Quais são os Ativos com os Maiores Dividend Yield?

Author
Publicado em 25/09/2023 às 16:07h - Atualizado 9 meses atrás Publicado em 25/09/2023 às 16:07h Atualizado 9 meses atrás por Redação
Dividend Yield
Dividend Yield

Quais são os ativos com os Maiores Dividend Yield?

Você sabe quais são os ativos com os maiores Dividend Yield? Se você está querendo começar a investir em ativos que têm um bom dividend yield, mas ainda não encontrou boas opções, saiba que este nosso conteúdo foi feito para você. Hoje, nós lhe explicaremos exatamente quais são os ativos que contam com os maiores DY e como você pode montar uma carteira de dividendos usando eles. Mas, antes de começarmos, não deixe de compartilhar este conteúdo em suas redes sociais e com os seus amigos que também querem começar a investir em ativos de alto DY. Agora, vamos lá!

O que é Dividend Yield?

Como primeiro ponto a ser abordado, é preciso que você entenda o que é o Dividend Yield. Dividend Yield, se fôssemos levar em uma tradução livre, seria algo parecido com 'Rendimento de 'Dividendos'. Para o mercado financeiro, o Dividend Yield, ou DY, é um conceito que visa mostrar aos investidores quanto um ativo paga de dividendo ao ano. De tal forma que, ao analisar este indicador, você consiga ter uma noção se a empresa em questão é uma boa pagadora de dividendos ou se é mais uma empresa de growth. Dessa forma, é interessante ter em mente que, para quem é investidor de longo prazo, o Dividend Yield possivelmente será um dos indicadores mais abordados. Apenas para você entender como este indicador é calculado, a fórmula dele consiste em:

  • Dividendo Anual por Ação / Preço por Ação * 100%

Assim, aplicando essa fórmula, nós conseguimos ter uma noção do quanto uma empresa tem de Dividend Yield anualmente. Apenas para que você veja como este indicador é calculado na prática, vamos para um exemplo de como calcular o Dividend Yield:

Calculando o Dividend Yield de um Ativo

Vamos imaginar que você é um investidor que está analisando um determinado ativo financeiro, seja ele uma ação ou um fundo imobiliário, por exemplo. Com isso, o seu objetivo é ter uma noção do quanto o ativo está pagando em dividendos e se vale ou não a pena investir nele. Dessa forma, fazendo uma análise do ativo, você notou que ele está pagando em média R$4,50 de dividendos ao ano. Apenas para exemplificarmos, imaginando que seja uma ação de uma empresa, vamos supor que ela esteja custando aproximadamente R$57,00. Logo, o quanto a empresa paga anualmente o acionista é R$4,50 e quanto ela custa por ação é R$57,00. Tendo esses números em mãos, basta aplicarmos à fórmula. Com isso, ficaria da seguinte forma:

  • Dividend Yield = 4,50/57 *100%
  • Dividend Yield = 0,078 *100%
  • Resultado = Dividend Yield = 7,8%

Com base no resultado, podemos ver que este é um ativo financeiro que traz um dividend yield próximo aos 8% ao seu investidor. Há muitas variáveis e controversas sobre o que seria uma média de dividendos anuais interessante para uma carteira previdenciária. Existem investidores que defendem uma tese de que, passando de 5% anuais. Entretanto, em meio a isso, existem outros investidores que defendem uma tese mais agressiva, acreditando que os ativos devem ter um DY acima de 7%. Mas, apenas para que você não fique sem um norte do que é uma média boa, nós podemos considerar que passando de 6% de DY, já é um ponto positivo pra investidores de longo prazo. Falando nisso, agora, mostraremos como você pode ter um fluxo financeiro com os seus investimentos.

Como ter um fluxo financeiro com os seus investimentos?

Como o nosso foco neste nosso conteúdo é falar sobre quais são os ativos com os maiores Dividend Yield, imaginamos que você seja um investidor buscando por ativos que trazem renda. Mas, nós sabemos que com tanta variedade de ativos e opções no mercado, ao primeiro momento, pode ficar difícil ter um fluxo financeiro relevante com os seus investimentos. Principalmente quando os seus aportes ainda não são tão altos. É por isso que, visando começar a ter um fluxo de entradas de dividendos, nós sugerimos que você comece a estudar sobre três classes de ativos: Fundos Imobiliários, Ações boas pagadoras de dividendos e empresas de crescimento. Mesmo pro investidor que está aportando um valor baixo todos os meses, vemos que é possível construir uma boa carteira de investimentos com esses três ativos. Falando primeiro sobre os fundos imobiliários, vemos que esses são fundos que investem no setor imobiliário e que possuem uma característica fantástica: a imensa maioria dos fundos imobiliários costuma pagar dividendos todos os meses. O que significa que, para o investidor que busca por uma renda, pode ser uma opção excelente de ativos. Esse é um ativo que, para quem visa um fluxo financeiro, é bastante viável. Junto a eles, temos as clássicas ações. Uma classe de ativos bastante requisitada e que, para os investidores, é muito conhecida. Contudo, visando fluxo financeiro, vemos que é preciso ter cuidado com as ações. Não são todas as ações que costumam trazer um bom dividend yield e, no caso, uma boa remuneração ao acionista. É para isso que, falando sobre os ativos que trazem os maiores DY, é preciso distinguir as ações de dividendos e as ações de growth.

Investir em ativos de Dividend Yield ou de Growth?

Agora, queremos lhe mostrar duas classes de ações - uma que traz mais dividend yield pro acionista - e outra que tem como principal foco o crescimento e a valorização dos seus ativos. Logo, essa segunda classe costuma não remunerar no curto prazo, mas pode fazer o acionista ganhar a médio/longo prazo com a sua valorização. Para quem está construindo uma carteira com foco em renda, é preciso saber diferenciar essas duas classes. Então, vamos ver agora as diferenças entre Growth e DY

Ativos de Dividend Yield

Se você chegou até aqui, é bem provável que você seja o investidor que tem perfil para comprar ações com altos rendimentos de dividendos. Ou o que chamamos de 'ativos bons pagadores de dividendos'. Na prática, investir em ativos com alto Dividend Yield nada mais é doq ue adquirir ações de empresas que têm o hábito de distribuir uma parcela significativa de seus lucros aos acionistas na forma de dividendos. Falamos de empresas, mas nada impede que esses sejam ativos de fundos. Contudo, no mercado financeiro, quando comentamos sobre ativos de alto DY, a maior tendência é que seja referente às ações. Essa é uma classe de ativos que, para carteiras previdenciárias ou de renda, pode ajudar bastante. Diferente dos fundos imobiliários, que costumam pagar mensalmente, as ações podem ter períodos diferentes para distribuir seus dividendos. Existem empresas que distribuem trimestralmente, outras semestralmente e, por fim, algumas que distribuem anualmente. Entendendo isso, é preciso entender algumas das características que esses ativos de alto DY costumam ter:
  1. Fluxo de Renda Passiva: Esses ativos proporcionam uma fonte confiável de renda passiva, uma vez que os dividendos são pagos regularmente. Isso pode ser atraente para investidores que buscam renda consistente, como aposentados, por exemplo.
  2. Estabilidade: Empresas que pagam dividendos tendem a ser mais maduras e estáveis, o que pode reduzir a volatilidade da carteira de investimentos. Isso acontece principalmente porquê boa parte delas são de setores perenes. Mas, não se preocupe, mais a frente explicaremos melhor sobre essa questão dos setores.
  3. Reinvestimento: Um dos fatores positivos desses ativos de alto DY é que eles permitem que seus investidores tenham um fluxo de caixa para reinvestimento. No caso, eles propiciam que os investidores consigam usar os dividendos para reinvestir e, assim, crescer sua posição ainda mais.

Ativos de Crescimento (Growth)

Agora que entendemos como funciona a classe de ativos de dividendos, precisamos contrabalancear. No caso, é importante falarmos sobre os ativos de Growth. Os dividendos são ótimos, mas eles não são a única maneira de ganhar dinheiro com ações. Assim, investir em ativos de crescimento envolve a compra de ações de empresas que reinvestem a maior parte de seus lucros para financiar o crescimento e expansão. De tal forma que, reinvestindo fortemente no negócio, elas tendem a crescer. Muitas vezes, essas empresas de growth são negócios pequenos/médios, que estão focados em aumentar o seu valor de mercado. No mercado financeiro, vemos que uma boa parcela das empresas de Growth são small caps ou midcaps. Portanto, entendendo o conceito, vamos ver algumas das características dos ativos focados em DY.
  1. Potencial de Valorização: De uma forma um pouco diferente das empresas altamente pagadoras de dividendos, vemos que os negócios de Growth costumam ter mais capital para reinvestir. Afinal, por não distribuir pro acionista, sobra mais capital a ser reinvestido. Com isso, empresas de crescimento têm o potencial de ver suas ações valorizarem significativamente à medida que expandem seus negócios e aumentam os lucros. Na prática, isso significa que, com o tempo, elas conseguem ir crescendo e se valorizando. Ao acionista, essa valorização pode ser vista no aumento do valor da ação. O que gera uma valorização e, em um momento de venda, o investidor conseguirá realizar o seu lucro.
  2. Menos Rendimento Atual: Como contrapartida, por reinvestirem agressivamente, essas empresas acabam pecando na questão da distribuição. De tal forma que essas empresas geralmente não pagam dividendos substanciais, o que significa que os investidores podem não receber uma fonte imediata de renda passiva. É preciso ter isso em mente na hora de investir em ativos de growth.
  3. Maior Risco: Como última questão e que também é um grande ponto de alerta, é preciso ter consciência dos riscos envolvidos. Empresas de crescimento muitas vezes são mais voláteis e arriscadas. Isso acontece principalmente porquê, por serem empresas pequenas e médias, muitas vezes o grau de endividamento delas é alto - sempre visando o crescimento. Essa é uma realidade de muitas startups, por exemplo. Empresas desse tipo costumam pegar muito capital, seja emprestado ou através da venda de participação, visando crescer. Mass, caso o projeto não saia como o esperado, a queda pode ser alta.
Entendendo isso, podemos concluir com um ponto importante: Entre essas duas classes de ações, para aqueles investidores que chegaram até aqui buscando por ativos que gerem renda, a tendência é que as ações de alto dividend yield seja uma opção mais assertiva. Contudo, até para escolher ações altamente pagadoras, é preciso ter alguns cuidados. Um desses grandes cuidados é em relação ao setor que ela está inserida. Por isso, agora, vamos entender quais são os setores que abrigam as ações com os maiores Dividend Yield.

Setores com Altos D.Y

Se você estudou o mercado de ativos que pagam dividendos, é bem provável que você já viu conteúdos comentando sobre determinados setores que contam com uma distribuição boa e com empresas sólidas. Em meio disso, como o nosso foco aqui no Investidor10 não é gerar recomendação de ativos, mas sim incentivar para que você estude mais sobre determinadas áreas, vamos lhe mostrar quatro setores que podem ser promissores para quem busca por dividendos. São eles:

Bancos

Quando se trata de investir em setores com alto Dividend Yield, os bancos muitas vezes surgem como uma escolha atraente para os investidores em busca de uma fonte estável de renda passiva. Os bancos são instituições financeiras que tradicionalmente distribuem uma parte substancial de seus lucros aos acionistas na forma de dividendos. Dessa forma, assim como fizemos com a classe de ações, vamos entender algumas das características que tornam o setor bancário atrativo. 1. Lucratividade Sólida: Como primeiro grande fator, temos a lucratividade sólida. Os bancos são conhecidos por gerar lucros sólidos por meio de várias atividades financeiras, como empréstimos, serviços bancários e investimentos. Essa lucratividade muitas vezes se traduz em uma capacidade consistente de pagar dividendos a seus acionistas. Na prática, podemos ver isso do ponto de vista de perenidade nas receitas. Em casos positivos, até mesmo um crescimento constante nas receitas dos bancos. 2. Modelo de Negócios Estável: Uma outra questão fantástica envolvendo os bancos está no modelo de negócio deles. Os bancos geralmente operam em um ambiente de negócios estável, com uma base de clientes sólida e demanda constante por serviços financeiros. Além disso, diferente de outros setores, o setor bancário costuma não ter uma grande rotatividade de serviços. Geralmente os bancos se mantém prestando os mesmos serviços. Tal característica é mais um ponto relevante da perenidade desses ativos. Isso contribui para a previsibilidade dos lucros e, consequentemente, dos dividendos. 3. Regulação Financeira: Uma questão não muito comentada, mas muito positiva, é a questão da regulação e auditoria que esse setor passa. A regulamentação rigorosa do setor bancário ajuda a manter a estabilidade e a segurança das instituições financeiras. Isso cria um ambiente em que os bancos são incentivados a manter reservas adequadas e práticas sólidas de gestão de riscos, o que, por sua vez, pode fortalecer sua capacidade de se manter estáveis. 4. Histórico de Dividendos: Um aspecto bastante positivo que observamos, muitos bancos têm um histórico de pagamento de dividendos extremamente constante. Pro investidor, isso é um sinal verde e uma demonstração de que a empresa consegue pagar bons dividendos de forma regular, que é algo muito bom. Embora os bancos possam ser uma opção sólida para investidores em busca de alto Dividend Yield, é importante lembrar que esse setor também está sujeito a desafios e riscos. Mudanças nas condições econômicas, taxas de juros e regulamentações podem afetar a lucratividade dos bancos e, por consequência, seus pagamentos de dividendos. Mas, como todo setor, o banco também tem seus pontos negativos. Um desses pontos é a questão de que esse é um setor que as empresas já estão bastante estabelecidas. Logo, é difícil que elas consigam crescer exponencialmente e se multiplicar em valor de mercado. A tendência é que permaneçam no mesmo patamar. Para nós, esse é o grande ponto negativo do setor bancário.

Energia

Saindo do setor bancário e partindo para um outro setor perene, temos o setor de energia. Esse é um setor que, além de ser extremamente lucrativo, acaba sendo um dos setores mais perenes. Isso porque, querendo ou não, a energia elétrica é algo que está presente no nosso dia a dia. Sem ela, dificilmente conseguiríamos viver com qualidade. Além disso, quando se trata de identificar setores com alto Dividend Yield para investimentos, o setor de energia frequentemente se destaca como uma escolha promissora. Empresas de energia, especialmente aquelas envolvidas na exploração, produção e distribuição de recursos energéticos, têm uma tradição sólida de pagamento de dividendos consistentes. Bem como fizemos antes, vamos agora entender algumas das principais características deste setor: 1. Estabilidade da Demanda por Energia: Diferente de outros setores, que costumam ser muito voláteis em relação a sua demanda, vemos que o setor de energia acaba sendo muito estável. Como um setor estável, vemos que a demanda de energia dificilmente passa por volatilidade. Principalmente porquê, a depender da empresa, ela acaba vendendo a sua energia com contratos de longíssimo prazo. Logo, por ser de longo prazo, a tendência é que você não sofra tanto com isso da estabilidade e da demanda. Isso proporciona às empresas de energia uma base sólida para gerar fluxos de caixa estáveis, que podem ser distribuídos aos acionistas na forma de dividendos. 2. Modelo de Negócios Estável: Uma outra questão que se junta com a estabilidade das demandas é a estabilidade desses modelos de negócios. Como destacamos, principalmente nas empresas que atuam com contratos de longo prazo, vemos que as receitas delas tendem a se manter extremamente estáveis. Isso ajuda a manter a estabilidade dos fluxos de caixa e, por sua vez, dos dividendos.

Rendimentos

3. Renda Passiva Atrativa: Tanto pela sua demanda e pelo seu modelo de negócio serem estáveis, vemos que o setor de energia costuma oferecer um dividend yield bastante atraentes em relação a outros setores. Junto ao nosso foco deste conteúdo de falar sobre os ativos com os maiores Dividend Yield, vemos que o fato do setor de energia ter um bom DY é algo que pode encaixar perfeitamente com carteiras previdenciárias. 4. Concorrência Uma questão relativamente complexa do setor energético é a questão da concorrência. Esse é um setor que, como qualquer outro, conta com concorrência. Mas, principalmente para as empresas de energia que atuam com contratos grandes, notamos que é mais difícil que a concorrência interfira nos resultados. Agora, para empresas do setor energético que contam com contratos pequenos ou de médio prazo, aí sim a concorrência pode ter uma influência maior. Entretanto, levando todos esses pontos que comentamos em consideração, é extremamente interessante que você dê uma olhada e analise esse setor. Talvez, ele seja um dos setores que podem compor muito bem a sua carteira previdenciária. Passando deste setor, vamos entender mais sobre o setor de saneamento.

Saneamento

Sendo um dos setores queridinhos dos investidores que buscam por altos dividendos, o setor de saneamento costuma atrair muito bem o público em geral.

O setor de saneamento é frequentemente mencionado como uma escolha sólida. Empresas de saneamento estão envolvidas na prestação de serviços essenciais, como fornecimento de água potável e tratamento de esgoto, e têm um histórico consistente de pagamento de dividendos. Agora, é claro que isso não é uma regra para todas as empresas. Mas, para entender melhor sobre o setor, vamos ver algumas características dele: 1. Demanda Constante e Essencial: No setor de saneamento, a demanda por serviços de saneamento é fundamental e praticamente ininterrupta. As pessoas e as empresas dependem de fornecimento de água limpa e do tratamento adequado de resíduos para manter a saúde pública e o funcionamento adequado da sociedade. Isso cria uma base estável de clientes e receitas para empresas de saneamento. Muito como acontece com o setor de energia, essa demanda constante é extremamente bem vista pelos investidores.
2. Rendimento Atrativo: O setor de saneamento geralmente oferece um Dividend Yield atrativo, que é o que buscamos em carteiras previdenciárias. Logo, se você é um investidor que está procurando por um setor que tenha empresas com um alto dividend yield - faz muito sentido começar a analisar as empresas de saneamento.

Rendimento e Investimentos

4. Baixa Volatilidade Os serviços de saneamento são geralmente resistentes a flutuações econômicas. No caso, contam com uma volatilidade baixa, pois, pelo mesmo fator do setor de energia, as demandas por este setor se mantém muito constantes - de tal modo que, mesmo em crises, as pessoas ainda continuam precisando do setor de saneamento. Independente de qual seja o cenário, as pessoas continuam a usar água e a produzir resíduos independentemente das condições econômicas globais, o que ajuda a manter a estabilidade das receitas das empresas do setor. 5. Potencial de crescimento Uma questão muito interessante é que, mesmo se tratando de um setor bem desenvolvido, ainda há espaço para crescer. Às vezes, pela nossa realidade, acreditamos que o saneamento é algo presente em todo o Brasil. Mas, na prática, é totalmente diferente. Só para que você entenda, em algumas pesquisas, é possível ver que quase metade da população brasileira não tem acesso a coleta de esgoto, por exemplo. Então, imagine a quantidade de casas e de lugares que precisam de saneamento. Tudo isso contribui para que ainda haja espaço para crescer no setor de saneamento. Mas, embora o setor de saneamento seja geralmente considerado uma escolha sólida para investidores em busca de Dividend Yield, é importante realizar uma pesquisa completa e entender a regulamentação específica do setor em diferentes regiões. Além disso, a diversificação da carteira é uma prática sensata para mitigar riscos específicos do setor e manter um portfólio equilibrado, é exatamente por isso que, agora, lhe mostraremos ainda mais um setor de seguros:

Seguros

Para fecharmos os setores que consideramos como atrativos para quem está pensando em dividendos ou, no caso, renda, é preciso falar sobre o setor de seguros. Entre todos os setores que comentamos até agora, nós vemos que o setor de seguros é um caso aparte. Podemos falar isso com tranquilidade porque esse setor tem algumas características que o tornam singular. Como vamos ver logo a seguir, ele conta com todos os pilares positivos de um bom setor para renda. Mas, um ponto que o diferencia bastante de todos os outros setores é que, mesmo sendo focado em renda, ele conta com um potencial de growth bastante elevado. No caso, além de lhe permitir ter uma renda estável e perene, que é o que buscamos sempre, ele também lhe traz a possibilidade de conseguir ter ativos com potencial de valorização. Então, junto à renda, você também consegue ganhar no potencial de valorização das cotas... Falaremos melhor sobre isso: 1. Growth + Renda Todos os setores que falamos até agora podem ter ações que consigam trazer rendimento, junto a valorização da cota. Mas, entre todos eles, vemos que um dos setores que mais tem potencial é o setor de seguros. Mesmo com empresas já estruturadas, vemos que ainda sim elas não estão em um estágio de maturação tão grande quanto os bancos, por exemplo. O que permite que elas consigam ter um potencial de crescimento, ainda que o foco seja a entrega de dividendos. Para aqueles que estão analisando os ativos com os maiores Dividend Yield, muitas empresas de seguros podem surpreender. 2. Baixa Volatilidade Junto a outros setores, vemos que o setor de seguros conta com o benefício de que os seus serviços são pagos, mesmo nos momentos mais difíceis. Além disso, a maioria das pessoas paga um seguro, esperando não precisar usá-lo. Então, você ao mesmo tempo consegue ter um cliente que lhe paga com regularidade, mas que sonha em não ter que acionar o seu serviço. Essa é uma questão que contribui para que o setor de seguros não seja tão volátil. Para quem valoriza perenidade em um setor, esse é um ponto a ser visto. 3. Histórico de Pagamento de Dividendos: No Brasil, temos alguns cases de empresas de seguros que obtiveram complicações e que, por isso, não conseguem entregar muitos dividendos aos acionistas. Mas, isso é algo que pode acontecer em todo setor. Em contrapartida, vemos que a regra do setor de seguros é ter uma boa distribuição. Geralmente esses negócios não chegam perto dos dividendos dos bancos, mas muitas empresas de seguros têm um histórico sólido de pagamento de dividendos. O que, mesmo não sendo tão alto, é importante. Esse compromisso e esse histórico das empresas de seguro com certeza deve ser visto com bons olhos. 4. Diversificação de Portfólio: Como a última característica que taxamos como positiva pro setor de seguros, temos a questão da diversificação de portfólio. Ao buscar por ativos que trazem um bom Dividend Yield, nós precisamos tomar bastante cuidado para não se deixar levar apenas por esse critério. É de suma importância estar atento e olhar também para a maturidade do negócio como um todo. De tal forma, consideramos que um fator que reduz o risco do setor de seguros é a diversificação de portfólio. As empresas desse setor que diversificam o seu portfólio têm uma grande vantagem em relação a mitigar o risco. Neste setor, é possível investir em diversos segmentos envolvendo seguros, bem como: seguro de vida, automóvel, viagem, residencial, patrimonial, entre outros... Desse modo, uma empresa que visa diversificação consegue ter várias vertentes, mesmo atuando em um único setor. Entendendo tudo de setores perenes e que trazem bons DYs, é preciso mostrar dois dos melhores ativos com os maiores Dividend Yield que nós temos na atualidade.

Afinal, quais são os melhores ativos com os maiores Dividend Yield?

Principalmente no mercado de capitais, vemos que há uma grande gama de ativos com altos DY. Mas, para lhe mostrarmos hoje, gostaríamos de comentar apenas sobre dois tipos de ativos que, para quem busca renda, pode interessar bastante. São eles:

Fundos Imobiliários

Começando pelos clássicos fundos imobiliários, vemos que essa é uma modalidade de ativos fantástica. Como já havíamos ressaltado lá no início deste conteúdo, onde comentamos sobre fluxo financeiro, os FIIs podem contribuir bastante para a sua renda mensal. Por distribuírem dividendos mensalmente, esses ativos lhe trazem uma previsibilidade muito bacana. Para quem não tem familiaridade, um FII nada mais é do que um fundo, gerido por uma empresa especializada, que tem como principal foco os investimentos no setor imobiliário. Com isso, assim como acontecem com as ações, existem vários tipos de FIIs. Existem fundos imobiliários de papel e de tijolo. Os FIIs de Papel são aqueles que investem no segmento de dívidas relacionadas ao mercado imobiliário. Na prática, esses fundos compram papeis como CRI, LCI e, com isso, têm uma renda através desses investimentos. No caso, eles não investem diretamente nos imóveis, mas sim no mercado de capitais por trás dos investimentos imobiliários. Já os fundos imobiliários de tijolo são aqueles que, de forma direta, investem em imóveis. Esses fundos podem comprar e vender imóveis, como também podem obter receitas alugando eles. Geralmente entre os fundos imobiliários de tijolo, vemos que a maioria deles atua das duas formas. Grande parte possuem uma receita oriunda dos aluguéis e, junto a isso, quando surge uma oportunidade, fazem a compra ou venda de um imóvel. Hoje em dia, no mercado de FIIs aqui do Brasil, vemos uma grande gama de fundos. Cada um investindo em um segmento e com um foco específico. Apenas para você ter uma noção, existem fundos imobiliários de shopping, galpões logísticos, lajes corporativas, entre outros... Mas, sobre o ponto mais importante e que viemos falar aqui, é preciso ressaltar que o Dividend Yield dos fundos imobiliários costuma ser altíssimo. No caso, este tipo de ativo costuma ter um Dividend Yield muito alto porquê, como regra, esse tipo de fundo tem que distribuir ao menos 95% dos seus lucros aos acionistas. O que acaba fazendo com que o nível de distribuição deles seja altíssimo. Hoje, no mercado de FIIs, é possível encontrar tranquilamente fundos com um dividend yield acima dos 10% - o que não é uma realidade comum no mercado de ações.

Ação com Alto D.Y

Como segundo tipo de ativo com um dos maiores DY, temos as ações pagadoras de dividendos. Ao longo deste nosso conteúdo, enfatizamos muito os setores que são bons pagadores. Fizemos isso porquê, para entender as ações com DY alto, primeiro é importante entender os setores que essas empresas estão inseridas. Dessa forma, hoje em dia, na bolsa brasileira, temos muitas ações boas e que pagam altos dividendos. É claro que o nível de dividendo pago por essas empresas não chega perto da média que os FIIs pagam, afinal, são ativos diferentes. Mas, pensando em uma carteira diversificada, onde você têm tanto ações quanto FIIs, buscar por ações que são boas pagadoras de dividendos pode ser viável. Lembrando que isso não é uma recomendação de investimento, mas sim uma sugestão para você estudar, analisar e ver se faz sentido pra sua carteira. Ainda sobre as ações, é possível ver empresas pagando de 6 a 10% de DY. O que é um nível de dividend yield bastante elevado para a média de mercado. Como já havíamos lhe adiantado, a maioria dessas empresas estão em um dos setores que te mostramos antes. Com isso, pensando na diversificação, você pode buscar por uma empresa de cada setor, caso faça sentido em sua carteira. A nossa única sugestão é que você busque diversificar. Tome cuidado com ativos que pagam um DY fora do comum, isso não é normal no mercado. Além disso, junto ao DY, veja sempre outros indicadores. Aqui no Investidor10, temos vários conteúdos ensinando a como analisar ações. Aproveite deles!

Aprenda mais sobre investimentos com o Investidor 10

Para mais conteúdos sobre finanças e investimentos, conheça oInvestidor 10.Aqui você tem acesso a uma série de conteúdos gratuitos, além de muita informação, rankings e indicadores sobre os principais ativos do mercado financeiro, incluindo:

Conte com os conteúdos e ferramentas do Investidor 10 para compreender cada vez mais sobre o mercado financeiro, reduzir riscos e maximizar seus resultados ao investir. Além de muito conteúdo gratuito, aqueles que desejam ter resultados acima da curva, também podem contar com os conteúdos e ferramentas especiais do Investidor 10 Pro que vai te dar acesso a:

Para ter acesso a todas as soluções acima, reduzir os riscos ao investir e maximizar seus rendimentos como investidor, clique aqui e garanta sua assinatura! Por fim, antes de sair, caso ainda não siga, não se esqueça de seguir o Investidor 10 nas redes sociais!

Aproveite e leia mais nossos conteúdos: