Lula promete reajuste a todas as categorias de servidores públicos

Para 2024, o governo já havia apresentado uma proposta oficial de reajuste nos benefícios dos servidores federais.

Author
Publicado em 23/04/2024 às 15:30h - Atualizado 29 dias atrás Publicado em 23/04/2024 às 15:30h Atualizado 29 dias atrás por Elanny Vlaxio
(Shutterstock)
(Shutterstock)

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou, nesta terça-feira (22), que dará aumento salarial a todas as categorias de servidores públicos. A promessa é em resposta aos funcionários públicos de universidades e institutos federais de todo o país que estão entrando em greve desde o início de abril.

💲 "Nós estamos preparando aumento de salário para todas as carreiras e vão ter aumento. Nem sempre é tudo que a pessoa pede. Muitas vezes é aquilo que a gente pode dar. E nós vamos negociar com todas as categorias. Eu quero até aproveitar para dizer que ninguém será punido nesse país por fazer uma greve", afirmou Lula.

Até o momento, 79 institutos federais, 52 universidades e 14 campus do Colégio Pedro II estão em greve, sendo parte da mobilização feita por técnicos e outra parte por docentes. Na última sexta-feira (19), os técnicos administrativos da educação e dos docentes receberam novas propostas do governo para o fim das greves e devem dar uma resposta ainda nesta semana.

Leia também: No Senado, dono do Botafogo apresenta relatório com supostas manipulações de jogos

🗣️ O presidente disse ainda que "acha legal" as greves que os servidores públicos estão fazendo com o objetivo de reajustes salariais e afirmou que "ninguém será punido no Brasil por fazer uma greve".

"Até as greves eu acho legal. Esse povo estava que nem eu estava em 1978, quando fizemos a primeira greve na Scania. A última havia sido em 1968, em Contagem e Osasco. Quando fizemos a greve em 1978, mudamos a história do sindicalismo brasileiro. Eu nasci fazendo greve. Devo aos trabalhadores de São Bernardo o que sou hoje. Acho um direito legítimo", acrescentou.

Para o ano de 2024, o governo já tinha apresentado uma proposta oficial de reajuste nos benefícios dos servidores federais. Isso incluía:

  • Aumento no auxílio-alimentação de R$ 658 para R$ 1 mil;
  • Aumento de 51% nos recursos destinados à assistência à saúde suplementar;
  • Aumento no auxílio pré-escolar ("auxílio-creche") de R$ 321 para R$ 484,90.

O anúncio acontece após o presidente afirmar que o governo já tem pronto os textos dos projetos que preveem a regulamentação da Reforma Tributária e defender a escolha de um relator alinhado ao Palácio do Planalto.