Tebet diz que não há espaço fiscal para “pautas-bomba”

A ministra do Planejamento e Orçamento alertou para que o Congresso tenha responsabilidade no assunto.

Author
Publicado em 23/04/2024 às 21:25h - Atualizado 28 dias atrás Publicado em 23/04/2024 às 21:25h Atualizado 28 dias atrás por Jennifer Neves
Foto - Shutterstock
Foto - Shutterstock

💣A Ministra do Planejamento e Orçamento, Simone Tebet, afirmou nesta terça-feira (23) que não há espaço fiscal para acomodar as pautas-bomba, propostas que exercem pressão sobre o Orçamento, atualmente em discussão no Congresso Nacional. Ela também instou os parlamentares a agirem com responsabilidade diante do assunto.

"Qualquer projeto com impacto econômico e orçamentário aprovado pelo Congresso Nacional afeta todo o país. Não dispomos de reservas, não há margem para manobras", declarou durante uma coletiva de imprensa.

Tebet abordou o tema antes de uma reunião com o vice-presidente e ministro da Indústria e Comércio, Geraldo Alckmin (PSB), para discutir o projeto de rotas de integração.

Além disso, a Ministra mencionou o possível impacto de R$ 42 bilhões da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) pró-Judiciário, que propõe conceder bônus de 5% por tempo de serviço a cada 5 anos para juízes, procuradores e promotores.

Apesar disso, a titular do Planejamento expressou confiança nos parlamentares. "Passei 8 anos lá [no Congresso], e sei que tem muita gente com racionalidade, que tem condições, depois do diálogo, de entender que o caminho certo é o caminho da responsabilidade fiscal", justificou.