Título de Capitalização: O que é? Como funciona?

Author
Publicado em 14/07/2023 às 10:43h - Atualizado 11 meses atrás Publicado em 14/07/2023 às 10:43h Atualizado 11 meses atrás por Redação
titulo-de-capitalizacao
titulo-de-capitalizacao

Os títulos de capitalização são muito comentados. Ao mesmo tempo que são falados, vemos que eles geram uma certa polêmica a respeito de valer ou não a pena. Mas, primeiro de tudo, é importante que você entenda o conceito. Um título de capitalização nada mais é do que um produto financeiro oferecido por instituições financeiras, como bancos e seguradoras. Este tipo de título combina características de investimento e sorteio de prêmios. Em tese, ele é uma alternativa para quem deseja poupar dinheiro, mas também busca a possibilidade de ganhar prêmios em dinheiro ou bens. Dessa forma, ao adquirir um título de capitalização, o cliente faz um pagamento inicial, chamado de prêmio, e assume o compromisso de realizar contribuições periódicas. Essas contribuições que você faz podem ser mensais, trimestrais ou anuais. Tudo isso durante um período determinado. De tal modo, essas contribuições compõem uma reserva de dinheiro que é atualizada por uma taxa de juros específica, determinada pelo contrato. Não se preocupe, mais para frente falaremos sobre essa questão da taxa de juros.

Sorteios

A principal característica desse tipo de investimento é a participação em sorteios. Os títulos de capitalização oferecem a chance de concorrer a prêmios em dinheiro ou bens, como carros, viagens e eletrônicos. Os sorteios são realizados de acordo com as regras estabelecidas no contrato. Assim como a questão das contribuições, os sorteios podem ocorrer mensalmente, trimestralmente ou em outras periodicidades. Cada título tem as suas particularidades. No entanto, é importante ressaltar que o valor total investido no título de capitalização não é completamente rentabilizado. Esse é um ponto que poucas pessoas comentam sobre título de capitalização, mas que faz total diferença... Para que você entenda, uma parte do dinheiro é destinada aos sorteios e aos custos administrativos da instituição financeira. Assim, embora seja possível resgatar o valor investido ao final do prazo, o rendimento é geralmente inferior a outras opções de investimento - mas falaremos sobre isso logo mais. Novamente, em tese, muitas pessoas comentam que os títulos de capitalização podem ser interessantes para pessoas que têm dificuldade em poupar dinheiro de forma disciplinada. Já que, se formos ver, ao fazer um título de capitalização, você realmente assume um compromisso. Dessa forma, as suas contribuições periódicas são obrigatórias. Agora que você entendeu o conceito do título de capitalização e a logística dele, é interessante falarmos mais sobre como eles funcionam na prática.

Como funcionam os títulos de capitalização?

Partindo agora para a questão prática dos títulos de capitalização, vemos que eles são super simples - principalmente para aquelas pessoas que não foram educadas financeiramente ou nunca viram outras modalidades de investimentos. Por sinal, essa é uma questão que faz com que muitas pessoas acabem recorrendo a esse tipo de título. A facilidade e o dinamismo que ele traz, chama muita atenção das pessoas. Para que você tenha uma ideia, para investir em um título de capitalização, uma pessoa precisa passar por apenas algumas etapas:

Análise do Título

No mercado de títulos de capitalização, vemos que uma série de opções a serem escolhidas. Isso faz com que, antes de contratar, a pessoa que está querendo investir neste tipo de título deverá fazer uma breve seleção para ver qual atende melhor as necessidades dela. Dessa forma, o interessado em adquirir um título de capitalização deve escolher entre as opções disponíveis oferecidas pela instituição financeira de sua preferência. Vale lembrar que essa análise prévia é importante para que ele tenha uma visão geral de onde está colocando o seu dinheiro. Lembrando que ter um título de capitalização é uma obrigação. Logo, o ideal é que ele faça uma escolha que não irá se arrepender posteriormente... Um outro ponto válido a ser ressaltado é que cada título possui características específicas. Entre as alterações que podemos ver de título para título, temos a questão do valor do prêmio, periodicidade das contribuições, prazo de vigência e sorteios. Todos esses pontos devem ser muito bem analisados por quem deseja investir em um título de capitalização.

Contratação

Após ter uma decisão tomada acerca do título que deseja investir, é preciso achar uma instituição financeira que tenha um título nos moldes que você busca. Com isso, aqui no Brasil, temos muitas instituições que possuem títulos de capitalização. Entre elas, podemos destacar algumas, bem como os principais bancos aqui do Brasil. O ideal é que, para quem gosta deste tipo de investimento e deseja investir em um título de capitalização, é de suma importância analisar a instituição que está por trás do título. É crucial que você busque por uma instituição reconhecida no mercado e que tenha um histórico positivo. Evite instituições que não são tão consolidadas.

Pagamento do Prêmio

Depois de escolher a instituição e o título que você irá investir, é preciso realizar o pagamento do prêmio. O prêmio, caso você não lembre, é aquele pagamento inicial que você deverá fazer ao título - como comentamos no início deste nosso conteúdo. Não podemos destacar qual será o valor do seu prêmio, tendo em vista que ele irá variar de título para título. Mas, como você já deve imaginar, geralmente este valor do prêmio costuma ser relativamente maior do que o valor das parcelas mensais que você pagará. Na linguagem popular, podemos chamar este prêmio de "entrada". No caso, será a entrada que você fará no título.

Contribuições Periódicas

Com o prêmio devidamente pago, é interessante que você se atente e se planeje em relação as contribuições periódicas. Essas contribuições serão as que você terá que pagar de forma recorrente. Após o pagamento do prêmio inicial, você terá que se comprometer a realizar contribuições periódicas ao longo do prazo - conforme foi estabelecido no seu contrato. Lembrando que essas contribuições podem ser mensais, trimestrais ou anuais. Para não ter erro, é de suma importância que você se planeje bem para conseguir pagar todas as contribuições em dia, sem atrasar. Lembrando que, se você escolheu investir em título de capitalização, é porque esse valor futuramente lhe trará um bom retorno - por isso, leve como compromisso.

Sorteios

Entrando agora em uma das questões mais polêmicas que temos, vemos que há a parte dos sorteios. Os sorteios são polêmicos porque, de um lado, eles geram uma certa emoção a pessoa que está investindo no título. Contudo, como bem foi ressaltado na parte de "o que é um título de capitalização", os valores que serão usados para pagar os sorteios saem dos seus aportes - junto com as contribuições para a administradora do título. É claro que cada título tem as suas particularidades, então pode ser que no título que você esteja investindo seja diferente. Contudo, via de regra, é assim que a grande parte funciona. Portanto, é importante que você tenha essa consciência de que o sorteio é contribuído por você. Nesse caso, durante o período de vigência do título de capitalização, ocorrerão os sorteios. A frequência e os prêmios dos sorteios são definidos no contrato. Portanto, se você quer saber a periodicidade que acontecerão eles, é importante atentar-se ao seu contrato. Os clientes concorrem aos sorteios de acordo com as regras estabelecidas, que podem envolver números, combinações, sequências ou qualquer outro critério definido pela instituição financeira. Por isso que, para não ficar com dúvidas nesse ponto, nós sugerimos que você veja o contrato e, caso tenha dúvidas, tire-as com a instituição que você está contratando o título. É muito importante estar por dentro de cada detalhe do seu título de capitalização.

Resgate

Chegando agora na última e mais importante etapa, temos a questão do resgate. Sem dúvidas esse é o momento em que os investidores mais esperam ao começar um título de capitalização. Dessa forma, ao final do prazo estabelecido no contrato, o cliente tem direito a resgatar o valor investido. Lembrando que esse valor é acrescido dos rendimentos gerados pela taxa de juros. Mas, aqui vem um ponto que, para muitos, pode ser a quebra de um sonho: a rentabilidade de um título de capitalização costuma ser inferior a outras opções de investimento - até mesmo da poupança, que é um dos piores lugares para você colocar o seu dinheiro. Diferente do que muito se fala por  aí, ao final do título, você até receberá um juros, mas ele é muito inferior a outras modalidades. Mas calma, agora, lhe explicaremos exatamente o porquê não vale a pena investir em títulos de capitalização e quais são as outras opções que você tem à sua disposição...

Afinal, não vale a pena investir em Título de Capitalização?

Com base em tudo que comentamos antes, não, não vale a pena investir em títulos de capitalização. Não temos nada contra este formato de investimento, mas, comparado com outras oportunidades que temos no mercado financeiro, consideramos que o título de capitalização é, sem dúvidas, umas das piores. Apenas para que você tenha uma noção, o título de capitalização ele é um investimento que traz um juros que geralmente é atrelado a Taxa Referencial (TR). Só para que você tenha uma noção, hoje, a taxa referencial está na casa dos 0,08%. Então, imagine que, você ficará colocando um dinheiro todos os meses em título de capitalização, mas, ao final do período, ele terá sido corrigido a um valor mísero. Óbvio que a taxa referencial pode sofrer alterações e aumentar, mas, no cenário de juros do Brasil, não faz o menor sentido aplicar em títulos de capitalização. Nós sabemos que existem algumas pessoas que falarão que os títulos de capitalização são uma forma de fazer com que a pessoa não gaste o dinheiro. Isso realmente é verdade. Tendo um valor obrigatório a ser aplicado por mês, não podemos negar que, pelo menos, ao final do período, você terá juntado uma quantia. Contudo, ainda sim, não compensa investir neste tipo de título. Se o seu objetivo for deixar o dinheiro parado, sem o risco de você retirá-lo, há opções melhores - como é o caso de LCIs de prazos longos, por exemplo. Onde você terá aplicado e só poderá resgatar depois de um determinado tempo. Mas, não se preocupe, mais a frente iremos lhe mostrar algumas alternativas de investimento que podem fazer mais sentido. Agora, para terminarmos de comentar sobre o título, é preciso falar sobre a questão dos sorteios.

Os sorteios valem a pena?

Uma justificativa clara que as pessoas podem usar em relação ao título de capitalização é a questão dos sorteios. Bom, realmente acontecem sorteios. O tempo que leva para que eles ocorram, depende muito do seu título. Mas, mesmo se formos considerar que os sorteios acontecem com uma grande frequência, não dá para dizer que isso mudará muito a sua rentabilidade. Com a baixa correção que os títulos tem, mesmo que você ganhe um sorteio, é bem provável que o valor não compense ao final do prazo - comparando com outros investimentos disponíveis no mercado. Além disso, matematicamente, não faz sentido que você conte com um resultado de um sorteio para saber se a sua rentabilidade será boa ou não. Tendo em vista que há opções melhores e mais garantidas no mercado. Dessa forma, falando nessas opções, agora, destacaremos três alternativas de investimentos que são muito melhores que títulos de capitalização e que contam com um risco extremamente baixo.

Opções de Investimentos Melhores que Títulos de Capitalização

Antes de propriamente entrarmos nas três opções de investimentos que são melhores que títulos de capitalização, gostaríamos de ressaltar que este conteúdo não é uma recomendação de investimento. Nosso objetivo aqui é apenas fazer com que você consiga conhecer opções de investimentos que rendem mais que título de capitalização e que podem lhe atender bem no dia a dia. Cabe a você analisar cada uma delas e ver qual atende mais às suas necessidades.

LCI

Começando com as opções de investimentos que são melhores que títulos de capitalização e que contam com um baixo risco, temos os LCIs e LCAs. Antes de falarmos o porquê consideramos elas como alternativas melhores, é preciso comentarmos mais sobre o conceito de cada uma das siglas. Começando pelo LCI, vemos que a Letra de Crédito Imobiliário (LCI) é um título de renda fixa emitido por instituições financeiras que tem como objetivo captar recursos para o financiamento do setor imobiliário. Desse modo, essa é uma forma de investimento considerada conservadora, uma vez que é garantida por créditos imobiliários. No funcionamento da LCI, o investidor empresta dinheiro ao banco ou instituição financeira emissor, que utiliza os recursos para conceder empréstimos para o setor imobiliário. Em troca, o investidor recebe juros ao longo do período de investimento. Ao final do prazo estabelecido, o valor principal é devolvido ao investidor. Antes de falarmos sobre o quanto o LCI te dá de retorno, é importante falarmos também sobre o LCA...

LCA

O LCA ou Letra de Crédito do Agronegócio também é um título de renda fixa emitido por instituições financeiras e que, diferente do LCI, tem como objetivo financiar o setor de agronegócio. Assim como a LCI, é um investimento considerado conservador. De uma forma extremamente parecida com LCI, no LCA, o investidor irá emprestar dinheiro ao banco emissor que utiliza desse capital para realizar empréstimos para o setor do agronegócio. Como investidor, ao final do prazo combinado, você terá o valor investido + um juros combinado previamente. Em relação ao tal juros, tanto para o LCI, quanto para o LCA, vemos que geralmente esse juros é relacionado ao CDI. Então, analisando as opções de mercado, é muito comum que você veja LCIs e LCAs rendendo 95% do CDI, 98% do CDI...

Quanto rende?

Para quem não sabe, o CDI rende 0,10% a menos que a taxa Selic. Logo, para saber quanto renderá, primeiro precisamos ver o CDI. A depender do momento em que você estiver lendo este conteúdo, é bem provável que a taxa esteja diferente. Mas, pegando o mês de Junho de 2023, onde temos uma taxa selic a 13,75%, vemos que o CDI é de 13,65%. Dessa forma, se baseando nessa taxa de juros, um LCI de 95% do CDI renderia aproximadamente 12,96%. Comparado a títulos de capitalização que são corrigidos a uma Taxa Referencial que, atualmente está em 0,10%, vemos que há uma absurda diferença no quanto você ganhará ao final do período. Sobre os prazos, geralmente encontramos LCIs e LCAs com prazos a partir de 90 dias. Mas, existem opções bem mais extensas. Finalizando essa questão dos LCIs e LCAs, vemos outros dois benefícios muito nítidos nesse tipo de investimento. O primeiro é que ele é isento de imposto. Dessa forma, além de conseguir um ótimo rendimento, você ainda não terá que pagar nada de imposto - o que sem dúvidas é uma vantagem fenomenal. A segunda questão é em relação a proteção deste tipo de investimento. Tanto o LCI, quanto o LCA, são investimentos protegidos pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC) - que faz com que, até a quantia de R$250.000,00, o investidor esteja protegido. Analisando todos esses pontos, vale a pena você dar uma olhada com calma nesses investimentos.

Tesouro Direto

Indo agora para a segunda opção de investimento que é bem melhor que título de capitalização, temos o famoso Tesouro Direto. O investimento em renda fixa mais conhecido do Brasil. Por sinal, este também é o investimento mais seguro do país. Investindo no tesouro direto, você acaba realizando um investimento atrelado à taxa básica de juros (Selic). Contudo, ao começar a analisar investimentos no Tesouro, você notará que há uma série de opções. Existem opções com uma taxa de juros pré-fixada, outras pós-fixada... O grande ponto é que, independente de qual você escolher, não temos dúvidas que as chances de render mais que o título de capitalização são altíssimas. Inclusive, para aqueles que querem saber mais sobre investimentos em tesouro direto, aqui no Investidor10, temos diversos conteúdos falando mais sobre como construir uma boa carteira de renda fixa. Vale a pena você conferir. Voltando para a questão do tesouro, é importante explicarmos mais a questão de pré e pós-fixada. No pré-fixado, você fará o seu investimento com uma taxa de juros já pré-definida. Dessa forma, antes mesmo do resgate, você já tem uma ideia de quanto o seu investimento trará de retorno. No caso do pós-fixada, a taxa pode flutuar. Por exemplo, você pode pegar um título que seja de 1 ano rendendo a taxa selic. Contudo, nesse intervalo, a taxa selic pode acabar flutuando, fazendo com que a sua rentabilidade não seja a mesma do momento em que você realizou o aporte. Já no caso da pré-fixada, isso não ocorreria, já que antes de investir, você já sabe qual será o juros. Para quem busca por investimentos conservadores, vale muito a pena analisar o Tesouro Direto. Um ponto relevante também é que existem títulos com vários prazos. O que é algo muito positivo.

CDB

Por último, vamos falar dos CDBs, os queridinhos dos investidores conservadores. CDB ou Certificado de Depósito Bancário é uma modalidade de investimento em renda fixa onde você, investidor, estará emprestando dinheiro para um banco / instituição financeira. Este é um formato de investimento muito querido porque há uma grande gama de prazos, rentabilidade - o que permite que você tenha acesso a um grande leque de ativos. O CDB ele é relacionado ao CDI, aquela taxa de juros que falamos lá no início. Hoje, no mercado, você encontra vários CDBs que rendem 100% da Taxa CDI ou até mais. Dessa forma, também há CDBs de curtíssimo prazo, como é o caso dos CDBs de Liquidez Diária. Como também existem CDBs de longo prazo, podendo até mesmo passar de 1 ano... Assim como o LCI e LCA, os investimentos em CDBs são protegidos pelo FGC. Portanto, além de estar investindo com uma boa taxa de juros, você ainda tem uma segurança. Antes de sair, não deixe de conferir outros conteúdos do nosso blog.