Qual banco teve os melhores resultados em 2023? Compare

Dois dos cinco maiores bancos da B3 terminaram o ano com lucros inferiores aos de 2022

Author
Publicado em 09/02/2024 às 17:40h - Atualizado 2 meses atrás Publicado em 09/02/2024 às 17:40h Atualizado 2 meses atrás por Marina Barbosa
(Shutterstock)

Os cinco maiores bancos brasileiros - Itaú (ITUB4), Banco do Brasil (BBAS3), Bradesco (BBDC4), BTG Pactual (BPAC11) e Santander (SANB11)- registraram um lucro líquido consolidado de aproximadamente R$ 100 bilhões em 2023. Nem todos, no entanto, se saíram bem no ano. 

🏦 Itaú, Banco do Brasil e BTG Pactual ampliaram a lucratividade em 2023. O Itaú teve o maior lucro anual do setor, mas o Banco do Brasil ficou bem perto e teve um lucro recorde no ano. Os dois lucraram mais de R$ 35 bilhões em 2023 e, com isso, anunciaram dividendos complementares nesta semana. Veja os detalhes:

O BTG Pactual, por sua vez, foi o que mais ampliou os seus resultados em 2023, com um salto de 25% do lucro líquido anual. Com isso, o BTG apresentou um lucro anual maior que o do Santander pela primeira vez na história.

O Santander, por sinal, foi na direção oposta e viu seu lucro anual diminuir 27%, o maior baque do setor em 2023. O Bradesco, no entanto, também teve um resultado anual menor. O dado decepcionou o mercado e fez o Bradesco perder R$ 24,1 bilhões em valor de mercado em um único dia, consolidando-se como o quarto, e não mais o segundo, maior banco da B3.

Veja o lucro líquido dos cinco maiores bancos da B3 em 2023:

  • Itaú: R$ 35,618 bilhões, +15,7%;
  • Banco do Brasil: R$ 35,562 bilhões, +11,4%;
  • Bradesco: R$ 16,297 bilhões, -21,2%;
  • BTG Pactual: R$ 10,419 bilhões, +25%;
  • Santander: R$ 9,383 bilhões, -27,3%.

Já no quarto trimestre de 2023, os cinco maiores bancos da B3 conseguiram ampliar seus resultados em relação ao mesmo período de 2022. E o destaque foi do Bradesco, cujo lucro trimestral saltou 80%. O maior lucro trimestral, no entanto, foi do Banco do Brasil.

Veja os resultados do quarto trimestre de 2023:

  • Banco do Brasil: R$ 9,442 bilhões, +4,8%;
  • Itaú: R$ 9,401 bilhões, +22,6%;
  • Bradesco: R$ 2,878 bilhões, -80,4%;
  • BTG Pactual: R$ 2,847 bilhões, +61%;
  • Santander: R$ 2,204 bilhões, 30,5%.

Retorno sobre o patrimônio

💲 Apesar do bom desempenho no quarto trimestre de 2023, nem todos os bancos conseguiram fechar o ano com um ROE (retorno sobre patrimônio líquido) superior ao de 2022. O ROE do Santander teve um decréscimo de 4,5 p.p. (pontos percentuais) e o do Bradesco caiu 3,1 p.p. 

O BTG Pactual, por outro lado, ampliou o indicador em 1,9 ponto percentual e terminou o ano com o melhor ROE entre os cinco maiores bancos da B3. O BTG ficou com a liderança mesmo depois de o Itaú também ampliar o seu ROE em 1,9 p.p. e o Banco do Brasil em 0,5 ponto. 

Veja o ROE de cada banco ao final de 2023:

  • BTG Pactual: 22,7%, +1,9 p.p.;
  • Banco do Brasil: 21,6%, +0,5 p.p.;
  • Itaú: 21,2%, +1,9 p.p.;
  • Santander: 11,8%, -4,5 p.p.;
  • Bradesco: 10%, -3,1 p.p..

Inadimplência

Um dos principais problemas enfrentados pelos bancos nos últimos anos, a inadimplência continuou pressionando os resultados e elevando as despesas do setor com provisões em 2023. O Bradesco, que apresentou um plano de reestruturação para tentar melhorar as margens financeiras, é o mais atingido.

Uma tendência de redução do índice de devedores, no entanto, foi vista ao longo do ano passado. E um dos bancos analisados neste levantamento já conseguiu fechar o ano com uma taxa de inadimplência levemente inferior à de 2022, o Itaú. O Santander terminou o ano com estabilidade no índice. Os dados do BTG não estão disponíveis.

Veja a taxa de inadimplência de cada banco ao final de 2023: 

  • Bradesco: 5,1%, +0,8 p.p.;
  • Santander: 3,1%, estável;
  • Banco do Brasil: 2,9%, +0,4 p.p.;
  • Itaú: 2,8%, -0,1 p.p..

Resultado consolidado cai em 2023

O lucro consolidado dos cinco maiores bancos brasileiros somou R$ 100,3 bilhões em 2023, de acordo com dados declarados à CVM (Comissão de Valores Mobiliários) e agrupados por Einar Rivero da Elos Ayta Consultoria. O resultado é 3,5% menor que o pico de R$ 103,9 bilhões registrado em 2022.

Ainda assim, este foi o segundo maior resultado dos últimos 13 anos, período analisado no estudo. O dado de 2023 ainda revela que o lucro dos principais bancos do país mais do que dobrou desde 2013 e está em patamares superiores aos do pré-pandemia, mesmo com o recuo em relação a 2022.

Veja o lucro consolidado dos cinco maiores bancos brasileiros nos últimos anos:

  • 2011: R$ 47,5 bilhões;
  • 2012: R$ 43,6 bilhões;
  • 2013: R$ 48,7 bilhões;
  • 2014: R$ 58,2 bilhões;
  • 2015: R$ 70,6 bilhões;
  • 2016: R$ 62,4 bilhões;
  • 2017: R$ 65,3 bilhões;
  • 2018: R$ 72,7 bilhões;
  • 2019: R$ 88,5 bilhões;
  • 2020: R$ 61,1 bilhões;
  • 2021: R$ 93,3 bilhões;
  • 2022: R$ 103,9 bilhões;
  • 2023: R$ 100,3 bilhões.

O recuo de 3,5% em relação a 2022 é menor que o baque de 9,4% registrado pelo lucro consolidado dos quatro maiores bancos privados da B3. Isto é, Itaú, Bradesco, BTG Pactual e Santander, sem contar com o Banco do Brasil, que é uma empresa de capital misto.