João Moreira Salles: o bilionário cineasta brasileiro

Author
Publicado em 14/03/2024 às 14:31h - Atualizado 3 meses atrás Publicado em 14/03/2024 às 14:31h Atualizado 3 meses atrás por Redação
Joao_moreira_salles
Joao_moreira_salles

Com uma fortuna avaliada em R$ 22,1 bilhões, o carioca João Moreira Salles, 61, compõe, ao lado de seus irmãos Walter Salles Jr, Fernando Moreira Salles e Pedro Moreira Salles, uma das famílias mais ricas do Brasil. João Moreira Salles é filho de Walther Moreira Salles, que foi um grande empresário, banqueiro e diplomata brasileiro. Walther chegou a ocupar o cargo de Ministro da Fazenda no governo de João Goulart. Além disso, é fundador do Itaú Unibanco. Apesar de ser formado em economia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ) e ter uma família completamente ligada ao cenário de finanças e economia, João Salles se encontrou na arte. Veja também: Luiza Helena Trajano: Conheça a trajetória de uma das maiores empreendedoras do Brasil Nas telas, João teve como primeiro trabalho o roteiro da série Japão, uma Viagem no Tempo, da TV Manchete. Em 1987, junto ao seu irmão Walter Moreira Salles, lançou a produtora VideoFilmes, que inicialmente era voltada a documentários para TV. A produtora, no entanto, foi responsável pelos longas nacionais: Lavoura Arcaica e Madame Satã. João Moreira Salles conta com trabalhos premiados em sua jornada no cenário artístico. Os documentários "Krajcberg - o Poeta dos Vestígios" (1987), e "Santiago" (2007) já receberam honrarias. Santiago, inclusive, foi incluído no livro 100 Melhores Filmes Brasileiros de Todos os Tempos pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema (ABRACCINE). Em relação a cena política, que também está presente na família, devido a trajetória de seu pai, João Salles foi responsável pelo documentário Entreatos, de 2004, que mostra a trajetória do atual presidente Luiz Inácio Lula da Silva até chegar ao pleito pela primeira vez.

Revista Piauí

João Moreira Salles fundou, em 2006, a revista Piauí. A revista, especializada em jornalismo literário, tem publicação mensal e aborda temas como política, literatura, economia, televisão, arquitetura, cinema e futebol. A Revista Piauí é independente, apesar de estar hospedada no site da Folha de S. Paulo por uma parceria editorial. Em outubro de 2021, a Revista Piauí mudou seu regime de gestão, passando a se tornar uma entidade sem fins lucrativos. O fundo patrimonial do Instituto Artigo 220, de João Moreira Salles, fundador da revista, doou R$ 350 milhões para manter a revista. Mesmo assim, a revista manteve as assinaturas mensais, publicidade e eventos.

A família Moreira Salles

A família Moreira Salles tem grande influência no setor bancário brasileiro. Isso porque João Moreira Salles (não o cineasta, e sim seu avô) fundou o que veio a se tornar o maior banco privado do Brasil hoje, o Itaú Unibanco. João Salles, pai de Walther e avô de João Moreira Salles (o documentarista), foi presidente do Conselho de Administração e maior acionista do Banco Moreira Salles, da União de Bancos Brasileiros e do Unibanco, instituições que antecederam o atual conglomerado financeiro. João Moreira Salles nasceu no sul de Minas, em Cambuí, no dia 18 de fevereiro de 1888. Morreu em 1968. Era filho de José Amâncio de Salles e Ana Moreira Salles, casal de agricultores mineiros. Começou trabalhando na loja de seu padrinho, Adriano Colli. Ainda adolescente assumiu a administração da loja. Em 1904, entretanto, se mudou para São Paulo. Conseguiu um emprego em um armarinho na rua São Bento e. um ano depois, ingressou na Escola Prática de Comércio de São Paulo, onde cursou contabilidade por quatro anos. Em 1911, o patriarca da família Moreira Salles casou-se com Lucrécia Vilhena de Alcantara, filha do fazendeiro Saturnino Vilhena de Alcântara. João Salles foi morar com Lucrécia em Guaranésia, cidade que era grande produtora de café. Dessa forma, o patriarca abriu uma loja de café e também de artigos de armarinho recebidos em consignação do antigo patrão de São Paulo. Assim, João Moreira Salles (avô do cineasta) passou a ser representante bancário, trabalhando com concessão de crédito em pequena escala. Em 1917, João Salles mudou-se para Mococa, em São Paulo. A região era considerada promissora no ramo do café. Na cidade, João abriu a Salles & Alcantara, em sociedade com o seu cunhado. Assim, o campo de atuação de João Salles se ampliou por toda a região da Estrada de Ferro Modiana, segundo o Instituto Moreira Salles. João passou a realizar visitas vendendo produtos, comprando café e fornecendo crédito dos bancos que representava. Depois de virar correspondente do Banco Francês e Italiano e do Banco Alemão Transatlântico, João Salles passou a representar o Banco do Brasil e o Banco Hipotecário e Agrário de Minas Gerais. Dessa forma, a loja instalada em Mococa foi se tornando uma face de seus negócios. Em 1919, foi aberta em Poços de Caldas a Moreira Salles & Cia., também em sociedade com o cunhado de João Salles, Pardal Vilhena de Alcântara. Em 1923, João comprou a parte do cunhado e estabeleceu uma nova estrutura societária com quatro novos sócios, capital aumentado e âmbito de ação ampliado. De acordo com informações do instituto Moreira Salles, 1924 foi um ano crucial para a história da família e de seus negócios. A historiografia destaca que foi o marco inicial na trajetória do grupo financeiro Moreira Salles, já que no dia 27 de setembro a Casa Moreira Salles recebeu autorização para abrir uma seção bancária. A casa comercial deixava de ser mera correspondente e passava a ter algumas das atribuições de um banco e a poder realizar diversas operações de crédito.

Banco Moreira Salles e Itaú Unibanco

Em 1933, Walther Moreira Salles (pai de João Salles, o cineasta) assumiu, com 21 anos, a Casa Bancária Moreira Salles, que oferecia serviços financeiros principalmente aos cafeicultores da região de Poços de Caldas. Em 1940, a instituição passou a se chamar Banco Moreira Salles. Após algumas transações e fusões, a nomenclatura “Banco Itaú” chegou, em 1973, com o logotipo que é utilizado até os dias atuais. Somente em 2008 ocorreu a fusão entre o Banco Itaú e o Unibanco, dando origem ao Itaú Unibanco S.A, maior banco privado do Brasil. A holding financeira Itaú, hoje, é controlada pela IUPAR (Itaú Unibanco Participações), que é indiretamente controlada pelas famílias Souza Aranha e Moreira Salles. Entre os filhos de Walther Moreira Salles, Pedro é maior representante da família no executivo do banco. Ele é copresidente do conselho de administração do Itaú. O irmão de João Moreira Salles (filho de Walther), Walter Salles também é cineasta e tem entre seus filmes, obras como: “Central do Brasil e “Diários de Motocicleta”.

Aprenda mais sobre investimentos com o Investidor 10

Para mais conteúdos sobre finanças e investimentos, conheça oInvestidor 10.Aqui você tem acesso a uma série de conteúdos gratuitos, além de muita informação, rankings e indicadores sobre os principais ativos do mercado financeiro, incluindo:

Conte com os conteúdos e ferramentas do Investidor 10 para compreender cada vez mais sobre o mercado financeiro, reduzir riscos e maximizar seus resultados ao investir. Além de muito conteúdo gratuito, aqueles que desejam ter resultados acima da curva, também podem contar com os conteúdos e ferramentas especiais do Investidor 10 Pro que vai te dar acesso a:

Para ter acesso a todas as soluções acima, reduzir os riscos ao investir e maximizar seus rendimentos como investidor, clique aqui e garanta sua assinatura! Por fim, antes de sair, caso ainda não siga, não se esqueça de seguir o Investidor 10 nas redes sociais!

Aproveite e leia mais nossos conteúdos: