Eneva (ENEV3) e Vibra (VBBR3) podem criar empresa combinada de R$ 50 bi

Eneva realizou o envio de proposta não vinculante para fusão de iguais com a Vibra

Author
Publicado em 27/11/2023 às 08:52h - Atualizado 4 meses atrás Publicado em 27/11/2023 às 08:52h Atualizado 4 meses atrás por Juliano Passaro
Eneva destacou que uma fusão de iguais com a Vibra representa uma oportunidade ímpar para as empresas e seus acionistas(Shutterstock)

AEneva (ENEV3) informou, no último domingo (26), que realizou uma proposta não vinculante de combinação de negócios ao Conselho de Administração da Vibra Energia (VBBR3). A nova empresa teria um valor de mercado de aproximadamente R$ 50 bilhões, ficando atrás, apenas, de Petrobras e Eletrobras entre as companhias do setor de energia que possuem capital aberto.

Veja também: CVC (CVCB3) deve ter pouso forçado pela Decolar? Analistas explicam

💡A proposta da Eneva contempla, conforme informou a empresa, a incorporação de ações da sociedade Eneva pela Vibra ou outra estrutura a ser estabelecida de comum acordo pelas companhias.

Dessa forma, o conjunto de acionistas de cada empresa, ao final do processo, deve possuir 50% do total das ações da empresa combinada.

A Eneva destacou em seu comunicado que uma fusão de iguais com a Vibra representa uma oportunidade ímpar para as empresas e seus acionistas, tendo um sólido racional estratégico.

A companhia destacou que os negócios podem se complementar. Por isso, caso aconteça, essa proposta pode "implicar em ganhos significativos de eficiência e de alocação de capital".

Segundo a Eneva, a proposta inclui uma estrutura de governança robusta e equilibrada, com contribuições de lado a lado, "de forma que a estrutura corporativa e administrativa da companhia combinada garanta a adequada integração das atividades da Eneva e da Vibra, a maximização das sinergias, a valorização dos colaboradores e o melhor aproveitamento das forças e dos talentos da companhias, resultando em uma empresa vitoriosa".

De acordo com a Eneva, ainda não existe qualquer acordo assinado relativo à operação proposta. A implementação da combinação de negócios está condicionada às condições precedentes usuais para transações desse tipo de natureza.