Quando vender uma ação? Entenda o momento certo para sair de um investimento

Author
Publicado em 25/09/2023 às 16:37h - Atualizado 8 meses atrás Publicado em 25/09/2023 às 16:37h Atualizado 8 meses atrás por Redação
Quando vender uma ação
Quando vender uma ação

Quando vender uma ação? Entenda o momento certo para sair de um investimento

Você sabe quando vender uma ação? No mundo dos investimentos, muito se fala sobre manter os ativos para longo prazo. Entretanto, você sabe o que deve ser feito quando pensar em vender um ativo? Tão importante quanto comprar, é saber a hora certa de vender o seu ativo. Por isso, hoje, nós, do Investidor10 lhe mostraremos quando é o momento certo para que você venda uma ação. Dessa forma, antes de começarmos, não deixe de compartilhar este conteúdo com os seus amigos que também estão querendo vender um ativo, mas que não sabem o momento certo para isso. Agora, vamos lá!

Razão pelo Investimento

Antes de mais nada, quando falamos em vender alguma ação, primeiro, é importante que você tenha consciência do porquê investiu na empresa. De certa forma, as razões que fazem você vender um ativo geralmente são as razões contrárias ao que fez você investir naquela ação. Então, primeiramente, é importante ter em mente qual foi a lógica por trás do seu investimento. Você investiu pensando em valorização a curto prazo ou querendo manter o ativo por longos anos? Ao primeiro momento, é importante que você tenha essa consciência para que, só assim, entenda o que pode estar lhe levando a querer vender o ativo. Entretanto, se você comprou a ação ou comprou algum tipo de investimento, mas sem saber o motivo desse aporte, é um sinal de alerta. Às vezes, é comum que investidores iniciantes acabem comprando um ativo apenas por comprar - sem ter nenhum motivo em mente ou apenas por uma mera especulação de curto prazo. De tal forma que, em contrapartida, no momento em que o ativo sofre uma forte valorização ou uma queda considerável, esses investidores são os primeiros a pensar em vender. É exatamente neste momento em que, em vez de rapidamente vender o ativo e se desfazer do "problema", você precisa analisar os pilares e fundamentos do investimento.

Pilares e Fundamentos do Investimento

Para todo investimento que você pensar em fazer, é importante ter a consciência dos pilares e fundamentos. Em um cenário onde você está com um ativo em carteira e, em paralelo, está querendo vender ele, mas não sabe se compensa, é preciso retomar o seu foco para esses pilares. Mesmo que você tenha comprado o ativo por impulso e não saiba se vale ou não a pena vender ele, é preciso analisá-lo. A primeira análise que fazemos é sobre a classe do ativo e se ela atende ao que a sua carteira está buscando. Após isso, em casos onde o ativo está em uma forte queda e você está pensando em vendê-lo, é importante ver se a queda interferiu nos fundamentos da empresa. Principalmente para os investidores que pensam a longo prazo, são os fundamentos que os manterão de pé nos momentos de crise. Nem sempre a queda na cotação de uma empresa representa que ela perdeu os seus fundamentos. Na verdade, quando vamos ver, a maioria das desvalorizações acontecem de forma temporária. São vários os motivos que podem fazer com que uma ação se desvalorize. Entretanto, se você não souber analisar esse cenário, é provável que você leve em consideração apenas a cotação e acabe vendendo a qualquer preço. Dessa forma, se apegando aos fundamentos da empresa, você evita cometer essa ''sardinhagem'' clássica que muitos investidores iniciantes cometem. Portanto, em momentos de crise ou de desvalorização, atente-se aos fundamentos. Agora, vamos ao cerne deste nosso conteúdo: Quais são os momentos em que devemos vender as nossas ações? Vamos entender agora!

Em quais cenários vender uma ação?

Como bem ressaltamos anteriormente, existem casos onde o que está lhe fazendo cogitar a venda é apenas uma desvalorização passageira, mas também existem situações onde há possíveis cenários válidos de vender aquela ação. Para nós, existem quatro principais cenários que compensam você vender um ativo. São eles:

Desalinhamento com Investimentos

Começando pelo desalinhamento com os seus investimentos, vemos que, em algumas situações, pode valer a pena você vender uma ação que está desalinhada com o objetivo da sua carteira. Como já bem comentamos em diversos outros conteúdos aqui do Investidor10, toda carteira de investimentos deve estar alinhada a um objetivo. Geralmente, os investidores montam uma carteira pensando no objetivo de ter renda com dividendos - o que chamamos de carteira previdenciária. Além disso, também existem os investidores que montam carteiras pensando na valorização dos ativos. Independente de qual seja o seu perfil, é interessante que você tenha essa clareza para saber quais ativos se encaixam nos seus objetivos e quais fogem deles. Às vezes, no seu início como investidor, pode ser que você tenha errado e comprado um ativo aleatório - que não encaixa com o seu objetivo. Nesse tipo de situação, o mais adequado é realmente vender o ativo para conseguir utilizar o capital para alocar em outras oportunidades. Contudo, nesse processo de pensar em vender, é interessante tomar alguns cuidados. O primeiro cuidado é para não acabar vendendo o ativo a um preço muito longe do seu preço médio. Então, tente evitar se desfazer da ação em momentos onde ela está sofrendo com fortes quedas ou com um preço distante do seu P.M (preço médio). Somado a isso, nós sugerimos que você tente sempre vender, mas tomando cuidado para não ter que exceder o valor máximo permitido para isenção de impostos. Se você somar +R$20.000 em vendas de ações em um período de um mês, terá que pagar imposto. Por isso, na hora de se desfazer de uma ação por desalinhamento, evite exceder esse valor.

Preço acima do estipulado

Um outro caso onde acaba valendo a pena você vender as suas ações é quando elas excedem um valor que você considera como teto. Se um determinado ativo que você tem em carteira subiu mais que o que você esperava. Assim, ultrapassando qualquer valor que você tinha determinado como teto, pode ser um ponto de atenção. Especialmente para quem investe pensando no longo prazo, vemos que vender um ativo que você tem apreço pode ser algo difícil. Entretanto, se você considera que a alta no valor da ação desse ativo é algo temporário, pode valer a pena realizar o movimento de venda. No caso, levando em consideração que essa é uma ação que você deseja manter no portfólio, mas que acabou subindo muito, há uma alternativa: Se em sua análise o preço retornará ou não se manterá tão elevado, pode ser interessante vender o ativo pelo preço que está agora. Dessa forma, se capitalizando no curto prazo, mas mantendo este capital em mãos para recomprar a sua posição. Com isso, esse movimento de compra e venda é estratégico para que você venda a ação lucrando no curto prazo e podendo recomprá-la a um valor menor mais para frente. Entretanto, como toda estratégia, existem falhas nesse movimento. Nem sempre a sua previsão de que a ação desvalorizará irá acontecer. Pode ser que o papel continue subindo por mais tempo, fazendo com que você não fique com ele em carteira. Somado a isso, pode ser que ele até retorne a um valor menor, mas depois de muito tempo. Para ações de dividendos, esse tempo que você fica sem o papel são dividendos que você não recebe. Tudo tem seu ônus e bônus. Vale a pena avaliar antes de vender a ação.

Problemas na Gestão

Como um outro caso grave que pode acabar lhe fazendo querer vender as suas ações, vemos que os problemas na gestão realmente impactam profundamente. Problemas na gestão da empresa podem ser um sinal claro de que é hora de considerar a venda das ações. Visto que a gestão desempenha um papel crucial no sucesso de qualquer empresa, por extensão, também influencia no desempenho de suas ações no mercado. Desse modo, dentro da má gestão, vemos que existem muitos casos de escândalos financeiros... Se formos olhar as ações aqui da bolsa brasileira, conseguiremos ver inúmeros casos de empresas que, por causa de uma má gestão e de escândalos financeiros, destruíram as suas reputações no mercado. A má gestão é um fator inadmissível em uma empresa. Imagine que, cada ação que você tem de uma empresa, nada mais é do que a representação da sua confiança naquele ativo. A partir do momento em que a empresa começa a decepcionar o acionista, seja tomando má decisões ou não entregando o que prometeu, é preciso ficar em alerta. Se esse tipo de problema for recorrente e você ver que o conselho da empresa não está tomando nenhuma atitude para melhorar, talvez seja a hora de vender as suas ações. Não aceite ativos em que a sua gestão não valoriza o acionista. O conselho e a gestão de uma empresa listada em bolsa deve ser cooperativa com seus acionistas, não rivais. Portanto, temos que analisar com muita cautela essa questão da gestão.

Falha na Entrega de Resultados

Junto aos problemas de má gestão, temos muito o caso das falhas na entrega dos resultados. Sem dúvidas, um dos indicadores que mais podem lhe fazer vender uma ação é essa questão de falhar nos resultados que foram prometidos. Como acionista, no momento em que uma empresa fizer isso, é preciso que você pare e faça uma análise do negócio. Entender como essa falha pode afetar seu investimento é essencial para tomar decisões informadas. Não existe um motivo único que pode levar a empresa a falhar nos resultados. Na verdade, a falha na entrega de resultados pode acontecer por uma série de motivos, como a incapacidade de produção, por exemplo. Com isso, não conseguir entregar um resultado que prometeu é um problema, mas, isso pode acontecer por motivos que também saem do escopo da empresa. Pegando como exemplo a Pandemia de Covid-19, que afetou o mundo, vemos que muitas empresas falharam na entrega de resultados, mas porque o mundo inteiro estava com a sua economia deteriorada. Nesse caso, realmente a empresa não tinha o que fazer para conseguir entregar o que foi prometido. Levando esse cenário como exemplo, não seria uma culpa direta da empresa, logo, não seria um motivo direto para você vender as suas ações. Mas, já no caso de empresas que prometeram e não entregaram, mesmo sem ter nenhum imprevisto, é passível de desconfiança. Novamente, assim como comentamos na questão da gestão, a transparência é a base do relacionamento entre o acionista e as empresas. A empresa tem que trazer uma nitidez do real cenário dela pro acionista. Logo, se de forma constante a empresa promete resultados, mas falhar na entrega, pode ser um ponto cabível para vender as ações dela.

Problemas Operacionais e Endividamento

Como penúltimo fator que consideramos válido para que você venda as suas ações, temos a questão dos problemas operacionais. Se a empresa enfrentar problemas operacionais persistentes, talvez seja a hora de você cogitar a venda das suas ações. Vale lembrar que, quando nos referimos a problemas operacionais, estamos falando propriamente dos problemas que envolvem a venda do produto ou a entrega do serviço da empresa. Então, apenas como exemplo, vamos imaginar uma empresa que produz aço e comercializa ele. Levando em conta essa área como principal fonte de receita dela. Logo, se a empresa começar a ter problemas na hora de produzir e de vender, não tendo lucro ou, de forma constante, com a margem caindo, é preciso ficar atento. Esse pode ser um sinal extremamente claro de que a empresa vem passando por problemas na sua operação. De forma geral, os problemas na operação antecedem os problemas nos resultados - afinal, um leva ao outro. A empresa começa passando por dificuldades na sua operação o que, consequentemente, reduz os resultados dela. É por isso que devemos ficar muito atentos a isso. Dessa forma, para empresas que estão há muito tempo com os mesmos problemas operacionais e que não mostram formas de contorná-los, é um indicador bastante negativo. Vale a pena atentar-se a ele e ver se há uma saída para a empresa ou se ela tende a não entregar resultados melhores. Caso realmente você veja que a empresa não está encontrando uma forma de controlar esses problemas, talvez seja válido optar pela venda de sua participação.

Endividamento excessivo

Por último, temos a questão do endividamento. O endividamento excessivo pode criar uma pressão significativa sobre a empresa, levando-a a lutar para cumprir suas obrigações financeiras. Isso pode levar a uma queda no preço das ações e afetar a confiança dos investidores. De tal modo que, com um endividamento excessivo, o caixa e o fluxo de entradas da empresa pode ser bem corrompido. Fazendo com que o negócio enfrente dificuldades para crescer e performar. Vale lembrar que é quase impossível vermos uma empresa listada em bolsa que não tem dívidas. O problema não está diretamente nas dívidas, mas sim no endividamento excessivo. Aquele que não traz expectativas de melhorar a situação. Nesse último caso, realmente a venda pode acabar sendo uma saída justa para o investidor. Bom, dessa forma, esses são os cenários que, para nós, são válidos de você vender as suas ações. Recomendamos que você veja cada um deles e, assim, analise se as suas ações estão passando por algum desses cenários. Caso estejam, é interessante que você comece a ver se compensará ou não permanecer como acionista da empresa.