Conheça as campeãs de dividendos no 1T24

Companhias listadas na bolsa pagaram R$ 76,7 bi entre janeiro e março

Author
Publicado em 13/05/2024 às 11:27h - Atualizado 13 dias atrás Publicado em 13/05/2024 às 11:27h Atualizado 13 dias atrás por Wesley Santana
Dividendo é parte do lucro das companhias dividido com investidores. Foto: Shutterstock
Dividendo é parte do lucro das companhias dividido com investidores. Foto: Shutterstock

💸 Depois de divulgarem seus balanços trimestrais do primeiro trimestre, muitas empresas também aproveitaram para anunciar pagamentos de dividendos para as próximas semanas. 

É o caso de Grendene (GRND3), Taesa (TAEE11), CSN (CSNA3), Eztec (EZTC3), Banco do Brasil (BBAS3), entre outros. Só essas companhias, juntas, vão pagar quase R$ 27 bilhões em dividendos aos seus acionistas, em um valor que varia conforme o desempenho no 1T24.

No entanto, com base nos trimestres já encerrados, há empresas que destinaram bilhões de reais aos investidores em 2024. Segundo levantamento da Nord Investimentos, as companhias listadas na bolsa pagaram R$ 76,7 bilhões em proventos entre janeiro e março deste ano

💰 Leia também: Veja quais empresas pagam dividendos e JCP em maio

A campeã da lista é a Petrobras (PETR4), que destinou R$ 17,9 bilhões em recursos aos acionistas. Na comparação entre o mesmo período de 2023, a empresa aumentou em 28% a divisão de lucros. 

Na sequência, o Itaú (ITUB4) aparece na lista com o pagamento de R$ 16,6 bilhões, alta de 29% na base anual. Esse número representa R$ 1,69 por cada ação. 

O pódio se completa com a Vale (VALE3), que pagou o equivalente a R$ 2,74 por ação, ainda segundo a casa de análises. Embora alto, o valor total representa uma queda de 35% na divisão, para R$ 12,4 bilhões no primeiro trimestre. 

Petrobras deve manter dividendos bilionários

🛢️ A campeã da lista deve trazer resultados mais fracos no relatório do primeiro trimestre, mas manter o pagamento de dividendos na casa dos bilhões, segundo os bancos e casas de análise.

Em sua prévia operacional, publicada no início do mês, a empresa reportou a produção média de 2,77 milhões de barris de petróleo por dia, o que seria um recuo em relação aos montantes anteriores. 

Para o Itaú BBA, no entanto, o Ebitda da petroleira deve ficar em US$ 13,4 bilhões nos três primeiros meses, número que abriria espaço para uma divisão de US$ 3,5 bi aos investidores.