Servidores do Banco Central entrar√£o em greve de 48 horas

De acordo com o BC, as manifesta√ß√Ķes n√£o atrapalham o funcionamento do sistema para a popula√ß√£o

Author
Publicado em 11/02/2024 às 12:07h - Atualizado 4 meses atrás Publicado em 11/02/2024 às 12:07h Atualizado 4 meses atrás por Jennifer Neves
Banco Central do Brasil - Shutterstock
Banco Central do Brasil - Shutterstock

ūüŹ¶¬†O Sinal (Sindicato Nacional dos Funcion√°rios do Banco Central) afirmou que os funcion√°rios p√ļblicos da entidade recusaram a contraproposta do governo sobre os reajustes salariais, na √ļltima sexta-feira (9). Acontecer√° uma greve de 48 horas nos dias 20 e 21 de fevereiro.

O sindicato anunciou que a maioria dos funcion√°rios n√£o concordam com o aumento de 13% dos sal√°rios parcelados entre 2025 e 2026. Em assembleia, a proposta foi rejeitada por 97% dos colaboradores.

A negocia√ß√£o sugerida pelo MGISP (Minist√©rio da Gest√£o e Inova√ß√£o em Servi√ßos P√ļblicos) n√£o atende √†s principais reivindica√ß√Ķes da categoria, segundo o Sinal. Entre elas, a exig√™ncia de n√≠vel superior ao cargo de t√©cnico, cria√ß√£o de uma retribui√ß√£o por produtividade institucional e mudan√ßa de nome do cargo de analista para auditor.

‚ÄúAs entregas envolvem servidores que ocupam posi√ß√Ķes em todos os n√≠veis hier√°rquicos, inclusive chefia estrat√©gica e envolvidos em projetos e processos cr√≠ticos, como o Pix, o Sistema de Transfer√™ncia de Reservas (STR), desenvolvimentos de sistemas de TI, autoriza√ß√£o de funcionamento de institui√ß√Ķes, fiscaliza√ß√£o, supervis√£o direta de preven√ß√£o √† lavagem de dinheiro e de financiamento ao terrorismo‚ÄĚ, detalha documento assinado pelo Sinal; ANBCB¬† (Associa√ß√£o Nacional dos Analistas do Banco Central do Brasil) e SinTBacen (Sindicato Nacional dos T√©cnicos do Banco Central).¬†

A autoridade monet√°ria disse em nota que reconhece o direito dos servidores de promoverem as manifesta√ß√Ķes organizadas. ‚ÄúO movimento n√£o tem afetado o funcionamento dos sistemas cr√≠ticos para a popula√ß√£o, os mercados e as opera√ß√Ķes das institui√ß√Ķes reguladas‚ÄĚ, diz o BC.