Tarcísio critica política de reajuste do salário mínimo de Lula

Para o governador de São Paulo o reajuste gera impacto na Reforma da Previdência.

Author
Publicado em 22/04/2024 às 20:53h - Atualizado 1 mês atrás Publicado em 22/04/2024 às 20:53h Atualizado 1 mês atrás por Jennifer Neves
Foto - Reprodução internet
Foto - Reprodução internet

💰 O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos) criticou nesta segunda-feira (22), a nova política de reajuste do salário mínimo adotada pelo governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), argumentando que está prejudicando a Reforma da Previdência.

Lula decidiu reintroduzir durante seu governo não apenas a correção do salário mínimo pela inflação, mas também conceder aumentos reais com base no crescimento econômico, o que afeta diversos gastos obrigatórios, incluindo a Previdência Social.

Essa prática foi implementada durante os governos do PT, tanto sob Lula quanto sob Dilma Rousseff, mas foi interrompida durante as administrações de Michel Temer (MDB) e Jair Bolsonaro (PL). Durante a campanha de 2022, Bolsonaro chegou a prometer que aumentaria o salário mínimo acima da inflação se fosse eleito.

Para o governador de São Paulo, essa política de reajuste do salário mínimo está agravando a situação fiscal do Brasil, que ele considera ser a prioridade máxima do ponto de vista econômico. Do ponto de vista social, Tarcísio destaca que a principal preocupação é a segurança pública.

Durante um evento em São Paulo promovido pela Esfera Brasil, grupo que reúne empresários de vários setores da economia brasileira, Tarcísio enfatizou os riscos econômicos, mencionando o risco fiscal como o mais relevante. Ele ressaltou a necessidade de uma postura mais responsável e a importância de conter despesas, reservar recursos para investimentos e atrair capital privado, além de liderar a transição energética.