Google começa a bloquear cookies para aumentar privacidade, entenda

Big tech desativou cookies de terceiros para 1% dos usuários do Chrome e quer avançar com o bloqueio no segundo semestre

Author
Publicado em 05/01/2024 às 15:57h - Atualizado 6 meses atrás Publicado em 05/01/2024 às 15:57h Atualizado 6 meses atrás por Marina Barbosa
Google (Shutterstock)
Google (Shutterstock)

O Google (GOGL34) começou a bloquear os cookies de terceiros, mecanismo usado para rastrear a atividade e coletar dados de quem navega pela internet. Segundo o Google, essa ferramenta será desligada de forma gradual no Chrome de forma a proteger a privacidade dos seus usuários.

🕵️ O bloqueio dos cookies de terceiros começou nesta quinta-feira (4). O Google desligou os cookies para 1% dos usuários do Chrome em todo o mundo, selecionados ao acaso, para testar o mecanismo. O objetivo é expandir o bloqueio gradualmente para todos os usuários do navegador a partir do segundo semestre de 2024.

Leia também: Microsoft (MSFT34) anuncia teclado com botão de inteligência artificial

"Começaremos com uma pequena porcentagem de usuários do Chrome. Assim, desenvolvedores podem testar seu grau de maturidade para atuar numa web onde não haverá mais cookies de terceiros", afirmou o Google, lembrando que os cookies eram usados por diversos sites para oferecer experiências personalizadas aos seus usuários, como login assistido e anúncios personalizados.

Internet sem cookies?

Segundo o Google, o objetivo desta iniciativa é "criar uma internet com a melhor privacidade, e ao mesmo tempo acessível para todas as pessoas". Veja o que a Head de Privacidade e Parcerias de Chrome, Carolina Medina, disse sobre a medida:

🗨️ "Chrome irá desativar gradualmente os cookies de terceiros e também limitar outras formas de rastreamento reduzindo a quantidade de informações que sites e apps podem acessar. Dessa forma, a informação do usuário ficará privada e segura. Bilhões de pessoas no mundo todo dependem do acesso a informações gratuitas e o usuário precisa conseguir aproveitar essa experiência sem se preocupar com quais informações pessoais são coletadas e por quem."

"O objetivo é criar novas tecnologias voltadas para a privacidade para atender a demanda dos usuários e também dos reguladores. Ao mesmo tempo, sendo bom o suficiente para dar apoio aos modelos de negócio e capacidades que a Web tem hoje. Queremos encontrar um equilíbrio entre privacidade e funcionalidade. É um grande projeto, talvez o maior desde a concepção da web."

Reguladores de olho

O desligamento total dos cookies está sujeito a possíveis ajustes relativos à concorrência, que podem ser apresentados pela Autoridade de Concorrência e Mercados do Reino Unido. Os cookies, por sua vez, estão cada vez mais na mira dos órgãos reguladores, devido à crescente preocupação com a proteção dos dados pessoais.

📱 O presidente do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), Marcio Pochmann, por exemplo, criticou recentemente o grande volume de dados coletados pelas big techs, como dados pessoais, informações bancárias e preferências de consumo. Ele chegou a dizer que essas empresas sabiam mais do Brasil do que o próprio governo em entrevista à TV 247, em dezembro de 2023.

Vale ressaltar ainda que o que o Google vai desativar são os cookies de terceiros. Isto é, cookies que operam em vários sites diferentes e não cookies específicos de um site. Veja a diferença apontada pelo Google:

"Um 'cookie' é um pequeno dado armazenado no navegador quando uma pessoa visita um site, podendo ser um cookie primário ou deterceiro. Os cookies primários são armazenados pelo próprio site visitado, já os de terceiro são armazenados por um serviço que opera em vários sites."

GOGL34

Alphabet - Google (A)
Cotação

R$ 82,93

Variação (12M)

66,22 % Logo Alphabet - Google (A)

Margem Líquida

25,90 %

DY

0.07%

P/L

28,72

P/VP

8,08