Brasil e França anunciam investimento de 1 bilhão de euros para a Amazônia

A proposta tem duração de 4 anos e é voltada à biodiversidade, atividades econômicas, entre outras questões

Author
Publicado em 26/03/2024 às 22:20h - Atualizado 2 meses atrás Publicado em 26/03/2024 às 22:20h Atualizado 2 meses atrás por Jennifer Neves
Foto: Ricardo Stuckert / PR
Foto: Ricardo Stuckert / PR

🌳Os governos do Brasil e da França revelaram um plano de 1 bilhão de euros destinado à Amazônia, nesta terça-feira (26), financiado por recursos públicos e privados nos próximos quatro anos.

Os investimentos contemplarão tanto o território brasileiro quanto o da Guiana. Durante um evento com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o líder francês Emmanuel Macron anunciou um aporte de US$ 2 bilhões, divididos entre os dois países.

Conforme comunicado conjunto, o programa será composto por:

  • Diálogo entre as administrações francesa e brasileira sobre os desafios da bioeconomia;
  • Parceria técnica e financeira entre bancos públicos brasileiros, incluindo Basa e BNDES, e a
  • Agência Francesa de Desenvolvimento, presente no Brasil e na Guiana Francesa;
  • Designação de coordenadores especiais para empresas francesas e brasileiras mais inovadoras no campo da bioeconomia;
  • Novo acordo científico entre França e Brasil, operado pelo Cirad e pela Embrapa;
  • Estabelecimento de um hub de pesquisa, investimento e compartilhamento de tecnologias-chave para a bioeconomia.

"Vamos investir cada um, US$ 1 bilhão, cada país. Para a biodiversidade, atividades econômicas, compatíveis com os interesses dos povos indígenas, que lhes permita ter perspectivas de desenvolvimento e conservar as nossas florestas. Nós vamos também relançar a atividade de cooperação dos dois lados do Oiapoque e a luta contra o garimpo ilegal", declarou Macron durante o evento com Lula em Belém (PA).

Antes do evento oficial, Lula e Macron compartilharam uma foto enquanto navegavam pelo rio Guamá, na orla de Belém, em direção à ilha do Combú. Durante a visita à ilha, além da cerimônia de condecoração de Raoni, os líderes também visitaram uma fábrica de chocolate artesanal.

Raoni foi agraciado com a maior honraria concedida pela França, o grau de cavaleiro, a primeira da Legião de Honra, reconhecimento atribuído a cidadãos franceses e estrangeiros que se destacam em âmbito global. A condecoração foi instituída por Napoleão Bonaparte em 20 de maio de 1802.

A França reconhece Raoni como uma figura internacional em prol das causas indígena e ambiental. Por meio de mensagens sobre direitos humanos e proteção da floresta, ele fundou a Rainforest Association em 1989 e o Instituto Raoni em 2001.

Em sua primeira visita oficial ao Brasil, Macron desembarcou em Belém nesta terça-feira, onde foi recebido por Lula. Os dois líderes terão uma agenda bilateral extensa nos próximos dias, abordando temas como meio ambiente, defesa e reforma de organismos multilaterais. Além do Pará, Macron visitará o Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília.