CDI: entenda o que é e como funciona
Funcionamento do CDI – Foto: Freepik

CDI, definitivamente, é uma das siglas que mais aparecem no mercado e que muitas pessoas já ouviram falar mas não sabem ao certo o que é.

Devido a sua extrema importância, principalmente para quem investe em renda fixa, neste artigo vamos tirar todas as suas dúvidas sobre esse tão falado CDI:

  • o que é o CDI?
  • como ele funciona?
  • como ele afeta os investimentos?
  • qual a diferença entre ele e o CDB?
  • quais investimentos estão atrelados a ele?

O que é CDI?

CDI: entenda o que é e como funciona
O que é CDI – Foto: Freepik

O CDI é uma sigla que significa Certificado de Depósito Interbancário e corresponde a um título de curtíssimo prazo que é emitido pelos bancos, para que estes realizem operações interbancárias entre si.

Além disso, o porquê desse título existir é a regulação do sistema monetário. Isso acontece porque o Banco Central possui uma regra que diz que todos os bancos devem fechar o dia com saldo positivo. Entretanto, como você deve adivinhar, isso não ocorre todo dia.

Dessa forma, o CDI é uma saída para esses dias, pois a regra também estabelece que essa diferença seja coberta. Portanto, o que ocorre é que os bancos pegam dinheiro emprestado, emitindo um CDI que seja adquirido por outro banco.

Ainda, a importância do CDI para o mercado é o fato de ele ser a referência adotada, que muitas vezes vemos em cadernos de economia.

Como o CDI funciona?

CDI: entenda o que é e como funciona
Como o CDI funciona? – Foto: Freepik

Como já dissemos, o CDI é um título emitido pelos bancos para levantar capital e regularizar o caixa diário. Além disso, é ele também quem garante a fluidez do mercado, afinal, permite que os bancos se ajudem entre si.

Ainda, é o Certificado de Crédito Interbancário que ajuda os bancos a proteger seus correntistas, uma vez que garante que eles cumpram com seus compromissos.

Como o CDI afeta os investimentos?

CDI: entenda o que é e como funciona
Como o CDI afeta os investimentos – Foto: Freepik

Tendo em vista os investimentos de renda fixa, o CDI é sua principal referência de rentabilidade. Por isso, muitos deles estão atrelados a ele ou o usam como meta de desempenho, como é o caso dos fundos multimercados.

Logo, quando essa taxa cai, todos as aplicações atreladas a ela rendem menos. Da mesma forma, se a taxa sobe, as aplicações atreladas ao CDI também sobem.

Além disso, mesmo os investimentos não atrelados ao CDI podem sofrer efeitos indiretos de acordo com a variação da taxa.

CDI X CDB

CDI: entenda o que é e como funciona
CDI x CDB – Foto: Freepik

O CDB e o CDI possuem algumas semelhanças, já que ambos são utilizados por instituições para captar recursos. Entretanto, ambos também possuem diferenças significativas.

No caso do CDB, ou Certificado de Depósito Bancário, o banco pega dinheiro emprestado do consumidor e não de outro banco.

Além disso, o CDB é quem forma as linhas de crédito, além de possuir características diversas e prazos também. Ainda, é válido mencionar que existem diferentes tipos de CDB: com liquidez diária, pré e pós fixados, etc.

Quais investimentos estão atrelados ao CDI?

CDI: entenda o que é e como funciona
Investimentos atrelados ao CDI – Foto: Freepik

É fato que a maior parte dos investimentos em renda fixa estão atrelados ao CDI. Por isso, abaixo, trouxemos alguns exemplos de investimentos atrelados à essa taxa:

CDB

No caso do CDB, sua relação com o CDI é o fato dele o usar como referência de rentabilidade. Dessa forma, se um CDB paga 80% do CDI, isso significa que ele terá uma rentabilidade 20% menor que o índice.

No entanto, se o CDB rende 120% do CDI, isso signfica que ele terá uma rentabilidade 20% maior que o índice.

LCI e LCA

As Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e do Agronegócio (LCA) também se assemelham aos CDBs, já que ambas são emitidas pelos bancos.

No caso do LCI, o dinheiro é usado para financiar imóveis, enquanto no caso do LCA, para financiar agricultores e pecuaristas.

Além disso, as Letras de Crédito pós-fixadas – as mais comuns – estão atreladas ao CDI. Porém, a remuneração desses títulos fica um pouco abaixo dos outros investimentos de renda fixa, uma vez que tanto o LCI quanto o LCA são isentos de IR (Imposto de Renda) para pessoas físicas.

O que são as Debêntures?

As debêntures, por sua vez, nada mais são do que títulos de crédito negociados no mercado de capitais. No entanto, as debêntures possuem como emissores as empresas, que geralmente usam os recursos para financiar grandes projetos.

Além disso, muitas debêntures são pós-fixadas e usam um percentual do CDI para remunerar os investidores.

Ainda, a maioria delas segue a tributação de acordo com a tabela regressiva do Imposto de Renda.

CRI e CRA

O Certificado de Recebíveis Imobiliário (CRI) e o Certificado de Recebíveis do Agronegócio (CRA) são títulos de renda fixa securitizados.

Assim como os outros investimentos de renda fixa, os CRIs e CRAs também são atrelados ao CDI. Além disso, analogamente aos LCIs e LCAs, eles também são isentos de Imposto de Renda, com a diferença de que não são cobertos pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui