ROE, ROIC E ROA são indicadores semelhantes e que costumam gerar bastante dúvida e confusão entre os investidores, sobretudo para aqueles que investem a pouco tempo em ações.

Sendo assim, o Investidor 10 preparou este conteúdo super especial, onde explicamos em detalhes o conceito, a forma de cálculo e o que cada um destes indicadores pode dizer para os investidores.

ROE, ROIC e ROA, fazem parte do conjunto de indicadores fundamentalistas, técnica que é utilizada pelos mais bem sucedidos investidores do mundo para tomada de decisões sobre seus investimentos em ações. 

Por sinal, com base na análise fundamentalista é possível ser muito mais assertivo ao investir em ações, reduzindo riscos e maximizando ganhos.

Por que investir em empresas com indicadores duvidosos, se podemos investir nas melhores empresas do mercado? Mas, afinal, quais são as melhores empresas do mercado? 

Essa pergunta só você mesmo pode responder, analisando os principais números e indicadores de cada empresa.

É exatamente com esse objetivo, o de ajudar você investidor a ser mais assertivo e independente nas suas escolhas que o Investidor 10 disponibiliza gratuitamente os indicadores fundamentalistas das principais empresas negociadas na Bolsa de Valores e uma série de conteúdos educativos gratuitos.

Sem mais, vamos ao que realmente interessa, entender o que os indicadores ROE, ROIC e ROA podem nos dizer.

O que é ROE?

O que é ROE?
Homem analisando o grafico – Foto: Freepik

A sigla ROE, tem origem no termo em inglês, “Return on Equity”, que ao ser traduzido para o português pode ser interpretado como “Retorno sobre o capital.”

Em síntese, esse indicador busca demonstrar para os investidores e analistas, o quanto uma empresa é capaz de gerar valor para ela mesma por meio dos seus próprios recursos.

O ROE é um dos mais importantes indicadores da análise fundamentalista, principalmente para aqueles que preferem investir em empresas com alta rentabilidade e excelente histórico como pagadora de dividendos.

Um ROE elevado, indica que a empresa em questão possui alta rentabilidade e um interessante potencial para gerar receitas com o dinheiro dos acionistas. Em geral, empresas que apresentam um bom ROE, são lucrativas e em virtude disso valorizadas no mercado.

Como calcular o ROE?

Para calcular o ROE de uma empresa, utilizamos a seguinte expressão:

ROE = Lucro Líquido / Patrimônio Líquido

Vamos a um exemplo para facilitar o aprendizado.

Empresa ABC: 

Lucro Líquido nos últimos 12 meses: R$ 50 milhões

Patrimônio Líquido (no mesmo período): R$ 250 milhões

ROE = R$ 50 milhões / R$ 250 milhões = 0,20 ou seja, 20%

Isso quer dizer que a cada R$ 1.000,00 do patrimônio Líquido, a empresa consegue gerar R$ 200,00 em lucro, o que por sinal, seria um excelente resultado.

Para ser mais assertivo nos seus investimentos e assim evitar prejuízos, tenha preferência por empresas com potencial para geração de valor e que aufiram um ROE de ao menos 15% ao ano.

É importante destacar também, que em alguns casos o ROE pode ser negativo, o que demonstra que ou o patrimônio líquido ou o lucro líquido são negativos, ou pior ainda, ambos podem ser negativos. 

Fuja de empresas que possuem ROE negativo. O indicador ROE negativo, indica falta de rentabilidade e prejuízo!

Para análises mais eficientes, procure também sempre realizar comparações com empresas do mesmo setor. 

Olhando para as empresas do setor energético, por exemplo, qual delas possui o maior ROE? Esse pode ser um importante diferencial competitivo e critério de desempate ao realizar as suas escolhas como investidor.

Mas, lembre-se uma boa análise fundamentalista não pode levar em consideração apenas um indicador, portanto aproveite o nosso comparador de ações e avalie outros indicadores importantes. 

Faça as suas comparações de forma rápida e objetiva com o nosso comparador de ações, clicando aqui.

Não vai sair por aí calculando indicador por indicador. Lembre-se, você tem todos eles à disposição aqui no Investidor 10!

Aqui no blog do Investidor 10, temos uma área para tratar exclusivamente sobre indicadores fundamentalistas, clique aqui para estudar e aprender cada vez mais sobre outros indicadores.

O que é ROIC?

O que é ROIC?
Desenho de homens e mulheres trabalhando – Foto: Freepik

O termo ROIC vem da sigla em inglês “Return on Invested Capital” ou “Retorno sobre o Capital Investido” em uma tradução para a língua portuguesa.

Por meio do ROIC, podemos medir o quanto uma empresa é capaz de gerar lucros, levando em consideração o dinheiro injetado em seus negócios por investidores e terceiros, como por exemplo, por meio da emissão de debêntures, empréstimos e financiamentos.

Diferentemente do ROE, estudado nos tópicos anteriores e que leva em consideração os recursos próprios de uma empresa, o ROIC avalia o quanto uma companhia consegue ser eficiente levando em conta os recursos de terceiros.

Como calcular o ROIC?

Antes de calcularmos efetivamente o ROIC, é importante compreender o significado da sigla “NOPLAT”, presente na fórmula deste importante indicador. O termo NOPLAT, vem também de um termo em inglês, “Net Operating Profit After Taxes.” que em uma tradução para a língua portuguesa representa o “Lucro Operacional Líquido após os Impostos.

Vale destacar, que também é possível encontrar o valor de NOPLAT, subtraindo os impostos do EBIT, que por sinal é um dos indicadores mais importantes de uma empresa.

Essa informação, pode ser encontrada no balanço das empresas listadas na Bolsa de Valores, que vale lembrar, você pode consultar aqui no Investidor 10.

Para calcular o ROIC de uma empresa, utilizamos a seguinte expressão:

ROIC = NOPLAT/Capital total investido

Vamos a um exemplo para facilitar o aprendizado.

Empresa ABC: 

NOPLAT: R$ 5 milhões

Capital total investido: R$ 50 milhões

ROIC = R$ 5 milhões / R$ 50 milhões = 0,10 ou seja, 10%

Isso quer dizer que ao considerar o capital investido por terceiros, a empresa em questão conseguiu gerar um retorno de 10% das receitas.

Vale destacar, que em geral, considera-se que a empresa possui um bom ROIC, quando este indicador for maior que 2%. Logo, quanto maior for o ROIC de uma empresa, maior a sua capacidade de gerar valor com o capital de terceiros.

Também é importante ressaltar, que empresas com ROIC abaixo de 2% estão se autodestruindo em relação ao tempo e podem ser um grande risco para os investidores.

Mais uma vez, recomendamos que você avalie o ROIC, por meio de comparações entre empresas do mesmo setor e ainda assim em conjunto com outros indicadores, objetivando obter uma visão completa do negócio, evitando também conclusões distorcidas.

O que é ROA?

O que é ROA
Pessoa fazendo desenho de uma seta – Foto: Freepik

Por fim, temos o ROA, indicador que também tem origem em um termo em inglês, o termo “Return on Asset”, que em uma tradução para a língua portuguesa representa o “Retorno sobre o Ativo.”

O objetivo do ROA é medir e demonstrar a rentabilidade e capacidade de geração de lucro total de um ativo dentro de uma empresa. Logo, este indicador utilizará como base o valor dos ativos demonstrados no seu balanço patrimonial.

Para uma avaliação mais assertiva, também é importante avaliar o ROA por meio de comparações com empresas do mesmo setor. Considere que empresas com maior ROA, costumam ser mais lucrativas.

Como calcular o ROA?

Para calcular o ROA de uma empresa, utilizamos a seguinte expressão:

ROA = Lucro Líquido / Ativo Total x 100

Vamos a um exemplo para facilitar o aprendizado.

Empresa ABC: 

Lucro Líquido nos últimos 12 meses: R$ 50 milhões

Ativo Total x 100: R$ 250 milhões

ROA = R$ 50 milhões / R$ 250 milhões = 0,20 ou seja, 20%

Mais uma vez, ressaltamos que assim como nos demais indicadores estudados nesse conteúdo quanto maior o resultado apresentado pelo indicador ROA, melhor. Isso significa que a empresa consegue transformar parte dos seus ativos em lucro.

Por outro lado, uma ROA negativo, pode indicar prejuízos, dívidas e baixo volume de ativos, o que definitivamente não é um bom sinal.

Qual a diferença entre ROE, ROIC E ROA: Considerações Finais

Qual a diferença entre ROE, ROIC E ROA
Seta se apoiando em sacola de dinheiro – Foto: Freepik

Como podemos estudar e observar ao longo deste conteúdo, ROE, ROIC e ROA, são indicadores que possuem algo em comum, medir a capacidade de retorno de uma empresa, levando em consideração um determinado parâmetro, são eles:

  • ROE: Considera o retorno sobre o capital próprio.
  • ROIC: Considera o retorno sobre o capital de terceiros.
  • ROA: Considera o retorno sobre os ativos totais da empresa.

Em síntese, todos estes indicadores possuem a capacidade de demonstrar para o investidor, por meio de óticas diferentes o quanto lucrativa e capaz de gerar valor é uma empresa.

Se pudéssemos resumir uma forma de avaliação para ROE, ROIC e ROA, diríamos que o investidor deve evitar empresas com qualquer um destes indicadores negativo. 

Também é interessante que em uma análise comparativa entre empresas do mesmo setor, o investidor tenha preferência por aquelas que possuem maior ROE, ROIC e ROA.

Quando estes indicadores estão elevados, podemos dizer que a empresa é bem administrada e capaz de gerar valores para si própria e rentabilidade para os seus investidores.

Após compartilhar todo esse conhecimento, chegamos ao final deste importante conteúdo. Esperamos que com ele, possamos contribuir para que as suas análises como investidor em ações sejam mais assertivas.

Se você gostou deste conteúdo, queremos convidar você a continuar acompanhando o nosso blog e também a curtir e seguir as nossas redes sociais.

Utilize os indicadores fundamentalistas do Investidor 10 e avalie gratuitamente o ROE, o ROIC e o ROA das principais empresas listadas na Bolsa de Valores!

Ficou com alguma dúvida, relacionada a este conteúdo? Nos envie o seu comentário!

Até a próxima!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui