Mercado financeiro eleva projeções para inflação e taxa Selic em 2024

As expectativas para a Selic apresentaram alta, com a projeção para 2024 aumentando de 10% para 10,25%.

Author
Publicado em 03/06/2024 às 09:41h - Atualizado 1 mês atrás Publicado em 03/06/2024 às 09:41h Atualizado 1 mês atrás por Matheus Rodrigues
O ano de 2025 também mostrou um aumento, de 3,75% para 3,77%.
O ano de 2025 também mostrou um aumento, de 3,75% para 3,77%.

📈 No relatório Focus divulgado pelo Banco Central nesta segunda-feira (3), observou-se uma continuidade na tendência de alta nas projeções para a inflação e a taxa básica de juros (Selic) para os próximos anos, enquanto as estimativas para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) se mantiveram estáveis.

As expectativas para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) viram um leve aumento. Para 2024, a previsão subiu de 3,86% para 3,88%.

O ano de 2025 também mostrou um aumento, de 3,75% para 3,77%.

Para 2026, a inflação esperada subiu de 3,58% para 3,60%, enquanto para 2027, a projeção se manteve constante em 3,50%, estabilizada nesta expectativa por 48 semanas consecutivas.

PIB

Em relação ao PIB, as projeções continuaram as mesmas, com a mediana para 2024 fixada em 2,05%. Para 2025, a previsão permaneceu em 2,0% pelo 25º período semanal consecutivo.

As expectativas para 2026 e 2027 também se mantiveram em 2,0%, reforçando um consenso moderado sobre o crescimento econômico nos próximos anos.

Selic

As expectativas para a Selic apresentaram alta, com a projeção para 2024 aumentando de 10% para 10,25%.

Para 2025, a estimativa subiu de 9,0% para 9,18%, indicando uma perspectiva de aperto monetário mais forte para conter as pressões inflacionárias.

As projeções para 2026 e 2027 permaneceram em 9,0%.

Câmbio

💲 No que diz respeito ao câmbio, não houve mudança nas projeções. O dólar é esperado a R$ 5,05 para 2024 e 2025, e a R$ 5,10 para 2026 e 2027, sugerindo uma estabilidade nas expectativas de câmbio para o médio prazo.

Esses dados do Boletim Focus refletem as preocupações dos analistas com as pressões inflacionárias em meio a um cenário de recuperação econômica, assim como os desafios para a política monetária em um ambiente de incertezas tanto internas quanto externas.