Atualmente, existe muita informação, cursos, palestras e dicas mostrando a forma correta de investir. Porém, imagine descobrir o segredo dos investimentos na época em que o país ainda lidava com o plano cruzado.

A melhor forma de aprender o passo a passo de uma profissão é seguir as pessoas mais bem-sucedidas do ramo. E é por isso que eu irei lhe mostrar agora quem é Guilherme Affonso Ferreira e o porquê ele se tornou um mito no mercado de investimentos.

Guilherme Affonso Ferreira | InfoMoney
Guilherme Affonso Ferreira – Créditos: Divulgação

Antes de entrar no mercado de ações e se tornar esse grande bilionário, Guilherme estudou engenharia de produção na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. Depois disso, passou um ano fazendo estágios ao redor do mundo em empresas revendedoras Caterpillar, indo da França aos EUA.

Ao voltar para o Brasil, decidiu continuar trabalhando na empresa de revenda do seu pai, que era especializada em comércio de máquinas, motores e veículos pesados do mundo da marca Caterpillar.

Esse foi o começo de uma carreira genial e de causar inveja em muitos investidores atuais. Se você ficou curioso para saber mais detalhes sobre a história de vida desse bilionário, confira agora qual é o segredo do sucesso para se tornar um investidor “do contra”.

Família

Pode-se dizer que o sucesso adquirido por Guilherme no mundo dos investimentos tem grande relação com o que aprendeu desde cedo com seu pai. O progenitor de Guilherme Affonso Ferreira sempre esteve ligado à revenda de máquinas, motores e veículos pesados da fabricante Caterpillar. 

Além disso, sempre acreditou no poder transformador do trabalho e de como um empreendedor tem uma função na sociedade, gerando empregos e contratando novas pessoas com o reinvestimento de dividendos.

Claro que seríamos muito puritanos de pensar que a família não reinvestia na empresa com o intuito de crescimento de mercado, afinal, estamos sob o regime capitalista em que o objetivo de toda organização empresarial é o lucro

Porém, com a venda pulverizada de sua mercadoria, ele percebeu que em algum momento teria de comprar seus concorrentes em período de baixa da economia. Foi aí que Guilherme entrou de cabeça no mundo dos investimentos e teve a grande ideia de criar a Teorema Capital.

Início nos mundo dos investimentos

Como dito anteriormente, a família Ferreira havia observado o comportamento do mercado e identificado a seguinte situação: quando os negócios da família iam bem e a revenda de mercadorias estava em alta, os concorrentes não tinham o desejo de vender seus negócios.

Da mesma maneira, quando os concorrentes analisavam o mercado e viam possibilidade de vender o empreendimento, Guilherme e seu pai não tinham capital para investir em tal empreitada.

Ao analisarem essa situação, chegaram à conclusão que precisavam usar todo o lucro excedente da empresa para investir em negócios que não tivessem nenhuma relação com o comércio de máquinas, motores ou veículos pesados da Cartepillar, ao invés de reinvestir na organização,

Assim, quando o mercado de revendas de mercadoria Caterpillar estivesse em baixa, eles poderiam utilizar o capital para comprar seus concorrentes. Nesse sentido, acontecia muito o cenário do negócio de revenda estar indo ruim, mas o portfólio de investimento de Guilherme ter tido uma grande alta. Dessa forma, a empresa conseguia ter capital excedente para adquirir os vizinhos e crescer dentro do mercado em baixa.

Analisando os maiores casos de sucesso no ramo da indústria, comércio e serviços no mundo, pode-se observar que as maiores organizações tendem a acumular empresas concorrentes em seu nome jurídico.

A partir dessa ideia, Guilherme decidiu criar o fundo Teorema Capital, que teria a função de gerir o dinheiro da família. O projeto deu tão certo que até hoje Guilherme se mantém como administrador do fundo gestor.

Teorema Capital

Com a criação da empresa Teorema Capital, Guilherme Affonso Ferreira deu o primeiro passo para se tornar um dos maiores investidores do Brasil.

Em 1986, durante o plano cruzado, Guilherme resolveu aproveitar o mau momento que a economia vinha passando e investir em um plano ousado.

Após o congelamento de preços e uma alta redução na taxa de juros, os bancos passaram de 30% de juros ao mês graças à inflação para quase zero.

Aproveitando a situação, Ferreira começou a pesquisar sobre diversos bancos que poderiam sobreviver àquela situação, mesmo o país passando por graves crises financeiras. Após algumas pesquisas, descobriu um banco de porte médio e que tinha uma boa gestão, o chamado na época Unibanco.

As ações do Unibanco aumentaram cerca de 70% em dólares anuais, transformando Guilherme em um dos homens mais ricos do mercado financeiro a época. Cerca de 20 anos se passaram até que teve de vender suas ações, já que o Unibanco foi fundido com o Itaú, criando o Itaú Unibanco.

Fortuna de Guilherme Affonso Ferreira 

A origem de Guilherme Affonso Ferreira ser chamado de o investidor “do contra” é pelo fato de investir em negócios que o mercado geralmente não dá muita importância. 

Foi exatamente o que ele fez na época do Unibanco, quando os investidores não olhavam com bons olhos para aquele investimento que parecia mais um barco furado, já que todos os bancos vinham em queda bruta devido à crise da economia brasileira.

No período em que Guilherme adquiriu parte das ações do Unibanco, o banco valia entre US$ 50 e 80 milhões. Quando sua fusão com o Itaú foi finalizada seu valor de mercado estava na casa de US$ 20 bilhões.

Ferreira foi membro do conselho entre 1984 e 2008, período que o banco aumentou seu capital de maneira estratosférica e transformou a organização em uma das maiores potências financeiras do Brasil.

Guilherme Affonso Ferreira capta recursos de terceiros | Exame
Guilherme Affonso Ferreira – Créditos: Divulgação

Onde Guilherme Affonso Ferreira investe

Guilherme é um investidor que procura ações que tenham um valor de mercado ótimo e, ao mesmo tempo, estejam desvalorizadas por alguma ação externa. Ou seja, é o velho “comprar na baixa e vender na alta”. 

Entretanto, a qualidade da ação sempre é considerada, e não só o lucro que poderá obter na operação.

De acordo com o livro Fora da Curva, não é necessário ser um especialista no mercado de ações para ter algumas atitudes. Apesar de ter um perfil “do contra”, não existe muita variação em sua carteira de investimentos, além de não se arriscar em empresas super inovadoras.

Fora o fato de investir em setores promissores, mas que estejam em queda, busca aliar isso ao fato de participar dos conselhos das organizações que investe. Com isso, compra uma quantidade de ações que dêem a possibilidade de participar das decisões destas empresas.

Dessa maneira, conseguiu fazer partes dos conselhos de empresas como Unibanco, Pão de Açúcar, Eternet, Metal Leve e Gafisa.

Estratégias de investimentos de Guilherme Affonso Ferreira

As estratégias de investimento de Guilherme passam por 3 premissas básicas ao observar oportunidades de mercado. Primeiramente, é realizada uma pesquisa de mercado considerando todas as empresas que possuam boa reputação e que tenham uma gestão de qualidade.

Depois, é feito um filtro onde apenas as empresas bem avaliadas e com ações desvalorizadas passam para a próxima fase. Dessa forma, a empresa que passa por problemas de mercado conseguirá se recuperar e as ações irão se valorizar.

Além disso, utiliza uma carteira de investimentos com pouca diversidade e faz uma análise fria e conservadora de empresas parceiras, ou seja, sem investir em empresas que estejam começando ou que não tenham reputação no mercado.

Ainda, observar empresas que possuem disponibilidade de participação no conselho. Dessa forma, Guilherme consegue ter voz na direção do negócio e reorganizá-la internamente para dar um melhor destino para o empreendimento.

Em suma, ele é adepto da mesma filosofia de investimento de Warren Buffett. Isto é, do Value Investing, mas Guilherme Affonso Ferreira se alinha mais à “escola” do Active Investing. 

Valuation – Lista de desejos

Valuation, ou avaliação de empresas, nada mais é do que a estimativa do valor real de uma empresa, definindo um valor aceitável para o mercado e a possibilidade de retorno desse investimento.

Basicamente, é analisar se vale a pena comprar ações de determinada empresa pelo retorno que ela pode trazer ao investidor.

No caso, Ferreira criou algo que chamamos de “Lista de Desejos”, em que é avaliado o valor das empresas investidas, o valor das ações e se esses valores concordam com o retorno previsto.

Nessa lista, cita quais ações ele gostaria que a empresa tomasse perante o mercado e o que ele pode fazer para aumentar o valor de mercado da organização. Como dito, seu objetivo é encontrar ações que tenham o melhor custo-benefício, em que seja exigido menos esforço e mais retorno de capital.

Dentre algumas outras estratégias de investimento de Guilherme Affonso Ferreira, estão em analisar a fundo a empresa na qual será realizado o investimento, o melhor momento de comprar e vender uma ação, ter capital humano de qualidade e manter a estratégia de investimento por determinado período.

Denise steagall e Guilherme Affonso Ferreira - VERSATILLE
Denise steagall e Guilherme Affonso Ferreira – Créditos: Divulgação

Lições de vida com Guilherme Affonso Ferreira

Atualmente, Guilherme Affonso Ferreira é colunista da InfoMoney e traz algumas lições de vida que ajudam os jovens investidores a trilhar um caminho de sucesso no mercado.

Uma das mais importantes é errar logo no primeiro investimento, assim, é possível aprender a observar o quadro de acionistas da empresa, pesquisar a fundo a organização, aumentar aos poucos o nível de investimento e entender dos fatos regulatórios que envolvem o negócio.

Além disso, você pode encontrar grandes lições de Guilherme Affonso Ferreira e diversos outros grandes investidores brasileiros no livro Fora da Curva. É um compilado de diversas entrevistas sobre a trajetória de 10 investidores e busca evidenciar os “segredos dos grandes investidores do Brasil e o que você pode aprender com eles”.

Frases de Guilherme Affonso Ferreira para te inspirar

  • “Escolhidas as pessoas certas, confie nelas.”
  • “Mantenha sua estratégia de investimento durante as crises. O mercado de ações é volátil. Quedas pontuais não devem assustar o investidor a longo prazo.”
  • “Avalie o histórico dos donos e principais executivos das empresas antes de investir. Escolher as pessoas certas é mais importante do que escolher a indústria certa. Bons gestores são capazes de fazer a diferença.”
  • “Analise a fundo a empresa em que vai investir. É preciso entender seus pontos fortes, fracos e sua estratégia de crescimento.”
  • “Decidir qual é o melhor momento para comprar uma ação é tão importante quanto resolver quando vendê-la. Só venda se o desempenho da empresa ficar abaixo do esperado e não houver perspectiva de melhora.”

Enfim, como dito no texto, Guilherme Affonso Ferreira é um dos grandes investidores brasileiros que fizeram sua fortuna seguindo uma estratégia próxima do Value Investing. Por isso, se você quiser saber mais a fundo como é essa estratégia e como utilizar nos seus investimentos, a mesma estratégia que Guilherme Affonso Ferreira usou, leia nosso artigo: Value Investing: pensando como Warren Buffett.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui