maio, quando veio à tona a notícia de que a Suzano teria feito uma oferta pela International Papers. Nesse dia, a ação também atingiu aumento significativo no volume de negociação. Segundo a Elos Ayta Consultoria, a ação movimentou expressivos R$ 2,91 bilhões nesta data.

Leia também: Petrobras (PETR4): CFO diz que ter 100% da Braskem (BRKM5) não é o cenário ideal

A notícia de que a Suzano teria feito uma proposta de US$ 15 bi pela International Paper foi antecipada pela "Reuters" e pelo "Valor Econômico". A operação criaria uma gigante do mercado internacional de papel, celulose e embalagem. Porém, não agradou o mercado.

Na avaliação do mercado, a operação seria cara e iria comprometer a alavancagem da Suzano. Além disso, analistas citam a falta de sinergias claras entre a Suzano e a International Papers. Enquanto a brasileira produz papeis e embalagens a partir do eucalipto, a companhia americana foca em papel ondulado, caixas de papelão e embalagens.

Em fato relevante, a Suzano não confirmou a proposta pela International Papers. Disse apenas que "está permanentemente analisando oportunidades de mercado e investimentos alinhados com a sua estratégia" e que, até 7 de maio, não havia "qualquer documento formal ou celebração de qualquer acordo, vinculante ou não, por parte da Suzano, tampouco qualquer decisão ou deliberação de seus órgãos de administração em relação à potencial operação veiculada pela mídia".

SUZB3

SUZANO
Cotação

R$ 48,62

Variação (12M)

6,05 % Logo SUZANO

Margem Líquida

23,90 %

DY

2.38%

P/L

6,99

P/VP

1,42