O que é Rating? Guia completo sobre classificação de risco

Author
Publicado em 12/08/2023 às 13:03h - Atualizado 10 meses atrás Publicado em 12/08/2023 às 13:03h Atualizado 10 meses atrás por Redação
O que é Rating
O que é Rating

A primeira coisa que devemos levar em consideração em relação ao Rating é o seu conceito. O rating nada mais é do que uma nota de risco, dada por uma agência especializada, a um determinado ativo. Esse ativo pode ser uma empresa, banco ou qualquer outra instituição que você pode investir. O ponto do Rating é que ele serve quase como um alerta de risco aos investidores. No caso, ele mostra aos investidores qual é o risco calculado daquele ativo. É importante que você tenha em mente que elas não se tratam de recomendações de compra ou venda de um ativo. Não tem nenhuma ligação com isso. Muitas pessoas erram ao pensar que o rating é uma recomendação para comprar ou para vender. Quando, na verdade, ele é mais um alerta. Ele tem como objetivo conscientizar o investidor do risco daquele projeto. Para que, entendendo o risco, o investidor consiga ter discernimento de se vale ou não a pena investir naquele projeto.

Importância do Rating

Ao entender sobre o que se trata o Rating, é comum que muitos investidores questionem: "Mas, qual a importância prática de saber o Rating de um ativo?" Na prática, vemos que o Rating acaba sendo um indicador para você avaliar aquele ativo. Assim como fazemos com ações, por exemplo, onde analisamos indicadores para ter um overview do negócio, o risco também acaba servindo como um desses pontos de alerta. Através dele, você consegue ter uma noção de como está a classificação de risco daquele projeto, por meio de uma análise de uma agência especializada nisso. Vale lembrar que, para investidores mais experientes, que sabem calcular o risco, talvez não seja tão relevante olhar para esse tipo de indicador. Contudo, tanto para quem está começando agora e não tem familiaridade com avaliação de ativos, quanto para quem não quer ter tanto trabalho, é interessante levar em conta o Rating. Além disso, ele também nos ajuda a filtrar os ativos que iremos investir. Se você é uma pessoa com um perfil mais conservador, que não busca assumir riscos, analisar esse ponto será um grande aliado na sua análise.

Riscos

Através dele, você saberá se um ativo conta com um risco muito alto ou não. Com isso, se você não quer risco, você já pode cortar de imediato os ativos com uma classificação de alto risco. Já os que entrarem no seu perfil de investidor, aí sim você poderá partir para uma análise mais detalhada. Uma outra questão relevante do Rating e que traz uma importância para ele está na renda fixa. Se você já investiu em renda fixa, é bem provável que você já tenha visto uma classificação de rating. Geralmente a classificação é ilustrada na cor vermelha, amarelo ou verde. O ponto é que, em ativos de renda fixa, é muito comum de vermos essa classificação mostrando aos investidores o grau de risco de cada ativo. Agora que você já sabe da importância que a classificação de rating tem, é interessante comentarmos mais sobre as agências.

Principais Agências de Rating

No mercado de rating, existe mais de uma agência que trabalha classificando o risco dos ativos. Mas, é interessante que ao menos você conheça as três principais do mercado, para saber na hora de investir. Por elas, inclusive, é interessante que você sempre confira o risco de um ativo que você está pensando em comprar. Ter esse parâmetro a mais do risco, com certeza lhe ajudará a tomar decisões melhores como investidor. Sendo assim, vamos conhecer as três principais agências que temos no mercado:

Moody's

Como primeira agência que falaremos, temos a Moody's. A Moody's é uma das principais agências de rating mundial, sendo referência em classificação de risco no mundo inteiro. Por meio das classificações emitidas pela Moody's, ela determina o risco dos ativos. Um dos grandes pilares que faz essa agência de Rating ser tão reconhecida e buscada é a questão da transparência e independência. O que traz mais confiabilidade ao processo de análise de Rating. Pode notar que, de hoje em diante, quando você for analisar o Rating de determinados ativos, é bem provável que você encontre classificações emitidas pela Moody's.

Fitch

Uma outra agência com renome mundial na parte de classificação de Rating é a Fitch. Mundialmente falando, todas as três agências que destacaremos hoje são muito bem reconhecidas. A Fitch é uma delas. Nesse mercado de classificação de crédito e de risco para ativos, vemos que a Fitch é muito recorrida. Para termos uma ideia da dimensão dessa agência de rating, ela conta com mais de 5000 colaboradores, tendo a sua sede nos Estados Unidos, mas compondo o conjunto das três maiores agências do mundo. Dessa forma, tendo uma abrangência global.

Standard & Poor's

Por último, mas não menos importante, compondo a tríade das agências de rating mais renomadas do planeta, temos a Standard & Poor's. Essa é uma agência de rating que, assim como a Fitch, conta com sede nos Estados Unidos, mas também abrange o mercado mundial. A Standard & Poors ou S&P Global, conta com uma equipe fortíssima no mercado de classificação de crédito e de risco, tendo mais de dez mil colaboradores. Dessa forma, conseguindo atender os mais diversos mercados, trazendo classificações de rating - sempre de forma transparente. Em meio a isso, após conhecer as três maiores agências do planeta, é importante entendermos as classificações de rating de cada uma delas.

Principais classificações de Rating

Ao analisar a questão da classificação de rating, você notará que cada agência possui a sua própria 'tabela de classificação'. De tal forma, vemos que nas três classificações das empresas, existem 3 divisões. As divisões que veremos são:

  • Grau de Investimento;
  • Grau Especulativo;
  • Vulnerabilidade a não pagamento;

Dessa forma, é crucial que você entenda a representação de cada uma das divisões. Na primeira divisão, a de grau de investimento, vemos ativos que, pela classificação da agência, são ativos com muita qualidade, os chamados 'triple A'. Já no segundo caso, no grau especulativo, como o próprio nome já dá a entender, são ativos que contam com um grau de risco, mas que, pela análise, o risco não é considerado tão elevado ao ponto de não pagarem as suas dívidas. Diferente do último caso, que é o de vulnerabilidade a não pagamento. Nesse caso, realmente o risco dos ativos é extremamente superior, fazendo com que, pela análise, eles sejam avaliados como ativos de altíssimo risco para investimento. Em meio a isso, vamos entender as nomenclaturas da classificação e como elas se dividem nessas três categorias que falamos acima.

Moody's: Classificação de Rating

AAA

- Mais Alto Grau de Qualidade; Aa1, Aa2 e Aa3 - Qualidade Muito Alta; A1, A2 e A3 - Qualidade Alta; Baa1, Baa2, Baa3 - Boa Qualidade; Ba1, Ba2 - Especulativo; B1, B2, B3 - Altamente Especulativo; Caa1, Caa2, Caa3 - Risco Substancial; Ca - Risco Muito Alto; C - Risco Excepcionalmente Alto;

Fitch: Classificação de Rating

AAA

- Mais alta qualidade; AA - Qualidade muito alta; A - Qualidade alta; BBB - Boa qualidade; BB - Especulativo; B - Altamente especulativo; CCC - Risco substancial; CC - Risco muito alto; C - Risco excepcionalmente alto;

Standard & Poor's: Classificação de Rating

AAA

- Mais alta qualidade; AA - Qualidade muito alta; A - Qualidade alta; BBB - Boa qualidade; BB - Especulativo; B - Altamente especulativo; CCC - Risco substancial; CC - Risco muito alto; C - Risco excepcionalmente alto; D – Inadimplente;

Como é avaliado?

Agora que você já entendeu como funciona a classificação de Rating das principais agências do mundo, é interessante falarmos sobre como é avaliado o Rating. Na prática, nós vemos que o risco é avaliado levando em consideração alguns pilares, como:

  • Situação Econômica do País;
  • Análise Financeira;
  • Análise do Setor;
  • Histórico;
  • Entre outros pontos.

Dessa forma, com este tipo de análise, um grupo de analistas irá avaliar e, assim, determinar o Rating daquele país, ativo ou instituição. Antes de sair, não deixe de ver outros conteúdos do Investidor10.