Corretora de criptomoedas é multada em R$ 33 milhões, entenda

Em 2019, a CVM suspendeu as atividades da empresa.

Author
Publicado em 22/05/2024 às 14:37h - Atualizado 30 dias atrás Publicado em 22/05/2024 às 14:37h Atualizado 30 dias atrás por Elanny Vlaxio
(Shutterstock)
(Shutterstock)

Em uma decisão contundente, a CVM (Comissão de Valores Mobiliário) impôs uma multa de R$ 33,6 milhões à corretora de criptomoedas Atlas Quantum por práticas fraudulentas. A investigação, iniciada em 2019, revelou um esquema que lesou mais de 47 mil investidores, causando um prejuízo total estimado em R$ 1,1 bilhão.

⚖️ O objetivo do processo era investigar indícios de oferta de contrato de investimento coletivo e instrumentos derivativos sem registro. De acordo com a investigação, as ofertas da corretora de criptomoedas para investidores apresentavam características típicas de golpes e fraudes.

Entre essas características estavam promessas de rentabilidade muito superior à dos investimentos tradicionais, com baixo risco. Adicionalmente, a CVM também alegou que os acusados criaram embaraços à fiscalização, incluído até a fuga do presidente da empresa, Rodrigo Marques dos Santos, para a Europa.

Sobre o caso da Atlas Quantum

💰 A companhia teve sua trajetória marcada por um esquema fraudulento que lesou milhares de investidores. Fundada em 2018, a empresa prometia retornos exorbitantes e garantidos em investimentos em criptoativos, atraindo um grande número de clientes.

No entanto, as promessas não se concretizaram. A companhia operava de forma irregular, sem o devido registro na CVM, e seus produtos apresentavam características de pirâmide financeira. Em 2019, a CVM suspendeu as atividades da empresa e iniciou uma investigação, que resultou em um processo sancionador em 2021.

Leia também: CEO da maior gestora de criptomoedas do mundo renuncia