O que é preciso fazer para alcançar a tão sonhada segurança financeira? O Google recebe diariamente milhares de pesquisas relacionadas a esse assunto.

Não somente aqui no Brasil, mas também em outras partes do mundo existem milhões de pessoas em busca da segurança financeira.

Afinal, como alcançar a segurança financeira? Existe um caminho mágico para isso? 

Aproveitando a crescente busca pela segurança financeira, encontramos na internet muitas pessoas vendendo supostas “fórmulas mágicas” para interessados em conquistar a liberdade financeira.

No entanto, será mesmo que a segurança financeira está distante como muitos imaginam? Vamos provar que não.

Nesse conteúdo, o Investidor10 listou uma série de dicas que podem ajudar você a conquistar a sua independência e segurança financeira. Tudo o que você precisa é acompanhar esse conteúdo até o final e colocar todas as dicas aqui apresentadas em prática.

Sabe qual é a melhor parte? Você não paga nada por isso. O nosso único objetivo é ajudar você! 

Não esperamos receber nada em troca por isso. Mas, se ao final deste conteúdo, você entender que esse conteúdo pode ajudar mais pessoas, compartilhe nas suas redes sociais.

Então, vamos às dicas para a conquista da sua segurança financeira.

1.Pague todas as suas dívidas com cartão de crédito

Pague todas as suas dívidas com cartão de crédito
Pague todas as suas dívidas com cartão de crédito – Foto: Freepik

Você sabia que uma grande parcela da população brasileira utiliza cartões de crédito?

Segundo dados divulgados recentemente pelo Banco Central, o Brasil conta com mais de 123 milhões de cartões de crédito emitidos.

Sem dúvidas, o grande número de cartões de crédito emitidos no Brasil impressiona, mas o que realmente chama a atenção é o número de brasileiros com dívidas com os cartões de crédito.

Segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), divulgada ao final de 2020 pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), 66% das famílias brasileiras estão endividadas, sendo o cartão de crédito a principal dívida de 77,8% dessas famílias.

Não podemos negar, em alguns momentos o cartão de crédito pode facilitar, parcelando as compras e ajudando na realização de alguns sonhos. No entanto, o grande problema é a fatura que mais cedo ou mais tarde chega.

Existe um consenso entre os economistas quanto ao uso do cartão de crédito. A grande maioria dos profissionais que atuam na área das finanças acreditam que os cartões de crédito são benéficos, desde que usados com cautela.

Para evitar dívidas, o titular do cartão deve optar sempre pelo pagamento do total da fatura. Vale lembrar que as taxas de juros cobradas pelos cartões de crédito em caso de atraso são abusivas.

Portanto, evite atrasar ou deixar de pagar o valor total da fatura do cartão de crédito. Evite também ter vários cartões de crédito.

Por fim, se você possui dívidas e está em atraso com  o pagamento do cartão, negocie e quite esse tipo de dívida o quanto antes.

2.Elimine todos os seus empréstimos e financiamentos

Elimine todos os seus empréstimos e financiamentos
Elimine todos os seus empréstimos e financiamentos – Foto: Freepik

Após liquidar os pagamentos em atraso com o cartão de crédito, o segundo passo para a segurança financeira é eliminar os empréstimos e financiamentos.

Sabemos que para realizar alguns sonhos como o do carro ou da casa própria, muitas vezes é preciso se submeter a financiamentos.

Compreendemos também, que em alguns momentos um empréstimo pode ser a única solução encontrada. No entanto, saiba que com um pouco de organização você pode se livrar de uma vez por todas dessas armadilhas.

Em relação aos empréstimos e financiamentos, busque eliminá-los o quanto antes, se planejando para eliminar parcelas de forma antecipada, inclusive utilizando recursos do FGTS.

Ao quitar seus empréstimos e financiamentos de forma antecipada você elimina uma carga significativa de juros, garantindo excelente economia.

Se você possui mais de um empréstimo ou financiamento, comece sempre por aqueles que possuem maior taxa de juros, como o cheque especial e os empréstimos pessoais.

Segurança Financeira – 3.Busque novas fontes de renda

Busque novas fontes de renda
Busque novas fontes de renda – Foto: Freepik

Está difícil para equilibrar as contas, por mais que você queira e tente se planejar para isso? Nesse caso, a solução pode ser a busca por novas fontes de renda.

Ao contrário do que muitos pensam, o orçamento familiar não é complicado. Na verdade, ele funciona como uma espécie de balança de dois lados.

Em uma ponta da balança estão as receitas e na outra ponta as despesas. Tudo o que você precisa fazer é chegar ao equilíbrio entre os dois lados e se possível fazer com que o lado das receitas vença essa disputa.

Existem dois caminhos para isso: a redução das despesas ou o aumento das receitas.

Portanto, reduzir as despesas não é a saída para o seu caso. A solução estará na busca por novas fontes de renda. 

Utilize toda a sua criatividade e pense em alternativas para incrementar o seu orçamento. Liberte o empreendedor ou a empreendedora que existe em você.

4.Adeque suas despesas ao seu orçamento

Adeque suas despesas ao seu orçamento
Adeque suas despesas ao seu orçamento – Foto: Freepik

Agora, se o seu orçamento possui espaço para uma redução de despesas, faça isso sem medo.

Liste todas as suas despesas mensais em uma folha de papel e procure por aquelas que não são essenciais. 

Você verá que algumas despesas podem ser reduzidas ou eliminadas de forma permanente, enquanto outras ao menos temporariamente, até que seja possível alcançar o equilíbrio financeiro.

Lembre-se da balança do tópico anterior, de um lado estão as receitas e do outro as despesas, quanto mais leve for o peso das suas despesas, mais perto você estará da sua tão sonhada segurança financeira.

Portanto, comece agora mesmo a listar as suas despesas e eliminar aquelas não essenciais, mas que muitas vezes pesam no orçamento, como por exemplo:

  • Cartões de crédito;
  • Aplicativos de transporte;
  • Aplicativos de alimentação delivery;
  • Serviço de Streaming;
  • Dentre outros.

5.Faça uso de uma planilha ou app para controle financeiro

Faça uso de uma planilha ou app para controle financeiro
Faça uso de uma planilha ou app para controle financeiro – Foto: Freepik

Uma excelente dica para manter a organização da sua vida financeira consiste em fazer uso de planilhas ou aplicativos de controle financeiro pessoal e familiar.

Vale destacar, que existem diversos apps gratuitos no mercado que podem ser úteis para ajudar você a alcançar a sua segurança financeira.

Você pode ser adepto dos apps, das planilhas ou até mesmo do bom e velho caderninho. O que você não pode mesmo é deixar de anotar e controlar todas as suas fontes de renda e também as suas despesas de curto prazo e longo prazo.

Conhecer com antecedência tudo o que você tem a pagar e manter despesas e receitas organizadas, ajudará você a não cometer erros e assumir despesas e responsabilidades que não cabem no seu orçamento.

6.Crie uma reserva de emergências

Crie uma reserva de emergências
Crie uma reserva de emergências – Foto: Freepik

Após organizar a sua vida financeira, você certamente começará a ver algum dinheiro sobrando no final do mês.

Por sinal, dinheiro sobrando no final do mês é uma ótima notícia, isso significa que você está cada vez mais próximo da sua tão sonhada segurança financeira.

No entanto, para que essa segurança financeira possa mesmo chegar, é preciso saber o que fazer exatamente com esse dinheiro que sobra, não é mesmo?

Não vai sair torrando todo o seu dinheiro por aí. Se começou a sobrar uma grana no final do mês, é hora de trabalhar na sua reserva de emergências.

Uma boa reserva de emergências deve ser suficiente para cobrir todas as suas despesas por um período de 6 a 12 meses. Assim, caso algum imprevisto apareça você terá uma fonte de recursos livre de juros para recorrer.

Para montar a sua reserva e alcançar a sua segurança financeira, separe parte da sua renda mensal para aplicar em investimentos de alta liquidez e baixo risco, como o tesouro direito ou o CDB.

Essas aplicações garantem alguma rentabilidade para o seu dinheiro, não oferecem risco e permitem o resgate rápido e fácil sempre que você precisar.

Ah, não vale aplicar na poupança, combinado? A poupança rende muito pouco e atualmente não é mais recomendada pelos economistas.

Prefira o Tesouro Direto ou títulos de renda fixa como os CDBs para manter formar a sua reserva de emergências em prol da sua segurança financeira.

7.Invista parte da sua renda

Invista parte da sua renda
Invista parte da sua renda – Foto: Freepik

Por fim, se você já tem as suas contas em dia e uma reserva financeira formada, é hora de começar a investir em títulos da renda variável em busca de maior rentabilidade.

Você já ouviu falar em “colocar o dinheiro para trabalhar”? Algumas aplicações da renda variável como ações e fundos imobiliários pagam dividendos e juros periódicos ou até mesmo mensais, remunerando os seus investidores.

Sendo assim, com o passar do tempo, as suas aplicações podem se transformar em uma formidável fonte de renda extra ou até mesmo na sua fonte de renda principal.

Portanto, se o seu objetivo é começar a investir. Fique atento aos conteúdos gratuitos sobre investimentos que disponibilizamos aqui no nosso blog e também nas redes sociais.

Não deixe de conferir também as nossas páginas de indicadores e tenha um retrato fiel dos principais ativos negociados na Bolsa de Valores.

Após todas essas dicas, chegamos finalmente ao final deste conteúdo. Esperamos que você tenha aproveitado bastante e que coloque tudo em prática para finalmente alcançar a sua segurança financeira!

Antes de sair, não se esqueça de compartilhar esse conteúdo e seguir o Investidor10 nas redes sociais.

Até a próxima!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui