Petrobras (PETR4) nega decisão sobre dividendos extraordinários

Companhia disse que cabe à assembleia geral de acionistas, convocada para 25 de abril, decidir sobre o assunto.

Author
Publicado em 04/04/2024 às 18:52h - Atualizado 2 meses atrás Publicado em 04/04/2024 às 18:52h Atualizado 2 meses atrás por Marina Barbosa
(Shutterstock)
(Shutterstock)

A Petrobras (PETR4) afirmou que ainda não há decisão sobre o pagamento de dividendos extraordinários. A possibilidade impulsionou as ações da companhia nesta quinta-feira (4), em meio a rumores sobre a troca de comando da estatal.

💰 A Petrobras reteve R$ 43,9 bilhões do lucro de 2023. A medida frustrou os investidores e reacendeu os desentendimentos entre o presidente da Petrobras, Jean Paul Prates, e o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira. 

Prates havia proposto a distribuição de 50% desse valor aos acionistas. Contudo, o governo vetou a proposta e vem dizendo que os dividendos só serão distribuídos depois que ficar claro que não haverá prejuízo para o plano de investimentos da Petrobras. 

Leia também: Ibovespa fecha com leve alta, mas Petrobras (PETR4) recua

Ainda assim, o Executivo teria acertado a distribuição de 100% dos dividendos em reunião realizada na quarta-feira (3), segundo a colunista Malu Gaspar de "O Globo". O fato de que os proventos podem ajudar o Tesouro Nacional a cumprir a meta de déficit fiscal zero teriam ajudado na decisão.

Porém, em comunicado publicado após o fechamento do mercado nesta quinta-feira (4), a Petrobras disse que a questão ainda está em aberto. Segundo a companhia, "a competência para aprovar a destinação do resultado, incluindo o pagamento de dividendos, é da Assembleia Geral de Acionistas, que será realizada no dia 25/04/2024".

O comunicado ainda destaca que, conforme anunciado em 7 de março, a proposta do Conselho de Administração da Petrobras é pela retenção dos R$ 43,9 bilhões em reserva de remuneração do capital. A proposta foi aprovada com apoio dos conselheiros indicados pelo governo e com a abstenção de Prates.

Troca de comando

A Petrobras ainda não se posicionou oficialmente sobre a possível troca do seu presidente. Prates teria pedido uma "conversa definitiva" ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) diante das críticas de Silveira.

O atual CEO da Petrobras, no entanto, fez piada com o assunto no X, antigo Twitter. Ele postou a imagem de uma conversa no WhatsApp em que alguém pergunta sobre a sua saída da Petrobras e a resposta diz que ele sairá para jantar, mas voltará na manhã de sexta-feira (5) porque tem a "agenda cheia". Veja:

Em Brasília, alguns nomes já são cotados para substituir Prates no comando da Petrobras. O principal é o do presidente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), Aloizio Mercadante.