São Martinho (SMTO3) investe R$ 250 mi em unidade produtora de Biometano

Projeto contará com o financiamento do BNDES e FINEP com prazo médio de aproximadamente 8 anos

Author
Publicado em 30/10/2023 às 19:27h - Atualizado 5 meses atrás Publicado em 30/10/2023 às 19:27h Atualizado 5 meses atrás por Juliano Passaro
(Divulgação/São Martinho)

A São Martinho (SMTO3) anunciou, nesta segunda-feira (30), após o fechamento do mercado, que o seu Conselho de Administração aprovou a implantação de uma unidade produtora de Biometano, em Américo Brasiliense, município de São Paulo. O capex previsto para a unidade é de R$ 250 milhões. 

Segundo informou a empresa, o investimento total contempla o biodigestor (lagoas), equipamentos de purificação e dessulfurizarão do biogás em Biometano, e investimentos em compressão e interligação com a rede de distribuição. 

Veja também: Vale (VALE3): Ero Copper fecha acordo para ter 60% de projeto no Pará

O projeto contará com o financiamento do BNDES e FINEP, com prazo médio de aproximadamente 8 anos.

A São Martinho destacou que a unidade produtora, anexa à Unidade Santa Cruz, terá capacidade para produção aproximada de 15,6 milhões de Nm³ (metro cúbico normal, padrão ANP) de Biometano durante período de moagem, além da geração de Cbios (créditos de carbono) referentes à produção de combustível renovável atrelada as melhores práticas de sustentabilidade.

"O principal insumo utilizado na produção do Biometano será a vinhaça (100% do volume produzido na USC), proveniente da produção do etanol de cana-de-açúcar, além de outros insumos químicos e de energia renovável gerada pela unidade", informou a São Martinho.

O início da operação, conforme destacou a São Martinho, está previsto para o segundo semestre de 2025. Sendo assim, aproximadamente 40% da capacidade da planta será entregue na safra 25/26 e 100% a partir da safra 26/27.

"O cronograma de desembolso da obra será 30% na safra atual (23/24), 60% na safra 24/25 e o restante na safra 25/26", salientou a empresa em comunicado.