CEO da maior gestora de criptomoedas do mundo renuncia

No lugar de Michael Sonnenshei, Grayscale nomeou Peter Mintzberg

Author
Publicado em 20/05/2024 às 16:00h - Atualizado 30 dias atrás Publicado em 20/05/2024 às 16:00h Atualizado 30 dias atrás por Wesley Santana
Grayscale tem quase US$ 60 bilhões sob gestão. Foto: Shutterstock
Grayscale tem quase US$ 60 bilhões sob gestão. Foto: Shutterstock

A gestora de criptoativos Grayscale, considerada a maior do mundo, amanheceu nesta segunda-feira (20) sem diretor-presidente.

👨‍⚕️ Isso porque o CEO Michael Sonnenshein renunciou ao cargo para “buscar por outros interesses”, segundo comunicado divulgado pela manhã, depois de uma década. Em seu lugar, a partir de agosto, assume Peter Mintzberg, que atuava como diretor de operações da divisão de gestão do Goldman Sachs.

De forma interina, o atual diretor financeiro da companhia deve assumir a cadeira, conforme antecipou a empresa.

"Foi uma honra e um privilégio trabalhar ao lado de pessoas tão inteligentes e apaixonadas para transformar a Grayscale em um titã da indústria na última década", disse Sonnenshein em um comunicado. "A classe de criptoativos está em um ponto de inflexão importante e este é o momento certo para uma transição suave. Desejo à equipe de Grayscale todo o sucesso em seu próximo capítulo”, completou.

🏛️ Leia mais: BC vai regular criptoativos: Veja os próximos passos

A saída do executivo acontece em um momento de baixa no portfólio da Grayscale, que tem vista a saída de milhões de dólares todos os dias. A empresa tem sido pressionada desde que os Estados Unidos aprovaram os fundos de Bitcoin à vista, o que aconteceu em janeiro passado.

Parte deste desempenho está relacionado à comissão que a empresa cobra pelos ativos, que está na média de 1,5%, enquanto os concorrentes cobram apenas 0,25%. Ao todo, segundo o monitor The Block Data, a empresa acompanhou 78 dias seguidos de mais saídas que entradas.

Mesmo assim, no acumulado deste ano, o fundo da Grayscale performa com benefício aos investidores. O ETF de Bitcoin se valorizou 65% desde janeiro, segundo dados da bolsa de valores norte-americana NYSE.