5 opções em investimento para o futuro do seu filho

Author
Publicado em 08/12/2023 às 19:55h - Atualizado 6 meses atrás Publicado em 08/12/2023 às 19:55h Atualizado 6 meses atrás por Redação
5 opções em investimento para o futuro do seu filho
5 opções em investimento para o futuro do seu filho

Montar uma carteira de investimento para o futuro do seu filho é uma decisão muito assertiva, e que pode lhe garantir muita tranquilidade. A escolha das opções de investimento certas pode ser a chave para garantir segurança, estabilidade e oportunidades ao longo do tempo, como por exemplo, a de cursar o nível superior. Diante da importância do assunto, neste artigo, nós vamos explorar cinco opções de investimento sólidas que podem ser consideradas para construir um caminho financeiro promissor para as futuras gerações. Neste conteúdo, você vai descobrir que ao começar cedo e aproveitar o efeito dos juros compostos, você pode garantir uma excelente reserva financeira para que o seu filho possa usufruir no futuro. Vale muito a pena conferir!

Melhores investimentos para garantir o futuro do seu filho

Quando o assunto é a melhor opção em investimento para o futuro do seu filho, sabemos que muitas dúvidas podem surgir, afinal, é preciso encontrar uma aplicação segura, mas que ao mesmo tempo, ofereça uma rentabilidade atrativa. Por sinal, foi pensando nisso que preparamos a seleção de ativos que você terá a oportunidade de conferir logo abaixo. Boa leitura!

1.Tesouro Direto

O Tesouro Direto é uma opção de investimento de baixo risco oferecida pelo governo brasileiro por meio do Tesouro Nacional. Estamos falando de uma forma de aplicar recursos financeiros, que é acessível, fácil de operar e pode ser uma alternativa interessante para quem deseja investir visando o médio ou longo prazo. A plataforma do Tesouro Direto oferece diferentes modalidades de investimento, cada uma com características específicas, dentre as quais, podemos destacar:

Tesouro Selic

  • Características: O Tesouro Selic é pós-fixado e sua rentabilidade está atrelada à taxa Selic, a taxa básica de juros da economia brasileira.
  • Indicação: É indicado para quem busca liquidez diária e baixa volatilidade, sendo uma opção segura para reserva de emergência ou objetivos de curto prazo.

Tesouro IPCA

  • Características: O Tesouro IPCA é um título indexado à variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), oferecendo uma rentabilidade real acima da inflação.
  • Indicação: Pode ser uma boa opção para proteger o poder de compra do investimento ao longo do tempo e para metas de médio e longo prazo.

Tesouro Prefixado

  • Características: O Tesouro Prefixado oferece uma taxa de juros fixa, conhecida no momento da compra, independente das variações na economia durante o período de investimento.
  • Indicação: Indicado para quem quer garantir uma taxa de retorno que seja conhecida de forma antecipada.

Como são títulos garantidos pelo Governo Federal, os investimentos no Tesouro Direto figuram como uma das formas mais seguras de guardar dinheiro para o futuro do seu filho.

2.CDB

O Certificado de Depósito Bancário, também conhecido como CDB, é outra opção de investimento que pode ser considerada por quem deseja planejar o futuro financeiro dos filhos. Os CDBs são títulos de renda fixa emitidos por bancos com o objetivo de captar recursos para suas atividades. Confira alguns pontos importantes para entender como esse tipo de aplicação financeira funciona: Rentabilidade:

  • Os CDBs oferecem uma rentabilidade combinada no momento da aplicação, podendo ser do tipo pré-fixada, pós-fixada ou híbrida, dependendo do título escolhido.
Prazo de vencimento:
  • Os CDBs têm prazos de vencimento variados, permitindo que o investidor escolha entre opções de curto, médio e longo prazo. Geralmente, quanto maior o prazo, maior a rentabilidade.
Garantia do FGC:
  • Os CDBs contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC) até o valor de R$ 250.000,00 por CPF e por instituição financeira. Na prática, isso proporciona uma camada extra de segurança ao investidor.
Tributação:
  • A tributação dos CDBs segue a tabela regressiva de imposto de renda, com alíquotas que diminuem conforme o tempo de aplicação, o que é vantajoso para investimentos de médio e longo prazo.

Ao escolher títulos CDB, é muito importante que o investidor considere seus objetivos financeiros e o prazo de investimento ao escolher entre as diferentes opções disponíveis. Além disso, vale destacar que a combinação de CDBs com outros investimentos de renda fixa e variável pode ser uma estratégia eficaz para maximizar os rendimentos e construir um portfólio alinhado aos objetivos financeiros de longo prazo para o futuro dos filhos.

3.LCI

Investimento em renda fixa para garantir o futuro dos filhos.

Investimento em renda fixa para garantir o futuro dos filhos. A Letra de Crédito Imobiliário (LCI) é mais uma alternativa de investimento em renda fixa que pode ser considerada ao planejar o futuro financeiro dos filhos. Assim como o CDB, a LCI é um título emitido por instituições financeiras, mas, nesse caso, os recursos captados são destinados exclusivamente ao financiamento de financiamentos e construção de empreendimentos do setor imobiliário. Confira alguns pontos importantes para entender como esse tipo de aplicação financeira funciona: Garantia:

  • As LCIs contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), o que proporciona uma camada adicional de segurança ao investidor.
Isenção de Imposto de Renda:
  • Uma característica atrativa das LCIs é a isenção de Imposto de Renda para pessoas físicas residentes no Brasil. Na prática, isso significa que os rendimentos não são tributados, o que pode ser vantajoso em termos de rentabilidade líquida.
Prazo e rentabilidade:
  • As LCIs podem ser encontradas com diferentes prazos de vencimento e modalidades de rentabilidade, podendo ser prefixadas, pós-fixadas ou híbridas.
Diversificação da carteira:
  • A inclusão de LCIs na carteira de investimentos pode ser uma boa estratégia de diversificação, especialmente por oferecer isenção de Imposto de Renda.

Com isso, você que chegou até aqui já conferiu 3 opções de investimento para o futuro do seu filho. No entanto, ainda existem pelo menos mais duas opções que são interessantes.

4.Fundos Imobiliários

Investir emFundos Imobiliários (FIIs) também pode ser uma estratégia interessante ao planejar o futuro financeiro dos filhos. Os Fundos Imobiliários são uma forma de investimento coletivo em que diversos investidores aplicam recursos em um portfólio diversificado de ativos imobiliários, com o objetivo de obter dividendos mensais provenientes do aluguel ou venda desses imóveis. Para aqueles que desejam maximizar o retorno pensando no futuro dos filhos, uma boa estratégia é reinvestir os dividendos recebidos na aquisição de novas cotas, preferencialmente, distribuindo os recursos em diferentes fundos. Confira as principais características desse tipo de aplicação financeira: Renda Mensal:

  • Uma das principais atratividades dos FIIs é a distribuição de rendimentos de aluguel aos cotistas. Essa renda é geralmente distribuída mensalmente e pode ser uma fonte estável de retorno para quem busca uma forma de complementar a renda ou criar uma reserva financeira para os filhos.
Valorização das Cotas:
  • Além da renda mensal, os FIIs também podem apresentar valorização das cotas ao longo do tempo, refletindo a valorização dos ativos imobiliários que compõem a carteira do fundo.
Liquidez:
  • As cotas de FIIs são negociadas em bolsa de valores, proporcionando uma liquidez relativamente alta em comparação com investimentos imobiliários diretos, como a compra de um imóvel físico.
Facilidade de acesso:
  • Investir em FIIs é acessível mesmo para investidores com montantes menores, pois as cotas geralmente têm um valor unitário acessível.
Gestão profissional:
  • A gestão dos FIIs é realizada por profissionais especializados, que tomam decisões estratégicas em relação à compra, venda e administração dos ativos imobiliários do fundo.
Riscos e volatilidade

:

  • É importante destacar que, assim como qualquer investimento em renda variável, os FIIs estão sujeitos a riscos e a volatilidades do mercado. É fundamental que os investidores estejam cientes desses riscos.

Não tenha dúvidas, essa classe de investimento pode desempenhar um papel significativo na construção de um portfólio diversificado e sustentável para o futuro financeiro dos filhos.

5.Fundos de renda fixa

Os Fundos de Renda Fixa são uma categoria de fundos de investimento que têm como principal característica a aplicação dos recursos dos investidores em ativos de renda fixa, como títulos públicos, títulos privados, certificados de depósito bancário (CDBs) e letras de crédito (LCIs e LCAs). Esses fundos contam com gestão profissional e, portanto, são uma opção interessante para investidores menos experientes, e que ficam com dúvidas na hora de montar uma carteira de ativos de renda fixa. Confira as principais características desse tipo de aplicação financeira: Perfil conservador:

  • Fundos de renda fixa são conhecidos por ter um perfil de risco mais conservador. Isso os torna adequados para investidores que buscam preservar o capital e ter menor exposição à volatilidade do mercado.
Ativos de renda fixa:
  • A maior parte da carteira desses fundos é composta por ativos de renda fixa, que oferecem uma rentabilidade previsível e geralmente são menos suscetíveis às oscilações de mercado.
Liquidez:
  • A liquidez dos fundos de renda fixa pode variar, mas muitos oferecem facilidade de resgate, possibilitando aos investidores acesso rápido aos seus recursos quando necessário.
Diversificação:
  • Os gestores desses fundos buscam diversificar a carteira para reduzir riscos e otimizar a rentabilidade, alocando recursos em diferentes ativos de renda fixa.
Taxa de administração:
  • Os fundos de renda fixa podem cobrar uma taxa de administração para cobrir os custos de gestão e administração do fundo.
Tributação:
  • A tributação dos rendimentos dos fundos de renda fixa de longo prazo segue a tabela regressiva do Imposto de Renda, com alíquotas que diminuem conforme o tempo de aplicação.

Devido às suas características, os fundos de renda fixa podem ser adequados para você que chegou até aqui, buscando opções de investimento para o futuro do seu filho.

Quanto investir para o futuro do seu filho

Investir para o futuro do seu filho

pode ser muito mais fácil do que você imagina, principalmente para quem começa cedo, em função do efeito bola de neve que os juros compostos geram ao longo do tempo. Para quem ainda não sabe quanto investir para o futuro do filho, o site do Tesouro Direto oferece uma ferramenta gratuita para a realização de simulações. No exemplo da imagem abaixo, simulamos a aplicação mensal de recursos com foco no objetivo de pagar a faculdade do filho assim que ele completar 18 anos. Para esse tipo de objetivo, a indicação da plataforma do governo federal, foi o Tesouro Educa+ 2041, um tipo de título que funciona da seguinte forma:

  • Você investe no título do Educa+ durante o período de acumulação;
  • Após este período, você passa a receber os frutos desse investimento todos os meses por 5 anos.

A ideia é que os valores possam ser utilizados para cobrir as despesas com a universidade da criança em cujo futuro você está investindo. No exemplo da imagem abaixo, o simulador estimou que com uma aplicação inicial de R$ 1.000,00 e aportes mensais de R$ 226,38 ao longo de 18 anos, seria possível receber 60 parcelas de 1.500,00 para custear a universidade do filho no futuro. Simulação de investimento no Tesouro Educa+ 2041 Simulação de investimento no Tesouro Educa+ 2041 realizada no site do Tesouro Direto[/caption] Investir no futuro do seu filho é mais fácil e acessível do que você imagina. Além disso, você pode começar com qualquer valor que seja compatível com o seu orçamento, atualmente, existem diversas opções em investimento a partir de R$ 100,00 ou menos.

A poupança não é uma boa opção em investimento para o futuro do seu filho

Se você está pensando em fazer um investimento para o futuro do seu filho, não se engane, a aplicação de recursos na caderneta de poupança não é uma boa opção. Essa modalidade de investimento não é recomenda por uma série de questões, incluindo:

  • Baixa rentabilidade: A caderneta de poupança tem uma rentabilidade historicamente inferior a outras opções de investimento disponíveis no mercado, como Tesouro Direto, CDBs, fundos de renda fixa, entre outros.
  • Perda para a inflação: A rentabilidade da poupança muitas vezes não é suficiente para superar a taxa de inflação, o que significa que o poder de compra do dinheiro aplicado na poupança pode diminuir ao longo do tempo.
  • Falta de diversificação: Ao investir exclusivamente na poupança, os investidores deixam de aproveitar as oportunidades de diversificação oferecidas por outros instrumentos financeiros, como títulos e fundos.

Para planejar o futuro financeiro dos filhos de maneira mais eficaz, muitos especialistas recomendam considerar outras opções de investimento que ofereçam maior potencial de retorno ao longo do tempo. Diversificar o portfólio, escolhendo investimentos alinhados aos objetivos de longo prazo, perfil de risco e prazo de investimento, é uma prática recomendada para maximizar os resultados. Deseja aprender mais sobre investimentos? Continue acompanhando o blog do Investidor 10 e siga nossa página nas redes sociais.