Petrobras (PETR4) aprova acordo de R$ 19,8 bilhões com a União

Com o acordo, Petrobras põe fim a débitos tributários e ainda ajuda o governo a fechar as contas.

Author
Publicado em 17/06/2024 às 20:34h - Atualizado 1 mês atrás Publicado em 17/06/2024 às 20:34h Atualizado 1 mês atrás por Marina Barbosa
CA da Petrobras aprovou adesão a edital de transação tributária do governo (Shutterstock)
CA da Petrobras aprovou adesão a edital de transação tributária do governo (Shutterstock)

A Petrobras (PETR4) aprovou nesta segunda-feira (17) a adesão ao programa de transação tributária do governo federal. Com isso, fez um acordo de R$ 19,80 bilhões com a União.

O programa de transação tributária busca pôr fim a débitos tributários do setor de óleo e gás cuja cobrança são objeto de processos administrativos ou judiciais.

A adesão da Petrobras vinha sendo negociada desde abril, entre o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, e o ex-presidente da companhia, Jean Paul Prates. Afinal, o acordo pode ajudar o governo federal a fechar as contas neste ano.

💰 Para a estatal, a medida permitirá o encerramento de discussões administrativas e judiciais relativas a CIDE, PIS e COFINS, referentes ao período de 2008 a 2013, que totalizam R$ 44,79 bilhões, além do abatimento dessa dívida.

O edital de transação tributária do governo concede um desconto de até 65% sobre essas pendências. Por isso, o valor final do acordo foi de R$ 19,80 bilhões e parte desse valor já foi desembolsado pela empresa.

"A adesão ao programa traz benefícios econômicos para a companhia, uma vez que a manutenção das discussões implicaria em esforço financeiro para oferecimento e manutenção de garantias judiciais, além de outras custas e despesas processuais", avaliou a Petrobras.

O acordo foi aprovado pelo Conselho de Administração da Petrobras nesta segunda-feira (17), com votos favoráveis de 10 dos 11 membros do board. A proposta já havia sido analisada pelo Comitê de Auditoria Estatutário e pelo Comitê de Minoritários da Companhia.

Leia também: Petrobras (PETR4): Ato Nacional de petroleiros acontecerá 1 dia após posse de Chambriard

Impacto de R$ 11,87 bilhões

Dos R$ 19,80 bilhões que a Petrobras deve pagar à União, R$ 6,65 bilhões serão pagos com os depósitos judiciais já realizados nos processos e R$ 1,29 bilhão será pago com créditos de prejuízos fiscais de subsidiárias da Petrobras.

Além disso, a Petrobras pagará uma entrada de R$ 3,57 bilhões no próximo dia 30 de junho e seis parcelas mensais e sucessivas no valor aproximado de R$ 1,38 bilhão cada. As parcelas serão atualizadas pela taxa Selic e pagas a partir do dia 31 de julho, sempre no último dia útil do mês.

O efeito tributário para a Petrobras será, portanto, de aproximadamente R$ 11,87 bilhões. O impacto vai se refletir no lucro líquido do segundo trimestre de 2024.

A Petrobras destacou ainda que "aproximadamente 13% do contencioso objeto da transação é de responsabilidade de diversos parceiros da Petrobras nos consórcios de E&P e a companhia está negociando com os demais consorciados as condições para o ressarcimento dos valores referentes às suas respectivas participações".

PETR4

Petrobrás
Cotação

R$ 38,69

Variação (12M)

54,27 % Logo Petrobrás

Margem Líquida

22,45 %

DY

16.38%

P/L

4,58

P/VP

1,24