Se busca saber sobre o endividamento de uma empresa, você precisa conhecer o indicador Dívida Líquida/Patrimônio Líquido.

Esse é um indicador nos informa do risco da empresa, assim como quanto de dívida a empresa está utilizando para financiar seus ativos relativo ao patrimônio dos investidores.

Dessa maneira, Dívida Líquida/Patrimônio é um dos principais indicadores para avaliar o endividamento de uma maneira geral.

O que é a Dívida Líquida

Primeiramente, precisamos compreender o que é a dívida líquida de uma empresa. Ela representa o passivo líquido, que é pegar o passivo total e descontar o caixa e equivalentes de caixa.

Apesar de dívidas possuírem uma conotação negativa, a captação de recursos de terceiros é um bom caminho para as empresas financiar os importantes investimentos de longo prazo.

Entretanto, é necessário que haja um bom planejamento e gestão dessa dívida.

A fórmula da Dívida Líquida envolve saber o que é disponibilidades e passivos. As disponibilidades são é o dinheiro que a empresa possui em caixa, depósitos bancários à vista e aplicações de liquidez diária.

Já os passivos são todas as obrigações que a companhia possui.

Assim, o cálculo fica da seguinte maneira:

Dívida Líquida = Disponibilidades – Passivos

Balanço Patrimonial é uma tabela dividida em duas colunas. Na imagem, ela está dividida em quatro seções: Disponibilidades, Passivos, Demais Ativos e Patrimônio Líquido.
Exemplo de Balanço Patrimonial. Ilustração por Daniel Oliveira.

Dessa forma, a dívida líquida será a diferença entre as disponibilidades e o passivo que encontramos no balanço patrimonial:

Balanço Patrimonial é uma tabela dividida em duas colunas. Na imagem, ela está dividida em cinco seções: Disponibilidades, Passivos, Demais Ativos, Dívida Líquida e Patrimônio Líquido
Demonstração da Dívida Líquida. Ilustração por Daniel Oliveira.

Na imagem, percebemos que a maior quantidade de passivos em relação às disponibilidades da empresa representa a dívida líquida.

Ou seja, quanto mais passivos e menos disponibilidades a empresa tem, maior será a dívida líquida que ela possuirá.

Entendendo o patrimônio líquido

Continuando, o patrimônio líquido numa visão da estrutura de capital da empresa irá representar a porção de recursos próprios.

Portanto, o Patrimônio Líquido (PL) é obtido através da diferença entre ativos e passivos da empresa.

De tal modo, representa aquilo que pertence aos acionistas ou a riqueza da empresa.

Ademais, a seção de Patrimônio Líquido do Balanço Patrimonial é subdividida nas contas:

  • Capital social (recursos dos acionistas);
  • Reservas de capital (valores alheios às atividades operacionais);
  • Reservas de lucro (lucros do período, mas não distribuídos);
  • Lucros e prejuízos.

Em uma análise primária, quanto maior for a quantidade de recursos próprios (PL) menor será o risco da empresa, assim como seu custo de capital.

O que o cálculo dívida líquida/patrimônio líquido nos diz?

Enfim, quando calculamos a dívida líquida/patrimônio estamos buscando entender como a empresa está se financiando.

Isto é, quando maior o resultado do cálculo podemos inferir que a empresa possui uma estratégia agressiva.

Essa agressividade é marcada por uso de capital de terceiros para alavancar os negócios. De modo que os investidores tenham maior retorno com menor capital investido.

Nesse sentido, a dívida líquida/patrimônio é também um indicador de risco.

Ademais, com essa estratégia da empresa significa que ela acredita que no futuro ela será capaz de gerar lucros superiores os juros da dívida.

Outro dado que extraímos do cálculo é a quantidade da dívida líquida que será coberta pelo patrimônio líquido em caso de falência.

Portanto, também demonstra o grau de fragilidade da empresa em cenários de crise e/ou aumentos de juros.

Dívida líquida/Patrimônio líquido: saiba mais desse indicador
A análise de indicadores fundamentalistas auxiliam no processo decisório. Foto por Freepik.

Cuidados com o indicador dívida líquida/patrimônio líquido

Aliás, como toda análise fundamentalista, não podemos nos basear em apenas um indicador, pois todos eles quando analisados isoladamente possuem limitações.

Por exemplo, o caso das startups que costumam incorrer em dívidas para acelerar seu crescimento, abrindo mão de lucro no curto prazo.

Logo, sua dívida sobre o patrimônio será elevada, mas não podemos descartar o investimento baseado somente nisso. Afinal, poderíamos perder a oportunidade de uma grande valorização.

Assim como não podemos usar esse indicador para comparar companhias de diferentes setores, pois isso irá induzir ao erro.

Acontece que cada indústria demanda uma estrutura de capital diferente. Ou seja, uma petroleira demanda mais capital que uma empresa de serviços, por exemplo.

Ademais, vale ressaltar que para avaliar viabilidade da empresa acaba sendo mais interessante utilizar o indicador Dívida Líquida/Ebitda.

Pois, o Ebitda demonstra a capacidade de geração de caixa operacional. Assim, ao comparar a dívida líquida com o Ebitda estamos auferindo sobre a capacidade da empresa pagar suas dívidas através da própria atividade.

Enfim, como todo indicador fundamentalista, a dívida líquida/patrimônio isoladamente não pode determinar uma decisão de investimento.

Para isso, é necessário conhecer melhor sobre balanço patrimonial, compreendendo melhor os conceitos do indicador, e sobre os outros indicadores fundamentalistas para basear suas análises de ações.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui